Home Tags Posts tagged with "tênis"

tênis

Nos 25 anos de Qatar ExxonMobil Open, Doha assistirá uma final histórica envolvendo os dois maiores nomes do tênis da atualidade. O duelo inédito no Qatar marcará mais um encontro entre o número 1 do mundo, Andy Murray e o número 2, Novak Djokovic. A final será transmitida para o Brasil pelo canal Bandsports, às 13 horas, horário de Brasília.  Na primeira semifinal da noite, Novak Djokovic sofreu para passar pelo espanhol Fernando Verdasco. Djokovic não apenas perdeu o primeiro set, como salvou cinco match points durante o jogo contra o instável Verdasco, que desperdiçou chances claras de vencer e garantir a classificação para a final deste sábado. A vitória 4-6, 7-6(7), 6-3 foi uma das maiores viradas da carreira de Djokovic, que fará neste sábado sua segunda final seguida no Qatar. Em 2016, Djokovic venceu Rafael Nadal na final do Qatar ExxonMobil Open por fáceis 6-1 e 6-3.

Já Murray passou sem sustos por Tomas Berdych, por 6-3 e 6-4 e ampliou sua série invicta no ATP World Tour para 28 jogos consecutivos. Em 2016, o duelo aconteceu em cinco ocasiões e todas elas valeram título.  Neste retrospecto, Djokovic está na frente por 3 a 2, sendo dois Grand Slams (Aberto da Austrália e Roland Garros) e o Masters 1000 de Barcelona. Murray venceu o ATP Masters 1000 de Roma e o ATP Finals. No último encontro, em partida que fechou a temporada de 2016, Murray venceu Djokovic no ATP Finals por 6-3 e 6-4. O título valeu o posto de número 1 do mundo ao britânico.

DUPLAS – Nas final das duplas, os franceses Jeremy Chardy e Fabrice Martin venceram os cabeças de chave número 3 do torneio Vasek Pospisil (Canadá) e Radek Stepanek (República Checa) por 6-4, 7-6. Este é o primeiro título da dupla francesa, que faturou US$ 67,140 e 250 pontos no ranking da ATP World Tour.

A Agência OnboardSports cobre com exclusividade o Qatar Tennis Qatar ExxonMobil Open 2017 para o Brasil em parceria de conteúdo com a Qatar Tennis Federation.
Contato em Doha: Edu Passos, edu@sportsmarketing.com.br. O Qatar ExxonMobil Open 2017 conta com o patrocínio de ExxonMobil, Masraf Al Rayan, Es’hailSat, Qatar Airways, Ooredoo e Qatar Duty Free. Direito autoral de imagens cedido pela QTF – Qatar Tennis Federation.
Siga as redes sociais oficiais do torneio:
Instagram: @QatarTennis
Twitter: @QatarTennis
Facebook: www.facebook.com/qatartennis

Após duas boas vitórias em Doha, Bruno Soares e Jamie Murray foram eliminados do Qatar ExxonMobil Open 2017. Contando com boa presença de público na quadra 1, que enfrentou o já temido vento frio do deserto, os cabeças de chave do torneio de duplas foram eliminados pelos franceses Jeremy Chardy e Fabrice Martin, por 7/6(3), 7/6(6).

Em duelo de muito equilíbrio, ambos os sets foram decididos em pequenos detalhes no “tie break”. Com o forte vento atrapalhando ambas as duplas, muitos erros não forçados foram cometidos durante a partida. Os franceses com um serviço mais eficiente levaram a melhor.

A dupla número 1 do mundo completa um ano de parceria fixa em Doha e repete o resultado de 2016, quando caiu para os espanhóis Feliciano Lopez e Marc Lopez. Na ocasião, a dupla espanhola conquistou o título do torneio. Os franceses não figuravam entre os favoritos ao título e surpreenderam os atuais campeões do Australian Open e US Open.

Chardy, que também disputou a chave de simples do Qatar ExxonMobil Open 2017, atualmente ocupa atualmente o posto 105 entre as duplas e Martin é o número 37.

