Extreme-E anuncia etapa brasileira; Pará será o destino dos SUVs elétricos

0
Divulgação/Extreme-E

A Extreme-E confirmou nesta quarta-feira (02) que o Pará irá receber uma das etapas da temporada inaugural da categoria.

Programada para ter inicio no primeiro semestre de 2021, a Extreme-E, primeira competição off road com SUVs totalmente elétricos, anunciou mais um local que fará parte de seu calendário: o norte do Brasil, mais precisamente, o Pará.

Santarém foi escolhida pela Extreme-E, para expor a agravante situação da Floresta Amazônica, seja por conta do desmatamento, seja pela recentes queimadas que chamaram a atenção em todo o planeta nos últimos meses.

“Estou satisfeito em ir para a Amazônia na 1ª Temporada. O Extreme E tem como objetivo usar sua posição como um esporte revolucionário de classe mundial como ferramenta para destacar os problemas que o nosso planeta enfrenta em seus ecossistemas únicos – e há poucos locais mais relevantes nesse sentido do que a Amazônia”, declarou Alejandro Agag, fundador do Extreme-E e também da Fórmula E.

“Várias questões afetam a saúde a longo prazo da floresta tropical, como o desmatamento e os incêndios florestais entre os assuntos mais importantes neste momento. Na verdade, estive naquele lugar um mês atrás, onde vi florestas intocadas, que agora foram dizimadas pelo fogo – o que pessoalmente me causou um choque pela situação que a Amazônia enfrenta”, completou Agag.

Alejandro Agag também explicou porque escolheu a cidade de Santarém, no Pará, como o local para receber a etapa: ”Nossa corrida será realizada na região de Santarém, no estado do Pará, que já foi desmatada e severamente impactada por danos causados ​​pelos incêndios. Nosso objetivo é fornecer apoio, não apenas aos bombeiros profissionais dedicados, mas também aos moradores locais, que não possuem veículos off-road, equipamentos e treinamento especializados, enquanto se esforçam para controlar a situação e proteger suas terras.”

O acordo contou com a presença de membros do 4º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Santarém. O major Celso Piquet também comentou sobre as dificuldades em conter os problemas, e a importância de receber um evento como a Extreme-E.

“Todos os anos, durante esse período, enfrentamos incêndios nesta área e, em menos de dois meses, as chuvas vão chegar, por isso precisamos ser especialistas também na defesa contra inundações e capazes de lidar efetivamente com os dois cenários.”

“É realmente importante termos um prédio e todo o equipamento em Santarém para responder a essas situações e estabelecer um centro de combate a incêndios mais próximo das florestas. Com a ajuda do Extreme E, é algo que esperamos alcançar no futuro”, completou o major Celso Piquet.

O Pará foi o segundo local confirmado no calendário inaugural da Extreme-E. O primeiro foi a Groenlândia. Mais três locais devem ser escolhidos para integrar a primeira temporada da competição de off road elétricos. Estão sendo observados locais no Himalaia, no deserto e em uma região costeira do oceano.