Giulio Ciccone tem primeiros desafios para defender camisa amarela no Tour de France

0
Giulio Ciccone tem primeiros desafios para defender camisa amarela no Tour de France
Giulio Ciccone tem primeiros desafios para defender camisa amarela no Tour de France

 O italiano Giulio Ciccone (Trek – Segafredo) terá a tarefa de defender pela primeira vez a camisa amarela de líder na classificação geral do Tour de France nesta sexta-feira (12).

Depois das primeiras altas montanhas, a sétima etapa terá 230 km entre Belfort e Chalon-Sur-Saône e promete uma disputa em massa dos velocistas pela vitória.

O atleta da Trek – Segafredo é o terceiro líder em seis dias de competição e tomou a camisa amarela de Alaphilippe nessa quinta-feira (11), ao terminar em segundo na brutal subida de La Planche des Belles Filles.

O vencedor da etapa – a primeira de alta montanha desta edição – foi o belga Dylan Teuns (Bahrain – Merida). Os dois saíram numa grande fuga com 14 atletas que chegou a abrir 8’30’’ para o pelotão. Além dos dois, apenas Xandro Meurisse (Wanty – Gobert) resistiu até o final e finalizou na terceira colocação.

“Eu não estava feliz em ser o segundo na etapa, mas também me disseram que estava em segundo na classificação geral também. Então eu ouvi que estava na camisa amarela. Foi um momento inacreditável. Esta é a minha primeira Volta da França, mas agora tudo muda para mim. Quando era garoto, eu assistia ao Giro d’Italia e ao Tour de France na televisão e por isso é tão estranho eu estar de amarelo agora. Eu vi Contador e Schleck lutarem no Tour e Nibali no Giro. Também admiro Purito Rodriguez, por como ele andava nas subidas íngremes”, declarou Ciccone após a etapa desta quinta-feira.

No percurso mais esperado da primeira semana, foram 160,5 km entre Mulhouse e La Planche dês Belles Filles, com duas subidas de categoria 3, outras duas de categoria 2 e três de categoria 1, incluindo a chegada. Os últimos 7 km tiveram 8,7% de inclinação média, com trechos de até 24% e quase 1 km de terra, para dar mais emoção ainda.
Tim Wellens (Lotto Soudal) também saiu na fuga e abocanhou 26 pontos nas montanhas para manter a camisa branca de bolinhas vermelhas. De quebra, o belga foi eleito o atleta mais combativo do dia pela organização da prova.

 

Classificação da etapa:
1- Dylan Teuns (Bahrain – Merida): 4h29’03’’ (Bônus: 15’’)
2- Giulio Ciccone (Trek – Segafredo): +11’’ (Bônus: 14’’)
3- Xandro Meurisse (Wanty – Gobert): +1’05’’ (Bônus: 4’’)
4- Geraint Thomas (Ineos): 1’44’’
5- Thibaut Pinot (Groupama – FDJ): 1’46’’

Classificação geral:
1- Giulio Ciccone (Trek – Segafredo): 23h14’55’’
2- Julian Alaphilippe (Deceuninck – Quick-Step): 6’’
3- Dylan Teuns (Bahrain – Merida): +32’’
4- George Bennet (Jumbo – Visma): +47’’
5- Geraint Thomas (Ineos): +49’’

Classificação por pontos:
1- Peter Sagan (Bora – Hansgrohe): 144 pts
2- Michael Matthews (Sunweb): 98 pts
3- Elia Viviani (Deuceninck – Quick-Step): 92 pts

Classificação de melhor escalador:
1- Tim Wellens (Lotto Soudal): 43 pts
2- Giulio Ciccone (Trek – Segafredo): 30 pts
3- Xandro Meurisse (Wanty – Gobert): 27 pts

Classificação do melhor jovem:
1- Giulio Ciccone (Trek – Segafredo): 23h14’55’’
2- Egan Bernal (Ineos): +53’’
3- Enric Mas (Deceuninck – Quick-Step): +1’23’’

L’Etape Brasil

O Tour de France também oferece oportunidades para atletas amadores participarem da prova com a realização do L’Étape pelo mundo. A versão brasileira será disputada em 29 de setembro, na cidade de Campos do Jordão (SP), e terá até 3 mil participantes.
Com a chancela do tradicional Tour de France, o L’Étape Brasil mantém as características de uma parte da corrida francesa. Em 2018, ciclistas de todos os estados brasileiros inscreveram-se na prova, aberta também a atletas amadores.