Agora Murray e Soares embarcam para a Austrália com o foco no bicampeonato do Australian Open e depois seguem para Rio de Janeiro focando a disputa do Rio Open.

Em 2016, Soares também conquistou a façanha de vencer o torneio de duplas mistas, ao lado da russa Elena Vesnina. Com o resultado, Murray e Soares somam 90 pontos no ranking do ATP World Tour, mais a premiação de US$ 19,130.

A Onboard Sports cobre com exclusividade o Qatar ExxonMobil Open 2017 para o Brasil em parceria de conteúdo com a Qatar Tennis Federation. Contato em Doha: Eduardo Passos, edu@sportsmarketing.com.br. O Qatar ExxonMobil Open 2017 conta com o patrocínio de ExxonMobil, Masraf Al Rayan, Es’hailSat, Qatar Airways, Ooredoo e Qatar Duty Free. Direito autoral de imagens cedido pela QTF – Qatar Tennis Federation.

Siga as redes sociais oficiais do torneio:
Instagram: @QatarTennis
Twitter: @QatarTennis
Facebook: www.facebook.com/qatartennis

Jogando por uma vaga na semifinal do Qatar ExxonMobil Open 2017, a dupla Jamie Murray (Grã-Bretanha) e Bruno Soares (Brasil) encontrou muitas dificuldades para vencer os experientes Marrero (Espanha) e Zimonjic (Sérvia), com parciais de 7-5, 4-6 e 10-4.

Apesar de Marrero ocupar a 41ª posição no ranking do ATP World Tour e Zimonjic ser apenas o número 61, ambos já ocuparam posições de destaque no circuito no ranking de duplas. O espanhol de 36 anos ocupou a 5ª colocação no ranking em 2013 e Zimonjic, atualmente com 40 anos já ocupou o 1º lugar em 2008.

O equilíbrio esperado persistiu durante toda a partida. Com o saque quebrado logo no início de jogo e uma série de erros não forçados, a dupla cabeça de chave 1 do torneio precisou de muita paciência para igualar o placar em 5 a 5, até fechar o set com ótimas devoluções de fundo de quadra.

O mesmo equilíbrio continuou no segundo set. Errando menos e contando com os saques poderosos de Zimonjic, a dupla venceu por 6-4, levando o jogo para o Match Tie-Break.

Mesmo saindo perdendo por 0-2, o melhor momento de Murray e Soares prevaleceu e a dupla número 1 do mundo venceu por 10-4, fechando o jogo em equilibrados 2 sets a 1.

Na semifinal, a dupla Murray e Soares enfrentará os franceses Chardy e Martin, que venceram Inglot (Grã Bretanha) e Mergea (Romênia) também em jogo de bastante equiíbrio, com parciais de 6-3, 6-7(5) e 10-7.

Na outra semifinal, os cabeças de chave número 3 do torneio Pospisil (Canadá) e Stepanek (República Checa) enfrentarão os espanhóis Almagro e Verdasco.

Ambos os espanhóis também se classificaram para as quartas de final de simples do torneio do Qatar.

Os campeões do torneio de duplas vão conquistar 250 pontos e dividirão um cheque de US$ 67 mil.

Confira todos os resultados do terceiro dia do Qatar ExxonMobil Open 2017:

Chave de Simples – Segunda Rodada
[1] A. Murray (Grã-Bretanha) venceu G. Melzer (Áustria) 76(6) 75
[2] N. Djokovic (Sérvia) venceu H. Zeballos (Argentina) 63 64
[3] T. Berdych (República Checa) venceu J. Vesely (República Checa) 76(5) 16 61
F. Verdasco (Espanha) venceu [4] D. Goffin (Bélgica) 61 76(6)
[5] J. Tsonga (França) venceu D. Brown (Alemanha) 61 63
[6] I. Karlovic (Croácia) venceu K. Khachanov (Rússia) 76(3) 76(3)
N. Almagro (Espanha) venceu [7] P. Kohlschreiber (Alemanha) 76(5) 76(6)
[Q] R. Stepanek (República Checa) venceu [WC] A. De Greef (Bélgica) 63 62

