Home Tags Posts tagged with "Juraci Moreira"

Juraci Moreira

Hoje falo sobre a importância dos atletas estarem no poder e como quem vivenciou a pratica no seu dia-a-dia – e se especializou – tem condições de liderar os rumos de todas as modalidades. Vou contar uma experiência que certamente pode mudar a triatlo nos próximos dias. Depois de três olimpíadas, seis títulos mundiais, um ironman e vários eventos internacionais, eu decidi me aposentar do alto-rendimento e me especializar. Adquiri nesses últimos anos bagagem teórica e prática e assumi um desafio para os próximos anos.

Neste sábado, 22 de abril, toda comunidade do triatlo estará de olho na eleição da nova diretoria da Confederação Brasileira (CBTri). O resultado desse pleito pode não apenas revigorar o comando da entidade, mas, principalmente, proporcionar mudanças efetivas no desenvolvimento do nosso esporte.

Mas para isso fui a campo! Nos últimos meses visitei praticamente todos os estados em que o triathlon está inserido. Conversei com atletas, treinadores, representantes de clubes e federações, assessorias esportivas, organizadores de eventos, patrocinadores, empresários e notei que todos tem uma participação muito ativa no processo de crescimento da nossa modalidade. Vi estruturas com grande potencial para o fomento das categorias base e também de atletas de alta performance, assim como tomei conhecimento de uma série de problemas que se estão se arrastando à décadas e limitam o alcance do triatlo nos quatro cantos do país. Talvez não seja só do triatlo como vemos na mídia todos os dias.

A ideia é valorizar todos aqueles que vivem e trabalham em prol de um triathlon mais forte, para multiplicar as iniciativas e projetos bem sucedidos de norte a sul do país. Queremos promover eventos de excelência para praticantes de todos os níveis e em todas as esferas (local, regional, estadual e nacional), para dar mais visibilidade e apoio aos talentos nacionais, desde a nova geração até os mais experientes, que fazem o possível e o impossível para colocar o Brasil no pódio dos principais eventos do calendário mundial. Só a título de curiosidade, em Sydney 2000, quando fiz minha estreia olímpica, levamos mais de um atleta por gênero. Na Rio 2016 foi apenas um de cada.

O objetivo dos atletas na gestão da nova CBTri é manter um diálogo transparente e contínuo com toda a comunidade e enfatizar o nosso comprometimento com um projeto estruturado, que permita aproveitarmos as oportunidades e administrar com eficiência o triatlo em todas as suas vertentes. Assim, pedimos à todos que continuem participando deste momento importante, vamos juntos criar uma #novacbtri e fazer o triathlon brasileiro ir cada dia mais longe. #juntossomosmaisforte #juntospodemosmais

Juraci Moreira é gestor esportivo, disputou três olimpíadas e hexacampeão brasileiro de triathlon

Amigos leitores do L! Desde que me aposentei como atleta olímpico em 2014 venho me dedicando a fomentar a modalidade por meio do modelo de Escolinhas de Triathlon, que a meu ver são fundamentais para formar novos atletas, que serão destaques nas próximas olimpíadas. As crianças e adolescentes que fazem parte do projeto piloto, que foi desenvolvidos na minha cidade natal, em Curitiba, no Paraná, têm todos o acesso, material e professores especializados para praticarem essa modalidade. É totalmente gratuito e os resultados já foram expressivos em menos de dois anos de atividade.
A Escolinha de Triathlon Formando Campeões conta com 35 atletas entre 11 e 15 anos, e como eu disse, alguns nomes já brilham em suas categorias e vejo alguns atletas com grande esperança de avançarem no esporte até as seleções nacionais. Uma dessas crianças é a Gabrielle Lemes, campeã brasileira da categoria até 14 anos.
Se um projeto com 35 atletas em uma única cidade já se mostra importante para o desenvolvimento do esporte, imagina se estendido para mais estados. Reflitam este cálculo muito simples: uma escolinha com 35 alunos x 27 estados = 945 crianças potenciais triatletas olímpicos. Estou sendo bem humilde neste cálculo colocando somente 35 alunos por estado, esse número pode muito facilmente dobrar, triplicar com um trabalho sério sendo realizado, assim como no Paraná.
Porém isso está longe de se tornar realidade, hoje o que temos são iniciativas individuais que conseguem com muito esforço colocar em prática suas escolinhas. Será que estou sonhando? Será que isto é inviável? Não, não é, basta boa vontade de nossos dirigentes e a participação de todos neste processo, entidades esportivas, familiares, treinadores, poder público e a iniciativa privada. Juntos teremos com facilidade estas escolinhas espalhadas pelo Brasil. Temos material humano da melhor qualidade, seja de atletas como de treinadores, este é um pequeno passo que pode ser o começo de tudo, do desenvolvimento do triathlon a ponto de um dia sermos uma nação reconhecida por formar triatletas vitoriosos e um dia ainda termos um campeão olímpico na modalidade.
Obrigado ao LANCE! pela oportunidade e feliz 2017 a todos.

