Com brasileiros no top 10, Ranking Global da SSL marca início de nova era na vela

É a primeira vez que a modalidade tem sua própria classificação internacional, comparando homens e mulheres de diferentes classes. Lista ajudará a formar tripulações para a SSL Gold Cup 2022

A Star Sailors League (SSL), circuito global idealizado por grandes nomes da vela, promete marcar uma nova era na modalidade.

O Ranking Global da SSL foi aperfeiçoado para mapear o desempenho dos astros e estrelas do esporte em diferentes classes e definir os países que disputarão a primeira SSL Gold Cup, entre maio e junho de 2022, com a fase final em Grandson, cidade suíça situada na ponta sudoeste do Lago Neuchâtel.

O grande atrativo do Ranking é permitir pela primeira vez na história que a modalidade tenha sua própria classificação internacional, comparando velejadores de diferentes classes.

Ao todo, 56 seleções, formadas por homens e mulheres, correrão a SSL Gold Cup a bordo de monocascos de design de alto desempenho de 47 pés de comprimento para estabelecer “a melhor nação de vela do mundo”.

Os convocados de cada país serão agrupados em tripulações de 11 pessoas. O Ranking SSL qualificará seis deles, enquanto os outros quatro ficarão a critério do capitão da equipe.

O formato das regatas também é inovador. Diferentemente do que ocorre em Jogos Olímpicos e Mundiais, em que os vencedores são conhecidos na medal race, a disputa será em formato eliminatório. O campeão sairá de uma regata com as quatro equipes finalistas.

”Todo o conceito da SSL Gold Cup é que será muito semelhante à Copa do Mundo de futebol, que começa com as fases de qualificação e, em seguida, avança para as quartas-de-final, semifinais e finais.”

”Isso funciona bem em outros esportes e queremos fazer o mesmo na vela”, explica Mateusz Kusznierewicz, nomeado Diretor de Esportes da SSL Gold Cup.

O Brasil é um dos favoritos ao título de melhor nação do planeta, ao lado de França, Polônia, Inglaterra e Austrália. A tripulação começará a ser anunciada nas próximas semanas.

Até o momento, três brasileiros aparecem entre os dez mais bem colocados no Ranking Global, que reúne homens e mulheres e é atualizado todas as terças-feiras, de acordo com o desempenho em eventos das mais diversas classes ao redor do mundo.

A campeã olímpica de 49erFX Martine Grael ocupa a sétima posição entre os timoneiros. Entre os proeiros, sua companheira na conquista do ouro nos Jogos do Rio, Kahena Kunze, aparece em terceiro lugar. Ambas somam 8.084 pontos.

Campeão europeu de Star em 2019 com Robert Scheidt, Henry Boening, o Maguila, é o quarto colocado entre os proeiros, com 7.754 pontos.

Confira o ranking completo em https://www.starsailors.com/ranking.

Nas próximas semanas, a SSL divulgará o Ranking Global de nações. O sucesso de cada país é determinado pela soma das posições de seus cinco melhores timoneiros e dos dois melhores proeiros.

O lugar que cada nação ocupa determinará as 56 nações classificadas para a primeira edição da SSL Gold Cup, evento programado para acontecer a cada dois anos.

A Seleção Brasileira irá se concentrar em setembro na Suíça para um período de treinamentos e participará de um evento-teste.

”Um campeonato entre nações é muito legal. A vela finalmente terá o equivalente a uma Copa do Mundo de futebol”, celebrou Bruno Prada, campeão mundial e medalhista olímpico de Star e gerente da equipe brasileira.

“O objetivo é fazer o barco da forma mais simples possível. Se colocar muita tecnologia, cria-se dificuldade para velejar. Mas não é um barco fácil, pois terá uma série de detalhes”.

”O que vai valer é a capacidade da tripulação de manusear os cabos e ajustar as velas”, explica Prada.

O neozelandês Peter Burling lidera o Ranking da SSL entre os timoneiros. Ele conquistou o título da America’s Cup nas Bermudas, após ganhar a medalha de ouro olímpica na classe 49er nos Jogos do Rio.

Além disso, terminou em terceiro na Volvo Ocean Race e conseguiu uma sequência de vitórias no circuito 49er, com dois títulos mundiais, em 2019 e 2020, e um título europeu na classe, em 2019.

Parceiro de conquistas de Burling, o também neozelandês Blair Tuke é o primeiro colocado na lista dos proeiros.

Os eventos da SSL atraíram nos últimos anos os principais campeões mundiais e velejadores da America’s Cup, além de mais de 70 atletas olímpicos, com 17 medalhas de ouro, 16 medalhas de prata e 18 medalhas de bronze entre eles.

Desde que foi lançada, em 2012, a SSL já alcançou resultados expressivos, com a criação do Ranking Global, o estabelecimento de quatro eventos “Grand Slams” e uma Final anual, com base no conceito da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP).

A SSL Gold Cup foi anunciada em 2019, com o intuito de coroar todo o conceito de circuito da SSL e expandir sua audiência entre os fãs.

 

Compartilhe

Mais posts

Nos envie uma mensagem