Chave de Duplas – Quartas de Final
[1] J. Murray (Grã Bretanha) / B. Soares (Brasil) venceu D. Marrero (Espanha) / N. Zimonjic (Sérvia) 75 46 10-4
[3] V. Pospisil (Canadá) / R. Stepanek (República Tcheca) venceu [PR] R. Haase (Holanda) / P. Petzschner (Alemanha) 63 63
J. Chardy (França) / F. Martin (França) venceu [4] D. Inglot (Grã Bretanha) / F. Mergea (Romênia) 63 67(5) 10-7
N. Almagro (Espanha) / F. Verdasco (Espanha) d F. Bagnis (Argentina) / J. Vesely (República Checa) 75 76(4)

A Onboard Sports cobre com exclusividade o Qatar ExxonMobil Open 2017 para o Brasil em parceria de conteúdo com a Qatar Tennis Federation. Contato em Doha: Eduardo Passos, edu@sportsmarketing.com.br. O Qatar ExxonMobil Open 2017 conta com o patrocínio de ExxonMobil, Masraf Al Rayan, Es’hailSat, Qatar Airways, Ooredoo e Qatar Duty Free. Direito autoral de imagens cedido pela QTF – Qatar Tennis Federation.

Siga as redes sociais oficiais do torneio:
Instagram: @QatarTennis
Twitter: @QatarTennis
Facebook: www.facebook.com/qatartennis

Entrando em quadra como a dupla número 1 do mundo, Jamie Murray e Bruno Soares tiveram ótimo desempenho contra os experientes Marcos Baghdatis (Chipre) e Marcin Matkowski (Polônia), vencendo com parciais de 6-3 e 6-1, na tarde desta terça-feira (3). Apesar de forte início da dupla adversária, a consistência do jogo de Murray e Soares prevaleceu. Com atuação sólida na rede e cometendo poucos erros, Jamie e Bruno seguem no ExxonMobil Open 2017.

Em 2016, a dupla que hoje completou um ano de parceria fixa, foi eliminada na semifinal em Doha, perdendo para os espanhóis Feliciano Lopez e Marc Lopez, que venceram o torneio.O próximo confronto de Murray e Soares em Doha será nesta quarta-feira (4) contra David Marrero (Espanha) e Nenad Zimonjic (Sérvia). O jogo é válido pelas quartas de final do torneio, com premiação de US$ 67 mil aos vencedores.

O brasileiro Bruno Soares falou sobre o resultado na primeira rodada

Hoje você completa um ano de parceria fixa com Jamie Murray. A parceria começou justamente aqui em Doha no ano passado. Vocês tiveram um ótimo ano em 2016, com conquistas memoráveis. É possível prospectar algo ainda maior em 2017?

A situação é diferente, mas a expectativa é a mesma. No ano passado era o início de uma parceria, mas a gente sabia do nosso potencial e que era possível jogar bem aqui. Um ano depois temos essa certeza. Conquistamos grandes resultados no ano passado, terminamos como o número 1 e dois Grand Slams no currículo. Agora é continuar evoluindo. Temos ainda muito a evoluir como dupla e estamos jogando bem. Hoje, como o primeiro jogo do ano, conseguimos jogar bem. O resultado de agora não é tão importante, mas a preparação é o foco, já que a temporada é longa. Fico feliz com tudo o que está acontecendo. Hoje temos uma responsabilidade maior nas costas, mas também uma tranquilidade de saber que a gente alcançar grandes coisas.

Doha está longe da rota do Australian Open, torneio que vocês venceram no ano passado. Ter vencido o Grand Slam iniciando a temporada em Doha no último ano influenciou a escolha de iniciar o ano por aqui?

