Regatas do VelaShow misturam crianças e adultos em Itajaí (SC)

0

O VelaShow, primeira feira náutica dedicada à veleiros do país, começou nesta sexta-feira (19), com a disputa de regatas para crianças na categoria Optimist e para os adultos na Shellback e Ibis Rubra, embarcações de madeira construídos na própria Itajaí (SC).

Mais de 30 velejadores participaram do evento realizado no Saco da Fazenda, ao lado do Centreventos, que recebe o VelaShow. A ANI – Associação Náutica de Itajaí organizou as regatas.

O vento demorou a entrar no início da tarde e, depois que a bandeira de recon (adiamento) baixou, as classes tiveram três regatas cada com percurso em forma de quadrado.

A intensidade dos ventos foi de 6 a 8 nós na direção nordeste. A tarde de sexta-feira foi de muito sol e termômetros perto dos 30 graus em Itajaí.

”Foi muito legal. Esperamos o horário para o vento entrar, e com paciência, deu certo. Regata é assim!”, disse Rodrigo Kelm, gerente de regatas do VelaShow.

”Apesar das regatas serem corridas por crianças e velejadores amadores, todos respeitaram as regras e as provas foram bem disputadas”.

A classe Optimist é de introdução à vela e atrai atenção de crianças e adolescentes até os 15 anos.

Os barquinhos foram usados nas três edições do Volvo Academy, evento paralelo à regata de volta ao mundo, para promover a modalidade nas cidades-sede.

”Temos que incentivar a cultura náutica ainda mais em Itajaí e aproveitar o legado da Volvo Ocean Race e agora do VelaShow. Ver adultos e crianças dividindo a raia é muito importante para a nossa modalidade”, disse Cláudio Copello, organizador das regatas do VelaShow.

A vencedora no geral do Optimist foi a catarinense Sofia Rocha de Faria, de 12 anos. A atleta veio de Florianópolis.

”Gostei muito de competir em Itajaí no VelaShow”, contou Sofia Rocha de Faria.

”Eu aprendo tudo no Optimist, mas quando sair da classe vou pra prancha à vela”.

Na categoria Shellback e Ibis Rubra, formada por barcos de madeira construídos na cidade, o grande vencedor das regatas foi Alvaro Albuquerque, com 11 pontos perdidos. O segundo lugar ficou para Joaquim Roberto Nanhomi (13 pontos) e o terceiro foi Rodrigo Zaleski (15 pontos).

”O mais importante pra gente é o encontro entre amigos, é mais uma brincadeira. O objetivo é promover a flotilha e não a competição”, Wilson José da Silva, um dos fundadores do projeto e coordenador das oficinas de construção naval.

Mais de 60 barcos de Shellback e Ibis Rubra foram construídos na cidade em mais de uma década.

No sábado (20), o evento promoverá a regata VelaShow nas proximidades da Praia de Cabeçudas, com percurso a ser definido pela comissão de regata.

Essa prova será realizada para prestigiar os veleiros de oceano participantes e presentes em Itajaí.

A reunião de comandantes será às 12h no auditório após a palestra da Família Schurmann. A largada da regata VelaShow está marcada para 14h.

Velejaço

O VelaShow recepcionará em Itajaí o Velejaço, flotilha de veleiros com saída de Florianópolis e São Francisco do Sul, ambas em Santa Catarina.

Ao todo, mais de 50 barcos divididos entre monotipos, oceano e multicasco são esperados no Centreventos.

O VelaShow vai reunir além das regatas, workshops, exposição de barcos, produtos e serviços náuticos.

As palestras lotaram o auditório do Centreventos, como a de Beto Pandiani — https://onboardsports.net/palestra-beto/

Mais de 40 expositores, incluindo fabricante de velas de regata, estaleiros e empresas do segmento de turismo.

Para saber mais sobre o evento, acesse o site: www.velashow.com.