Mesmo fora das provas de triathlon, o atleta olímpico Juraci Moreira segue levantando a bandeira da modalidade e proporcionando às novas gerações condições para a prática em alto-nível. Idealizador e padrinho de projetos incentivados como a Escolinha de Triathlon Formando Campões, o atleta foi um dos palestrantes do seminário sobre a Lei de Incentivo ao Esporte, que ocorreu nesta segunda-feira (27), em Palmas (TO). O evento aberto ao público foi realizado pela Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados em parceria com o Ministério do Esporte. O debate foi proposto pelo deputado federal César Halum (PRB-TO) e teve também as presenças do diretor substituto de Lei de Incentivo, Marcelo Heringer, e do presidente da Federação de Triathlon de Tocantins, Sergio Henrique Moraes.

”Estar em Tocantins e conhecer pessoalmente a realidade do esporte local e principalmente ver de perto as estruturas possíveis para a prática do Triathlon é fundamental para elaborar um projeto moldado para a realidade de cada cidade brasileira”, disse Juraci Moreira”Os atletas têm uma função essencial na política desportiva no país, temos que reivindicar e trabalhar para termos mais leis de incentivo municipais, estaduais e ainda ampliarmos a porcentagem de dedução possível pela Lei de Incentivo Federal. É somente com a participação ativa de atletas e ex-atletas na política que vamos conseguir movimentar isso”

O medalhista pan-americano destacou a importância da Escolinha de Triathlon Formando Campeões, que hoje faz sucesso em Curitiba (PR). Juraci Moreira quer levar esse modelo para todo Brasil. ”É o projeto modelo, mas procuro conhecer pessoalmente os locais que podemos repetir a escolinha, moldando dentro da realidade de cada federação e levando em conta perfil das crianças, locais de execução, e principalmente capacidade de captação dos recursos. Estou muito feliz em poder dar continuidade à minha carreira de atleta agora neste outro lado de gestor. Sei que posso contribuir muito ainda pelo meu esporte e seguindo alguns conceitos modernos de gestão que tento me alinhar. Assim podemos fazer muito pelo Triathlon no País”.

Os projetos

Após 20 anos de carreira bem sucedidos, Juraci Moreira decidiu que era hora de ajudar o triathlon brasileiro do lado de fora das pistas. Com apoio do Comitê Olímpico Brasileiro e da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri), o hexacampeão brasileiro atua desde o segundo semestre de 2014 na área de gestão esportiva visando contribuir para crescimento da modalidade em todas as suas vertentes.

Junto com a Federação Paranaense de Triathlon (FPTri), o hexacampeão nacional deu início à programas pioneiros de fomento ao Triathlon e também se tornou referência na elaboração e execução de projetos via Lei de Incentivo ao Esporte.

O primeiro projeto, denominado “Escolinha de Triathlon Formando Campeões” não apenas introduziu jovens carentes da rede pública de ensino em uma nova modalidade esportiva, como demonstrou uma maturidade indescritível no desenvolvimento atlético e pessoal desses jovens. Em menos de um ano de atividades, cerca de 30 meninos e meninas, de 10 a 17 anos de idade, descobriram suas habilidades, mostraram muita disciplina e perseverança nos treinos e com isso conquistaram suas primeiras medalhas em competições regionais e até mesmo um torneio nacional de base. O projeto oferece acesso a prática esportiva de forma 100% gratuita e contempla aquisição de equipamentos como bicicletas, tênis, uniformes, contratação de recursos humanos e auxílio transporte.

