Em dia de franceses, Pinot vence no alto do Tourmalet e Alaphilippe mantém camisa amarela do Tour de France

0
Em dia de franceses, Pinot vence no alto do Tourmalet e Alaphilippe mantém camisa amarela do Tour de France (ASO/Tour de France)

Allez Le bleus? Não é futebol, mas foi o dia da França no ciclismo. Finalmente começaram as emoções das grandes montanhas dos Pirineus no Tour de France e Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) venceu a 14ª etapa, neste sábado (20), com a chegada no alto do lendário Tourmalet. De quebra, Julian Alaphilippe (Deuceninck-QuickStep) surpreendeu novamente ao chegar junto com o pelotão principal, não só mantendo a camisa amarela, mas também abrindo mais de dois minutos de vantagem para o atual campeão Geraint Thomas (Ineos). O britânico teve dificuldades na parte final da subida e chegou 36 segundos atrás. A disputa está mais do que aberta.

O Tourmalet é a montanha mais escalada na história do Tour, porém, esta foi apenas a quarta vez que a chegada de uma etapa aconteceu no alto dela. Com apenas 117,5 km, o percurso da 14ª etapa foi feito para ser explosivo, rápido e intenso. E foi exatamente o que aconteceu. No entanto, entre a largada, em Tarbes e o final no Tourmalet, o pelotão também passou Col du Soulor, com 11,9 km de extensão e 7,8% de inclinação média.

Após o contra-relógio em Pau, no 13º estágio, Geraint Thomas assumiu a segunda colocação na disputa pela camisa amarela e se colocou, definitivamente, na posição de principal favoritos ao bicampeonato. Mas o que ninguém esperava era que Alaphilippe, vencedor do contra-relógio, fosse conseguir subir junto com o pelotão neste sábado. Porém, o francês contou com muita personalidade, determinação e o melhor da sua forma física para escalar o Torumalet no pelotão.

Outros favoritos, como Nairo Quintana (Movistar), Richie Porte (Trek-Segafredo), Jakob Fuglsang (Astana) e Adam Yates (Mitchelton-Scott)  tiveram sérios problemas para acompanhar o ritmo do pelotão, que foi puxado por momentos pela Movistar, Jumbo-Visma e Groupama-FDJ. Todos eles sobraram e perderam bastante tempo na classificação geral.

Por outro lado, além da dupla de franceses, Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma), Emanuel Buchmann (Bora-Hansgrohe), Egan Bernal (Ineos) e Mikel Landa (Movistar) se mantiveram no grupo principal até o final. Nos últimos quilômetros, com o mau desempenho de Thomas, o pelotão acelerou. Pinot conseguiu desgarrar dos demais e venceu com 6’’ de frente mais 10’’ de bônus. Alaphilippe também encontrou forças para fechar na segunda colocação e também ganhou 6’’ de bônus.

Com os resultados, Pinot subiu para a sexta colocação e está a 3’12’’ de Alaphilippe e a 1’10’’ de Thomas, que manteve a segunda colocação. Outro grande vencedor do dia foi Kruijswijk, que agora tem 2’14’’ de desvantagem para o francês e está apenas 12’’ atrás do britânico da Ineos.

“Quando você é um escalador, todas as vitórias no Tour de France são maravilhosas, mas ganhar em um monumento como este (Tourmalet) é o que eu mais gosto. Eu estava com raiva. Continuaremos a lutar. A prova ainda não terminou”, disse Pinot após a vitória.

Por outro lado, Thomas admitiu que não estava se sentindo bem desde o início da etapa. “Desde o começo eu não me sentia bem. Estava esperando que eu fosse aparecer um pouco e, obviamente, na última subida, foi apenas uma questão de ficar lá (no pelotão) o maior tempo possível. Eu sabia que eles atacariam no final e apenas tentei andar no meu próprio ritmo para não ir com eles e perder mais tempo”, declarou o britânico.

15ª etapa

Para fechar a segunda semana do Tour de France, a 15ª etapa, neste domingo (21), terá 185 km entre Limoux e Foix, com uma subida de categoria 2 e outras três de categoria 1, incluindo a chegada no alto do Prat d’Albis, com 11,8 km de extensão e 6,9% de inclinação média.

L’Etape Brasil

O Tour de France também oferece oportunidades para atletas amadores participarem da prova com a realização do L’Étape pelo mundo. A versão brasileira será disputada em 29 de setembro, na cidade de Campos do Jordão (SP), e terá até 3 mil participantes.

Com a chancela do tradicional Tour de France, o L’Étape Brasil mantém as características de uma parte da corrida francesa. Em 2018, ciclistas de todos os estados brasileiros inscreveram-se na prova, aberta também a atletas amadores.

 

Classificação da etapa:

1- Thibaut Pinot (Groupama-FDJ): 3h10’20’’ (Bônus: 10’’)

2- Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep): +6’’ (Bônus: 6’’)

3- Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma): +6’’ (Bônus: 4’’)

4- Emanuel Buchmann (Bora-Hansgrohe): +8’’

5- Egan Bernal (Ineos): +8’’

 

Classificação geral:

1- Julian Alaphilippe (Deceuninck – QuickStep): 56h11’29’’

2- Geraint Thomas (Ineos): +2’02’’

3- Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma): +2’14’’

4- Egan Bernal (Ineos): +3’00’’

5- Emanuel Buchmann (Bora-Hansgrohe): +3’12’’

 

Classificação por pontos:

1- Peter Sagan (Bora – Hansgrohe): 284 pts

2- Sonny Colbrelli (Bahrain-Merida): 191 pts

2- Elia Viviani (Deuceninck-Quick-Step): 184 pts

 

Classificação de melhor escalador:

1- Tim Wellens (Lotto Soudal): 64 pts

2- Thibaut Pinot (Groupama-FDJ): 42 pts

3- Thomas De Gendt (Lotto Soudal): 37 pts

 

Classificação do melhor jovem:

1- Egan Bernal (Ineos): 56h14’29’’

2- Enric Mas (Deceuninck – Quick-Step): +2’38’’

3- David Gaudu (Groupama-FDJ): 8’00’’