Tem alguns anos que venho a Doha. Gosto bastante de vir pra cá. Acho que a estrutura é muito boa. São muitas quadras à disposição, o que não teríamos esta semana na Austrália. É possível treinar bastante em uma semana do ano que todo mundo quer treinar muito. Brisbane é um torneio com homens e mulheres, o que dificulta o uso das quadras para treinamento. Aqui a gente fica bem à vontade. Também contamos com um voo direto vindo de São Paulo (15 horas), e que apesar de ser longe facilita muito a viagem. Desde 2012 venho pra cá e gosto bastante de começar o ano por aqui. Depois vou direto para a Austrália.

Como foi sua virada de ano no Qatar?

Fiquei quieto no hotel. Até pensei em sair e ir para algum restaurante para celebrar, mas acabei dormindo. Jamie estava cansado e senti um pouco o fuso horário. Acabei falando com a família pela internet e fui dormir. São “ossos do ofício”.

E a expectativa para as quartas de final de amanhã contra a dupla David Marrero (Espanha) e Nenad Zimonjic (Sérvia)?

Apesar de ser um torneio 250, toda parada é dura. Sempre o torneio é de altíssimo nível e pegaremos uma dupla experiente. São dois caras que já conquistaram grandes resultados na carreira. O foco não são resultados imediatos, mas é claro que a gente quer ganhar. O foco agora é a preparação e o que virá pela frente. Temos um Grand Slam daqui algumas semanas e temos que continuar jogando bem. Hoje fizemos uma grande partida e espero que a gente continue no mesmo nível, concluiu Bruno Soares.

A Onboard Sports cobre com exclusividade o Qatar ExxonMobil Open 2017 para o Brasil em parceria de conteúdo com a Qatar Tennis Federation. Contato em Doha: Eduardo Passos, edu@sportsmarketing.com.br. O Qatar ExxonMobil Open 2017 conta com o patrocínio de ExxonMobil, Masraf Al Rayan, Aspetar, Es’hailSat, Qatar Airways, Ooredoo, Nike e Qatar Duty Free. Direitos autorais de imagens cedidos pela QTF – Qatar Tennis Federation.

Siga as redes sociais oficiais do torneio:
Instagram: @QatarTennis
Twitter: @QatarTennis

Foto: QTF

Em um país que não mede esforços financeiros para ganhar espaço no mundo esportivo, o já tradicional Aberto de Doha completa 25 anos de existência. Apesar da atual crise do petróleo, o Qatar ExxonMobil Open insiste na estratégia de apostar em grandes estrelas, diversas atrações para o público e uma estrutura que só é vista nos torneios mais consagrados no circuito do ATP World Tour.

No país que sediará a Copa do Mundo da FIFA em 2022 e o Mundial de Atletismo em 2019, os eventos esportivos se transformaram no cartão de visitas do Qatar e o Aberto de Doha é sem dúvida um dos maiores atrativos do ano.
A resposta do público local é positiva. Ao contrário de outros eventos no país que não contam com apoio popular, mesmo com a entrada franca e ações promocionais agressivas, o Qatar ExxonMobil Open é o único evento esportivo no Qatar com todos os ingressos vendidos para os jogos finais e conta com ótima presença de público durante a semana de torneio nas quadras do Khalifa International Tennis and Squash Complex.

Comemorando sua 25ª edição, o torneio ganhou sua maturidade. No ano de 1993, a primeira edição teve o alemão Boris Becker como vencedor, batendo o croata Goran Ivanisevic e levantando o primeiro “Falcão Dourado” da história. Nestes 25 anos muita coisa mudou e o torneio evoluiu.

O sucesso da empreitada atualmente passa pelas mãos de dois ex-tenistas. O marroquino Karim Alami, rival de Gustavo Kuerten nos tempos de jogador é o diretor do torneio. A gestão da federação também tem o comando de Nasser Bin Ghanim Al-Khelaifi, ex-membro da Seleção de tênis do Qatar e capitão do país em Copas Davis nos anos 90.