Juraci Moreira é um dos maiores nomes do esporte olímpico brasileiro. O triatleta tem três participações olímpicas: Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008. No currículo está a medalha de bronze Pan-Americana nos Jogos de 2007, no Rio de Janeiro.

As crianças paranaenses têm oportunidade que muitos atletas de alto nível do Brasil não tiveram: uma escolinha de triathlon que visa a formação de novos talentos. Desde maio de 2015, o Colégio da Polícia Militar do Paraná é a base do projeto, que recebe diariamente 30 alunos. As crianças tem todos os equipamentos necessários e são treinadas por especialistas na modalidade. As atividades respeitam a grade escolar e faixa etária de cada atleta mirim. O padrinho da Escolinha de Triathlon do Paraná, Juraci Moreira, afirma que a iniciativa é importante para a formação esportiva das crianças, algo que era inimaginável anos atrás. “A ideia é que a escolinha se espalhe pelo Paraná e também pelo Brasil. Tive a felicidade de fazer da minha profissão o que começou como uma brincadeira de criança. Ir para piscina, nadar com meu pai, andar de bicicleta e correr pelo parque eram atividades normais. Não tinha pretensão de me tornar um atleta olímpico! Conheci o triathlon e me apaixonei”.

Para Juraci Moreira, atleta com três participações olímpicas e seis vezes campeão brasileiro, o apoio dos pais é fundamental para o sucesso das crianças. “O incentivo dos pais para os futuros atletas é mais do que importante. O apoio sem cobrança é o segredo do sucesso para uma criança se tornar um grande atleta e mesmo que não venha a ser um atleta olímpico, os valores que o esporte ensina ficam para a vida toda”.

A parceria com a Polícia Militar proporciona segurança aos alunos durante a prática desportiva. Além disso, o ambiente, que promove valores como disciplina, comprometimento e trabalho em equipe, também ajuda à melhorar a qualidade das atividades

A Escolinha de Triathlon do Paraná foi viabilizada pela Lei de Incentivo ao Esporte, com apoio da Federação Paranaense de Triathlon e Colégio da Polícia Militar do Paraná. Os patrocinadores são Tradener – comercialização de energia, Grupo Astra e Sorocred.

Um dos maiores nomes da modalidade está otimista com o legado olímpico e a atuação dos atletas que irão representar o país nos Jogos em casa

Após participar de três Olimpíadas, Juraci Moreira pretende ajudar o Brasil mais uma vez nos Jogos do Rio 2016, só que agora do lado de fora das pistas. Com apoio do Comitê Olímpico Brasileiro e da Confederação Brasileira de Triathlon (CBTri), o hexacampeão brasileiro está desde o segundo semestre de 2014 atuando na área de gestão esportiva visando contribuir para crescimento da modalidade em todas as suas vertentes.

Segundo dados da CBTri, estima-se que haja mais de 25 mil praticantes em todo o país, sendo mais de 3 mil atletas filiados e 24 federações formadas. “Temos que aproveitar a oportunidade não apenas para colocar o Brasil entre as melhores equipes do mundo, mas principalmente olhar com mais cuidado para a nova geração, já pensando em 2020, 2024 e, claro, para esses amantes da modalidade quem têm sido os grandes responsáveis pelo crescimento constante dos eventos nacionais”, conta o triatleta.

Com a prorrogação da Lei de Incentivo ao Esporte até 2022, Juraci Moreira acredita que essa será um das principais ferramentas disponíveis para captar recursos e investir em projetos que beneficiem a modalidade.

“Já foram investidos mais de R$ 1 bilhão no esporte brasileiro desde que entrou em vigor em 2006. Hoje a comunidade do triatlo busca proporcionar uma experiência diferenciada aos praticantes, fidelizando os que estão a mais tempo na modalidade e também atraindo novos entrantes. Quero que o triathlon cresça, se torne cada vez mais popular e que sua gestão no Brasil seja exemplo. Por isso, meu trabalho segue firme e forte, na prática e nos bastidores. Sempre é possível melhorar e chegar mais longe”, reafirma o terceiro sargento do exército.

No último fim de semana (1º e 2 de agosto) foi realizado no Rio de Janeiro (RJ) o evento-teste da modalidade para os Jogos de 2016 na Praia de Copacabana. Juraci Moreira acompanhou tudo de perto como a preparação dos atletas, da equipe técnica e dos organizadores para o principal evento poliesportivo mundial.

