Índios de Tocantins experimentam atividades físicas no Instituto Ingo Hoffmann

0
Índios no Instituto Ingo Hoffmann
Índios no Instituto Ingo Hoffmann

Família da Aldeia Funil participa do projeto Famílias do Instituto em Ação – Esporte

 

Um casal de índios Xerente da Aldeia Funil, no Tocantins, está vivendo sua primeira experiência numa academia de ginástica, no Instituto Ingo Hoffmann, em Campinas (SP). Pela primeira vez longe do seu Estado natal, eles estão abrigados na instituição para o tratamento de leucemia da filha. E, com o projeto Famílias do Instituto em Ação – Esporte, descobrem os benefícios físicos e mentais das atividades realizadas no local.

Para Valmir Senokrā Xerente, 27 anos, e Edirene Tkidi Xerente, 26, a rotina dentro da instituição no interior de São Paulo é muito diferente da realidade da aldeia no Tocantins. “Nós estranhamos mais a comida, que é bem diferente da nossa. Mas estamos nos adaptando”, conta Valmir, estudante de geografia na Universidade de Araguaína.

Os dois devem ficar pelo menos oito meses no Instituto Ingo Hoffmann, acompanhando o tratamento da filha, Sophia Brupahi Xerente, de 6 anos. E estão aproveitando para praticar atividades e exercícios que não conheciam.

“A academia é bem legal, os exercícios fazem bem”, aponta Valmir, que joga futebol como atacante, no campo de futebol construído ano passado na Aldeia Funil. É a única atividade física disponível por lá. Já para Edirene, o contato com os exercícios físicos na instituição no interior paulista tem sido uma boa novidade. Ela já elegeu seu equipamento favorito. “Gosto mais de caminhar na esteira”, diz.

Por meio do projeto Famílias do Instituto em Ação – Esporte, o Instituto Ingo Hoffmann oferece um espaço com esteiras, bicicletas ergométricas, halteres e bola de pilates, além de profissional que acompanha e instrui as atividades. O objetivo é levar mais saúde às famílias hospedadas na instituição, ao mesmo tempo em que serve como apoio psicológico para enfrentar o momento delicado do tratamento do câncer.

“Durante a prática da atividade física, nosso corpo libera o hormônio serotonina, que age promovendo um sensação de bem estar e prazer imediato, diminuindo assim, o estresse e a ansiedade , que são os sintomas mais que acometem os acompanhantes das crianças e adolescentes que estão em tratamento oncológico”, comentou a educadora física Gabriela Silva.

A viabilidade deste projeto, denominado Famílias do Instituto em Ação Esporte, se dá através da Lei de Incentivo ao Esporte, programa de incentivo do Ministério da Cidadania, Secretaria Especial do Esporte e tem como patrocinadores: CI&T, TENNECO, DR1V, WestRock, Banco Safra, ABL, 2º Tabelião de Protesto de Campinas e CRODA.

O Instituto

O Instituto Ingo Hoffmann é uma entidade beneficente e sem fins lucrativos fundado em 31/08/2005 tendo como missão inicial proporcionar maior oportunidade de cura para crianças em tratamento de câncer, através de uma parceria com o Centro Infantil Boldrini no projeto denominado Casa de Apoio à Criança e à Família. Trata-se de um modelo de moradia temporária.

No total são 30 chalés, divididos em 10 vilas, construídos em um terreno com mais de 6.000 metros quadrados, localizado ao lado do edifício da Radioterapia do hospital. Além das acomodações, o local possui brinquedoteca, biblioteca, academia interna e externa, refeitório e lavanderia.

O objetivo da Casa da Criança e da Família é abrigar crianças em tratamento intensivo de câncer e seus acompanhantes, vindos de diversas regiões do Brasil e da América Latina para fazer tratamento no Centro Infantil Boldrini e não têm condições de serem mantidas por suas famílias fora de suas casas.

Mais informações em: http://www.ingohoffmann.org.br