Al-Khelaifi é um famoso empresário de sucesso no mundo dos esportes. Além de administrar o tênis no Qatar, comanda o clube de futebol Paris Saint-Germain e é proprietário de um dos maiores conglomerados de mídia esportiva do mundo, a BeIn Sports.
A quadra central, inaugurada pelo Emir HH Sheikh Hamad bin Khalifa Al Thani em 1993 com a capacidade inicial de 4,500 lugares recentemente foi ampliada para 7,000. Além das novas arquibancadas, o complexo também ganhou camarotes, três setores para expectadores, áreas VIP, espaços corporativos e praças de alimentação.

Mesmo na contramão da rota do Australian Open e de outros torneios na Oceania que antecedem o primeiro Grand Slam do ano, Doha aposta na estrutura de quadras, no bom atendimento aos atletas e principalmente na premiação, que atinge níveis de “Masters 1000”. Atualmente todo o complexo oferece 20 quadras de excelente qualidade, que são abertas ao público durante todo o ano.

Outro diferencial que visa atrair os jogadores que disputarão o Australian Open é a mudança do piso das quadras de todo o complexo para Plexicushion, o mesmo utilizado nas quadras da Austrália. As bolas do torneio também são as mesmas do primeiro Grand Slam do ano.

Murray, Djokovic e mais 30.
Desde 1993, o Qatar ExxonMobil Open é um dos torneios mais atrativos do calendário do ATP World Tour. Organizado pela Federação de Tênis do Qatar, o torneio oferece a maior premiação entre os torneios 250. Com um total de US$ 1.2 milhão em prêmios e US$ 210 mil ao campeão. A premiação para a dupla campeã será USS$ 68 mil.

Sem a presença de brasileiros na chave principal, Bruno Soares é o destaque entre as duplas. O cabeça de chave número 1 do torneio é muito respeitado pela organização e aclamado pelo público local, ao lado de seu parceiro Jamie Murray. Tanto que este ano Soares foi escolhido pela organização do evento, ao lado de seu parceiro Murray, como os mestres de cerimônia na festa de gala organizada para patrocinadores.

Já é uma tradição entre os jogadores comemorarem o ano novo em Doha. Neste ano, Andy Murray e Novak Djokovic encabeçam um grupo seleto e apesar das ausências de Roger Federer e Rafael Nadal, dois jogadores que já venceram o torneio e frequentemente iniciavam a temporada em Doha, os postulantes ao título são muito bem qualificados.

Tomas Berdych, David Goffin e Jo-Wilfried Tsonga correm por fora pela conquista do Falcão Dourado. Isso sem contar o fato que as zebras costumam ser frequentes em Doha. Por ser o primeiro torneio da temporada, Doha costuma apresentar algumas surpresas.

A maior delas foi proporcionada pelo atual diretor geral do torneio, Karim Alami. Em 1994, o marroquino venceu Pete Sampras, número 1 do mundo na ocasião e desde então virou uma lenda dos torcedores árabes em Doha.
Mais recentemente em 2015, o gigante Ivo Karlovic eliminou o também número 1 do mundo Novak Djokovic.

Dados Técnicos
Chave Principal – De 2 a 7 de janeiro de 2017.
Diretor do Torneio – Karim Alami
Local – Khalifa International Tennis & Squash Complex
Piso – Plexicushion Prestige
Bolas – Wilson Australian Open
Premiação Total – USD 1,237,190

A Onboard Sports cobre com exclusividade o Qatar ExxonMobil Open 2017 para o Brasil em parceria de conteúdo com a Qatar Tennis Federation. Contato em Doha: Eduardo Passos, edu@sportsmarketing.com.br. O Qatar ExxonMobil Open 2017 conta com o patrocínio de ExxonMobil, Masraf Al Rayan, Aspetar, Es’hailSat, Qatar Airways, Ooredoo, Nike e Qatar Duty Free. Direitos autorais de imagens cedidos pela QTF – Qatar Tennis Federation.

Siga as redes sociais oficiais do torneio:
Instagram: @QatarTennis
Twitter: @QatarTennis
Facebook: www.facebook.com/qatartennis

Foto: QTF

Carla Suárez Navarro é a campeã do Qatar Total Open 2016, após bater na grande final do torneio a jovem Jelena Ostapenko da Letônia por 1-6, 6-4, 6-4, em uma hora e 51 minutos.