“Fiquei muito feliz em estar reunido com estes atletas, agora no outro lado, mas com a mesma emoção e comprometimento de sempre. Posso afirmar que foi perfeito. Lembrei muito do Pan de 2007 quando fui medalhista correndo na orla de Copacabana completamente lotada de torcedores, para um atleta este carinho torcida e euforia com certeza incentiva e empurra o atleta a chegar no seu limite. A Olimpíada no Brasil vai ser a maior e melhor de todas”.

Juraci Moreira é um dos maiores nomes do esporte olímpico brasileiro. O triatleta tem três participações olímpicas: Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008. No currículo está a medalha de bronze Pan-Americana nos Jogos de 2007, no Rio de Janeiro. Em 2014, o atleta disputou pela primeira vez o Ironman, principal prova de longa distância modalidade.

O legado de Juraci Moreira para o triathlon brasileiro no campo do desporto é inegável. Foram três participações olímpicas, um bronze nos Jogos Pan-Americanos e seis títulos nacionais na última década. Mas o paranaense quer ajudar ainda mais a modalidade, desta vez fora das pistas.

Participante do Curso Avançado de Gestão Esportiva (CAGE), realizado pelo Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), através do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Juraci está desenvolvendo uma pesquisa inédita, com objetivo de identificar o perfil do praticante de triathlon no Brasil. O estudo pode fornecer informações importantes para o desenvolvimento e crescimento da modalidade no País.

“A pesquisa busca entender os motivos que levaram o atleta a escolher o triathlon como esporte, assim como o tipo de prova em que ele costuma competir (sprint, olímpica ou longa distância). A partir dos resultados, espera-se ter subsídios para elaboração de projetos que possam atrair mais praticantes e patrocinadores para a modalidade. Além disso, conseguiremos avaliar alguns atributos nas provas e até mesmo a percepção do trabalho da Confederação, Federações e organizadores privados nos eventos em todo território nacional, o que será bastante útil no trabalho de fidelização e retenção dos atletas”, explica.

O CAGE é um dos cursos mais cobiçados do País para a capacitação de gestores, e tem por objetivo promover e expandir habilidades e conhecimentos necessários para um gerenciamento mais efetivo das organizações esportivas do país. Podem se inscrever para o processo seletivo profissionais que ocupam posições de liderança e de gerenciamento Organizações Esportivas credenciadas pelo COB, e também atletas em transição de carreira ou que já ocupem posições estratégias em organizações esportivas.Juraci Moreira faz parte do seleto grupo de 39 alunos, quem ainda na turma a ginasta Daiane dos Santos e a jogadora Janeth do basquete, entre outros profissionais.

“É um privilégio participar do Curso de Gestão, poder juntar a minha experiência com o esporte, como atleta olímpico, com o conhecimento teórico em gestão. Quero que o triathlon cresça e se torne cada vez mais popular e que sua gestão no Brasil seja exemplo. Pretendo ajudar a realizar isso, assim como ajudei como atleta a divulgar e difundir este esporte através das minhas conquistas”, lembra o hexacampeão brasileiro.

Como participar
Nos próximos dias será divulgado nas redes sociais dos principais organizadores de provas do Brasil, principais veículos de comunicação para triathlon e no perfil de alguns atletas um link com acesso à um questionário. Juraci Moreira pede ajuda de toda a comunidade do triatlo para responder e divulgar a pesquisa, atingindo o maior número de praticantes possível.

“Esta pesquisa é totalmente em prol da comunidade de triatletas do país, por isso todos os dados coletados serão disponibilizados para divulgação no final do projeto e estou contando com o apoio de vários organizadores, dirigentes e pessoas que trabalham na modalidade, que deve ter sempre o mesmo objetivo – o fomento do nosso esporte em todas as frentes”, finaliza o triatleta.

Juraci Moreira é um dos maiores nomes do esporte olímpico brasileiro. O triatleta tem três participações olímpicas: Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008. No currículo está a medalha de bronze Pan-Americana nos Jogos de 2007, no Rio de Janeiro. Em 2014, o atleta disputou pela primeira vez o Ironman, principal prova de longa distância modalidade.

A temporada 2014 foi desafiante para Juraci Moreira. Após participação em três Olimpíadas, o principal nome do triathlon brasileiro realizou sua estreia no Ironman, prova mais cobiçada e difícil da modalidade, e ainda encontrou forças para competir nas demais distâncias do circuito.

