Brasileiro pretende completar a maior travessia de paddleboard do mundo

0

Patrick Winkler encara neste domingo (30) a famosa travessia de Molokai à Oahu (M2O) no Havaí

Atleta veterano de paddleboard, Patrick Winkler está pronto para o que define como maior desafio em sua carreira na modalidade.Neste domingo (30), o brasileiro encara a famosa Travessia de Molokai à Oahu (M2O), no Havaí. São aproximadamente 58 km de uma ilha à outra utilizando apenas as mãos como forma de remo, fazendo com que o corpo seja levado ao extremo.

“Por ser um atleta veterano, controlo a ansiedade de maneira profissional, mas a ansiedade existe. Para mim será uma honra representar o Brasil. Sempre digo que o país é uma potência em todas as modalidades da ISA (International Surf Association), incluindo surf, longboard, bodyboard, SUP surf, SUP race e paddleboard. Mas a modalidade que o Brasil mais precisa melhorar em relação a performance é o paddleboard. Para mim será um prazer contribuir com esta evolução”, comenta o waterman.

Aos 39 anos, Patrick tem a missão de ser o primeiro residente no Brasil a completar o percurso, que é considerado um dos mais difíceis do mundo. Antes dele apenas o brasileiro Vitor Marçal, que mora no Havaí, participou da prova. Neste ano, a 21ª edição do M2O vai contar também com o casal de brasileiros Luciana e Fabiano Faria que  farão a prova em duplas. Patrick será o único do País que fará o percurso solo.

“O Fabiano acabou se tornando parceiro de treino aqui no Havaí, e como o objetivo é melhorar no downwind, estamos conseguindo fazer um bom trabalho juntos. Também estou fazendo treinamentos específicos com a atleta de canoa havaiana Jane Mckee, que também realizará a orientação de navegação e de nutrição no barco de apoio no dia da prova. Até o dia do evento faremos ainda um treino com o head coach da seleção dos Estados Unidos de paddleboard, Steve Shlens, uma troca de experiências muito importante na busca pela conclusão desse grande desafio”, comenta.

Sobre Patrick Winkler

Patrick Winkler é fundador da Swim Channel, e um dos pioneiros do paddleboard no Brasil. Ele conheceu o esporte em 1999, na praia de Manly, em Sydney na Austrália. Depois disso, trouxe a prancha para o país, que acabou guardada por algum tempo. No ano de 2011 passou a praticar o Stand up paddle, no club Matero na Raia da USP, e posteriormente retomou a remada com o paddleboard, esporte que utiliza apenas as mãos para a remada.

O atleta, que já conquistou inúmeros títulos no paddle, tem como patrocinadores e apoiadores a Ítaca Esportes, Suntech, Mormaii e Tomtom.