Com o desempenho em Doha, Suárez Navarro conquistou 900 pontos no ranking e saltará do 11º posto da WTA para o 6º lugar, o que representa o melhor momento em sua carreira.

A fase da espanhola é realmente muito especial. Este é o primeiro título WTA Premier 5, o que renderá a premiação de US$ 518,500.

Em nove finais, a dona do potente backhand havia conquistado apenas um título, em Oeiras 2014.

Apesar da derrota, Jelena Ostapenko entrará para o grupo das 40 melhores do mundo. A letã de 18 anos começou a semana como 88º no ranking da WTA.

Jelena Ostapenko começou a partida parecendo que atropelaria Suárez Navarro. Quebrando com facilidade o serviço da espanhola e servindo com muita potência, venceu o primeiro set por 6-1.

Só que a experiência de Carla falou mais alto. A espanhola passou a errar menos e equilibrou o jogo. Por outro lado, Ostapenko perdeu o foco e sentiu a pressão da final. Com um total de 47 erros não forçados, contra 25 da espanhola, o jogo mudou de figura, mesmo com a agressividade de Ostapenko que teve 35 winners, contra apenas 9 da espanhola.

Após o jogo, Suárez Navarro falou sobre a semana em Doha: “Comecei um pouco nervosa e ela estava muito bem. Não é fácil jogar desse jeito e eu perdi o primeiro set. Acreditei, lutei, corri e finalmente eu ganhei. É incrível. Um sonho se realizando. Eu estava no ano passado no top 10, mas nunca top 6. Este sem dúvida é um feito especial. O torneio foi muito difícil. As melhores jogadoras do mundo estavam aqui. Você precisa jogar todos os dias e não é fácil. Eu já perdi muitas finais, mas as vitórias me deram confiança. Estou muito feliz e animada com tudo que aconteceu em Doha.”

O canal BandSports transmite o VT da final do WTA de Doha para o Brasil, às 23 horas deste sábado.

Nas duplas, as meninas de Taipei levaram a melhor

Momentos após a conquista no torneio de simples, a campeã Carla Suárez Navarro voltou à quadra central do Khalifa International Tennis & Squash Complex para mais uma decisão. Ao lado de Sara Errani da Itália, enfrentou a dupla de Taipei, Hao-Ching Chan / Yung-Jan Chan.

As asiáticas, cabeças de chave 4 do torneio e especialistas em duplas, fizeram um jogo perfeito e venceram por duplo 6-3. Com o título, a dupla Chan / Chan dividirá US$ 148,300.

O Qatar Total Open 2016 é um torneio WTA de categoria Premier 5 com premiação de US$ 2,818,000 e conta com a cobertura exclusiva para o Brasil da Onboard Sports, em parceria com a QNQ Sports Marketing. Informações adicionais e contato no Qatar com Eduardo Passos

 DOHA – Onboard Sports / QNQ –  Rafael Nadal e Novak Djokovic farão neste sábado (9 de janeiro) a grande final do Qatar ExxonMobil Open 2016, com transmissão ao vivo no Brasil pela Bandsports, às 13 horas, horário de Brasília. O primeiro grande confronto do ATP World Tour em 2016 será o 46° encontro entre duas das maiores lendas do esporte, com um incrível equilibrio de 23 vitórias para cada um.

A última vitória de Nadal no confronto foi no Aberto da França em 2014, com parciais de 3-6, 7-5, 6-2 e 6-4. Desde então, nos quatro encontros seguintes em 2015, Djokovic levou a melhor em todos, inclusive com uma avassaladora vitória de 6-3 e 6-3, no último ATP World Tour Finals, em novembro.

Os ingressos para a final do evento estão todos vendidos desde a última semana e haviagrande expectativa para o encontro entre estes dois nomes do tênis em Doha, o que não ocorreu em 2015, quando Nadal e Djokovic foram eliminados precocemente do torneio.