“Tive que lidar com momentos bem ruins no Ironman, uma vez que a transição da distância olímpica, minha especialidade, para provas mais longas não é nada fácil, ainda mais considerando que disputei o percurso máximo de 3,8k de natação, 180k de ciclismo e 42,2k de corrida”, lembra o triatleta, que após a prova enfrentou algumas lesões. “Isso comprometeu bastante meu segundo semestre e não atingi os resultados que almejava ter. Porém, fico feliz em ter competindo em todas as distâncias, desde sprint, olímpico, meio ironman e ironman e assim pretendo continuar em 2015.”

Mesmo com as dificuldades, Juraci Moreira levou o Brasil para o pódio no segundo semestre. A prata no Torneio Militar Europeu, disputado na Bélgica, foi a segunda conquista do brasileiro na competição onde já foi o campeão. O triatleta ainda alcançou o oitavo lugar na Copa Panamericana de Sprint Triathlon da ITU e completou o Ironman 70.3 de Miami.

O retorno ao Ironman

Em 2015, Juraci Moreira pretende encarar novamente o Ironman Brasil Florianópolis. O atleta do Exército Brasileiro concluiu o percurso em 9horas34min13 e espera transformar o aprendizado em vantagem para ficar entre os 10 melhores da competição.“Cheguei a estar entre os primeiros, mas a falta de experiência e as dores pesaram. Mas, como o espírito do Ironman é nunca desistir, meu foco no primeiro semestre será totalmente na preparação para a prova e vou com tudo para superar o primeiro resultado”, diz o atleta beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.

Além do Ironman, Juraci Moreira também está escalado para representar o Brasil nos Jogos Mundiais Militares, marcado entre os dias 29 de maio a 5 de junho, em Mungyeong, na Coreia do Sul.

Juraci Moreira é um dos maiores nomes do esporte olímpico brasileiro. O triatleta tem três participações olímpicas: Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008. No currículo está a medalha de bronze Pan-Americana nos Jogos de 2007, no Rio de Janeiro. Em 2014, o atleta disputou pela primeira vez o Ironman, principal prova de longa distância modalidade.

Mais informações sobre Juraci Moreira no site: http://www.novacsports.com.br/
Siga e compartilhe #Juratri no Instagram: @juracimoreira

Principal nome do triathlon brasileiro busca primeiro pódio no Circuito Ironman

Juraci Moreira está de volta ao circuito Ironman. Depois de encarar a prova mais difícil do triathlon mundial no mês de junho, o hexacampeão brasileiro da modalidade disputa neste domingo (26) uma das etapas da série mundial, dessa vez na categoria 70.3, que equivale a metade da distância do Ironman. Em Miami (EUA), o brasileiro terá pela frente 1.9km de natação, 90km de ciclismo e 21km de corrida, uma prova intermediária entre as distancias olímpicas, no qual o atleta é especialista, e a distancia Ironman, onde fez sua estreia este ano.

“Com certeza o nível dos atletas que vão largar a prova é um dos mais fortes de toda a temporada e estou feliz em estar entre os melhores do mundo”, afirma o atleta beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.

Em Florianópolis (SC), no Ironman 2014, Juraci Moreira concluiu o percurso máximo em 9 horas 34 minutos e 13 segundos. Com a experiência adquirida na estreia e no decorrer dos 20 anos de carreira, a meta é buscar na Flórida o primeiro pódio no Circuito Ironman.

“Disputar uma competição internacional é sempre motivo de muita ansiedade e responsabilidade para mim. Represento meu país a muitos anos e sempre vou querer dar o meu melhor para colocar a nossa bandeira no lugar mais alto do pódio”, finaliza o atleta do Exército Brasileiro.

Juraci Moreira é um dos maiores nomes do esporte olímpico brasileiro. O triatleta tem três participações olímpicas: Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008. No currículo está a medalha de bronze Pan-Americana nos Jogos de 2007, no Rio de Janeiro. Em 2014, o atleta disputou pela primeira vez o Ironman, principal prova de longa distância modalidade.

Mais informações sobre Juraci Moreira no site: http://www.novacsports.com.br/
Siga e compartilhe #Juratri no Instagram: @juracimoreira