Educação é destaque nos projetos sociais do Instituto Ingo Hoffmann

0
educação

Arte-educadores e profissionais de educação física contribuem para o desenvolvimento infantil das crianças em tratamento do câncer

 

A educação desempenha papel fundamental nos projetos sociais do Instituto Ingo Hoffmann. Para isso, o projeto conta com os professores, que comemoram seu dia neste 15 de outubro. Os arte-educadores e profissionais de educação física na instituição ajudam no desenvolvimento infantil das crianças e adolescentes em tratamento de câncer.

Os arte-educadores são os responsáveis pelas atividades regulares de ensino de arte e cultura no projeto “Famílias do Instituto em Ação – Cultura”. São eles que projetam e realizam as oficinas, sempre com excelentes resultados.

“Por meio da ludicidade e criatividade estimuladas nas oficinas culturais, as famílias são acolhidas e integradas com afeto e cuidado. O planejamento pedagógico é realizado em grupo e as ações sempre procuram conectar as diferentes linguagens artísticas, que são a música, a literatura, as artes visuais e o audiovisual”, explica Rafael Cabello, coordenador das atividades culturais. “As oficinas são fundamentais para o desenvolvimento socioemocional das crianças e seus familiares, atuando como uma janela para um mundo de novos saberes e desenvolvimento individual e coletivo.”

Já no projeto “Famílias do Instituto em Ação – Esporte, o trabalho do educador físico é promover maior bem-estar para os que estão abrigados ali, num momento de vulnerabilidade. As atividades trabalham a psicomotricidade, lateralidade e coordenação motora.

“São características importantes para desenvolver na infância, para que se tornem adultos que gostam de praticar uma atividade física, diminuindo assim a taxa de sedentarismo e obesidade. Tudo isso com muita diversão”, destaca a professora Gabriela Silva. “Também preparamos jogos e brincadeiras que trabalham o raciocínio lógico e a velocidade de pensamento. Esses momentos de recreação, além de estimular o desenvolvimento psicológico, ainda ajudam no enfrentamento da doença.”

Os familiares das crianças também se beneficiam, com atividades físicas na academia do Instituto Ingo Hoffmann. “O trabalho com os pais que estão acompanhando seus filhos no tratamento oncológico é de extrema importância. O horário em que estão na academia é um dos poucos momentos em que podem relaxar e esquecer o ambiente hospitalar. São momentos que trazem muitos benefícios tanto para o corpo como para a mente”, defende a professora Gabriela.

Retorno das atividades culturais

Devido à pandemia de Covid-19, todas as atividades culturais e esportivas no Instituto Ingo Hoffmann foram suspensas em março. O projeto Famílias do Instituto em Ação – Cultura foi retomado em agosto, com adequação das instalações da área externa para a realização das ações com maior segurança. Assim, as oficinas de música, artes plásticas e literatura atendem todos os cuidados sanitários vigentes.

Para ampliar o acesso das crianças e seus familiares às atividades, o projeto investiu na tecnologia e na arte digital. O novo canal do Instituto Ingo Hoffmann no Youtube conta com vários vídeos produzidos pelos arte-educadores. Todo o material audiovisual gerado pelas ações culturais também serão publicados lá.

Os links para acessar o canal do Youtube e todas as mídias sociais estão neste endereço: https://linktr.ee/institutoingohoffmann.

Retorno das atividades esportivas

O retorno à normalidade no projeto “Famílias do Instituto em Ação – Esporte” vem sendo implementado de forma gradual. A academia foi reaberta neste mês, com todas as medidas de segurança, como higienização do ambiente, obrigatoriedade do uso de álcool em gel e restrição de circulação, para evitar aglomerações.

Ainda este mês, a previsão é de retomada das atividades com as crianças, também com adequação às novas normas de segurança impostas pelas autoridades de saúde.

Dentro do Instituto, as medidas de segurança e higiene seguem mais rigorosas. A entidade restringiu a circulação de visitantes e funcionários, e distribuiu aos familiares e acompanhantes recomendações como as de lavar as mãos regularmente e evitar aglomerações em áreas comuns. A qualquer sinal de falta de ar, febre, tosse e espirros, devem procurar o médico de seu filho.

Quase 13 mil pessoas já passaram pelo Instituto Ingo Hoffmann nos 15 anos de entidade. O local ofereceu 39.700 refeições ao longo da história.

A viabilidade do projeto de esporte, denominado Famílias do Instituto em Ação Esporte, se dá através da Lei de Incentivo ao Esporte, programa de incentivo do Ministério da Cidadania, Secretaria Especial do Esporte e tem como patrocinadores: CI&T, TENNECO, DR1V, WestRock, Banco Safra, ABL, 2º Tabelião de Protesto de Campinas e CRODA.

A viabilidade do projeto de cultura, denominado Calendário de Atividades Socioculturais – Plano Anual | Ano 2, se dá através da Lei de Incentivo a Cultura, programa de incentivo do Ministério da Cidadania e tem como patrocinadores: DHL, ABL Antibióticos do Brasil, Sodexo, Banco Safra, Usina São Domingos, Besins Healthcare, Alibra e 2º Tabelião de Protesto de Campinas, com elaboração, capitação e execução da Behind Esporte e Cultura.

O Instituto

O Instituto Ingo Hoffmann é uma entidade beneficente e sem fins lucrativos fundado em 31/08/2005 tendo como missão inicial proporcionar maior oportunidade de cura para crianças em tratamento de câncer, através de uma parceria com o Centro Infantil Boldrini no projeto denominado Casa de Apoio à Criança e à Família. Trata-se de um modelo de moradia temporária.

No total são 30 chalés, divididos em 10 vilas, construídos em um terreno com mais de 6.000 metros quadrados, localizado ao lado do edifício da Radioterapia do hospital. Além das acomodações, o local possui brinquedoteca, biblioteca, academia interna e externa, refeitório e lavanderia.

O objetivo da Casa da Criança e da Família é abrigar crianças em tratamento intensivo de câncer e seus acompanhantes, vindos de diversas regiões do Brasil e da América Latina para fazer tratamento no Centro Infantil Boldrini e não têm condições de serem mantidas por suas famílias fora de suas casas.

Mais informações em: http://www.ingohoffmann.org.br