Favoritos passam sem problemas pelas semifinais

 Rafael Nadal simplesmente não deu chances para a grande surpresa do torneio, o ucraniano de 29 anos Illya Marchenko. O duelo entre o cabeça de chave número 2 e o atual 97 do mundo foi marcado pela superioridade do espanhol, que deu poucas chances ao rival. No único break point que teve no primeiro set, Marchenko não conseguiu aproveitar. Para o azar do ucraniano, esta foi a única chance de quebra durante toda a partida.

Por outro lado, Rafael Nadal teve quatro chances para quebrar o serviço do adversário no primeiro set e aproveitou duas delas, fechando por 6-3. No segundo set, Nadal continuou dominando o jogo e com 57% dos pontos conquistados, quebrou outro serviço do ucraniano e fechou o jogo em 6-4 para uma tranquila vitória.

Pelo outro confronto das semis, Novak Djokovic enfrentou o cabeça de chave número 3, Tomas Berdych e obteve a classficação para a grande final de Doha sem muitas dificuldades.

Com parciais de 6-3 e 7-6(3), Djokovic obteve sua vitória de número 22, em 24 confrontos contra o rival da República Tcheca e tentará neste sábado conquistar seu primeiro título do ATP 250 de Doha.

 Dupla espanhola conquista o título em Doha

 Abrindo a programação do dia na quadra central, Feliciano López e Marc López conquistaram o título do torneio de duplas do Qatar ExxonMobil Open, ao vencerem Philipp Petzschner (Alemanha) / Alexander Peya (Áustria), por 6-4 e 6-3.

Com o título em Doha, os espanhóis faturaram 250 pontos no ranking do ATP World Tour e US$ 64,420.

O Qatar ExxonMobil Open 2016 conta com a cobertura exclusiva para o Brasil da Onboard Sports, em parceria com a QNQ Sports Marketing. Informações adicionais e contato em Doha – Eduardo Passos, +974 3322-6097 edu@sportsmarketing.com.br.

 

 

DOHA – Onboard Sports / QNQ – Oito jogos definiram os classificados para as quartas de final do Qatar ExxonMobil Open 2016, que viu os favoritos ao título Novak Djokovic e Rafael Nadal eliminando seus adversários com imponência e sem dificuldades, na quadra central em Doha, no Qatar.

O cabeça de chave 1 do torneio, venceu o 49° do mundo Fernando Verdasco, com duplos 6-2. Abusando dos winners e com pouquíssimos erros, o sérvio manteve-se superior ao adversário durante toda a partida.

Rafael Nadal venceu, desta vez sem sustos, o ótimo sacador holandês Robin Haase, por 6-3 e 6-2. Mesmo com oito aces contra apenas um, o holandês viu seu serviço ser quebrado por três vezes e não chegou a ameaçar o espanhol durante o jogo. Nadal, número 5 do mundo e cabeça de chave 2 do torneio segue firme na competição e busca vaga para a semifinal nesta quinta-feira.

Outros Jogos

Após eliminar na primeira rodada o atual campeão David Ferrer, llya Marchenko da Ucrânia continua em ótima fase. Desta vez, venceu com facilidade o russo Teymuraz Gabashvili por 6-4 e 6-2 e jogará com o vencedor do duelo dos franceses, que teve Jeremy Chardy como vencedor, eliminando seu parceiro no torneio de duplas Paul-Henri Mathieu, com parciais de 6-2 e 6-4.

Correndo por fora, o argentino Leonardo Mayer eliminou o cansado Pablo Andujar por 6-2 e 6-4 e enfrentará o grande favorito ao título, o sérvio Novak Djokovic.

Outro jogador que tentará surpreender nesta quinta-feira é o russo Andrey Kusnetsov, que bateu o lituano Ricardas Berankis por 7-6(6) e 6-1 e terá pela frente Rafael Nadal.

Vindo do qualificatório, Kyle Edmund venceu jogo duríssimo contra o espanhol Muñoz De La Nava, por 5-7, 6-3 e 7-6(3) e enfrenta o  Tomas Berdych, que despachou Damir Dzumhur por 6-0 e 6-4 no jogo de fundo do dia.

