2 dias para a 6ª temporada da Fórmula E: As ameaças ao bicampeão JEV

0
Foto: Fórmula E

Nas duas últimas temporadas, Jean-Eric Vergne foi competente em derrotar seus adversários. Mas, como será na sexta temporada da Fórmula E?

A Fórmula E sempre foi uma categoria equilibrada, sem um domínio especifico, a não ser em breves momentos, como no inicio da terceira temporada, quando a Renault e.Dams (atual Nissan) emplacou cinco vitórias em seis ePrix disputados.

Mas, no mar de variáveis da Fórmula E nos últimos dois anos, surgiu uma constante: o piloto francês Jean-Eric Vergne, que conquistou os dois últimos títulos, se tornando o único bicampeão da categoria de monopostos elétricos.

Ninguém tem duvidas que JEV é o “cara a ser batido”. É o piloto que todos os candidatos ao título precisam derrotar. E é hora de conferir as mais fortes ameaças ao reinado de Vergne.

Sébastien Buemi (Nissan e.Dams): maior vencedor da história da categoria com 13 vitórias e campeão da segunda temporada, o suíço Buemi sempre esta entre os favoritos ao título, até mesmo quando a fase não era das melhores para sua equipes, que enfrentou um jejum de dois anos sem vitórias, até a rodada final da última temporada, quando o incomodo tabu chegou ao fim em Nova York. A Nissan é uma das equipes mais bem preparadas da competição, e agora que Buemi fez as pazes com a vitória, ele se torna uma ameaça em potencial para dar um fim a “Era JEV”.

Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler): campeão da terceira temporada e sempre Top-3 na Fórmula E, o brasileio da Audi é outra ameaça forte ao reinado de Vergne. Di Grassi é o piloto com maior número de pódios na categoria: 30, e é o segundo maior vencedor. A Audi tem um retrospecto de sempre evoluir durante as temporadas, portanto, mesmo que o inicio da sexta temporada não for satisfatório, não será sensato em momento nenhum descartar Lucas di Grassi das possibilidades de título.

Antonio Félix da Costa (DS Techeetah): as vezes, o perigo mora ao lado. Ou dentro da própria equipe, por assim dizer. Este é o caso que se aplica aqui, já que depois de uma temporada de altos e baixos na BMW i Andretti Motorsport, Da Costa está na DS Techeetah, justamente o time do bicampeão JEV. Amigos fora da pista, fica a expectativa para ver como será dentro das pistas, dividindo curva a curva. O piloto português tem um estilo de pilotagem agressivo, e com certeza vai tentar não desperdiçar a chance de lutar pelo título, agora que tem um carro campeão nas mãos.

Sam Bird (Envision Virgin Racing): Para muitos, Bird é a eterna promessa de títulos que nunca se cumpre. Ainda assim, o piloto britânico é um dos únicos dois pilotos que venceram em todas as temporadas (o outro é Lucas di Grassi) e sempre está entre os primeiros, o que o torna um candidato em potencial como ameaça a JEV. Porém, antes de pensar em ameaçar o domínio de Vergne, Bird precisará se impor dentro da própria equipe, já que na última temporada, terminou atrás de seu companheiro, o holandês Robin Frijns.

Mitch Evans (Panasonic Jaguar Racing): A cada temporada a Jaguar vem evoluindo, e no último campeonato, Evans chegou a te chances de lutar pelo título, inclusive conquistando a primeira vitória dele e do time britânico na categoria. Se a evolução da equipe se manter, a expectativa é de novas vitórias, o que colocaria o piloto neozelandês como uma ameaça em potencial ao reinado de JEV.

Além dos pilotos acima, alguns outros nomes não podem ser descartados, como Robin Frijns (Envision Virgin Racing), Felipe Massa (Venturi Racing), Edoardo Mortara (Venturi Racing), Pascal Wehrlein (Mahindra Racing), Jérôme D’Ambrosio (Mahindra Racing), Oliver Rowland (Nissan e.Dams). São pilotos que devem lutar por pódio ou até mesmo por vitórias durante a sexta temporada.

Ou seja: a lista de ameaças ao reinado de Jean-Eric Vergne é grande. Mas estamos falando do único bicampeão da Fórmula E. Ele sabe o caminho que precisa percorrer para se manter no topo da categoria.