Murray / Soares vencem mais uma e jogam semifinal amanhã

Em um jogo muito complicado, vindo atrás do placar em ambos os sets, a dupla formada pelo britânico Jamie Murray e o brasileiro Bruno Soares venceu os fortes franceses Chardy / Mathieu, por 7-6(5) e 6-4.

Com o resultado, a dupla com o único brasileiro restante na competição, jogará nesta quinta-feira, por uma vaga na final do Qatar ExxonMobil Open 2016, contra os espanhóis Feliciano e Marc López.

Mostrando muita matruridade dentro de quadra e sabendo superar momentos difíceis na partida, Soares e Murray conseguiram mostrar um jogo muito consistente na rede, ganhando pontos dos adversários em erros forçados, com um bom aproveitamento de saque e devoluções que causaram problemas durante todo o jogo aos franceses.

Logo após a vitória, Bruno Soares comentou com detalhes sua segunda vitória no Qatar ExxonMobil Open:

Quais os fatores que determinaram a vitória contra essa difícil dupla da França?

Buno Soares – Foi o que eu falei ontem. Aqui não têm jogo fácil. Foi jogo de fundo deles, contra a nossa rede. Eles são dois caras com muita qualidade no fundo de quadra. Começaram muito bem, jogando muito pesado. Achei que a gente sacou bem, apesar de ter sofrido duas quebras. Elas foram mais por mérito deles, do que por não termos sacado tão bem. O mais importante foi a gente ter ficado concentrado. Conseguimos voltar nos dois sets com quebras abaixo. Jogamos um grande tie-break no primeiro set e no segundo terminamos muito bem. Jogamos dois belíssimos games no 4 a 4. É isso. Mais um jogo um pouquinho mais entrosado que ontem e agora é concentrar para a semifinal de amanhã.

A semi já está definida. Será contra os Feliciano e Marc López. O que você espera para o confronto de amanhã?

Bruno Soares – É uma dupla nova também. Não dá pra saber o que esperar. Eles jogaram na mesma hora que a gente e não consegui ver nada, mas conheço bem os dois individualmente. Cada um com sua qualidade. O Feliciano é um grande sacador e voleia muito bem, já o Marc é um cara mais habilidoso. Tem uma das melhores direitas do circuito e é muito bom no fundo da quadra. Agora, mais uma vez, temos que montar nossa estratégia e procurar fazer o nosso jogo bem.

O Qatar ExxonMobil Open 2016 conta com a cobertura exclusiva para o Brasil da Onboard Sports, em parceria com a QNQ Sports Marketing. Contato em Doha – Eduardo Passos, +974 3322-6097 edu@sportsmarketing.com.br.

DOHA – OnboardSports / QNQ – Quatorze jogos movimentaram o segundo dia do ATP 250 de Doha, com dois brasileiros na chave de duplas brigando por uma vaga nas quartas de final. O frio e o vento do deserto também marcaram presença nas quadras da Federação de Tênis do Qatar, que teve o último jogo finalizado às 0:40 desta quarta-feira.

Rafael Nadal, cabeça de chave 2 do torneio, levou um susto e perdeu o primeiro set para o compatriota Carreno Busta. Com muitos erros não forçados e um nervosismo aparente, o espanhol colocou as coisas no lugar nos sets seguintes, virando a partida e fechando o jogo com parciais de 6-7(5), 6-3 e 6-1.

Já o atual campeão David Ferrer não teve a mesma sorte. Após um bom começo e a vitória no primeiro set, o espanhol não foi páreo para o inspirado ucraniano Illya Marchenko, que venceu por 6-7(8), 6-3, 6-2.

Outro candidato ao título, Tomas Berdych passou, desta vez sem problemas pelo ucraniano Sergiy Stakhovsky em sets diretos, 7-5 e 6-4. O tenista da República Checa apresentou um tênis consistente e com poucos erros, prosseguindo na competição.

No último jogo da noite, Fernando Verdasco fez uma partida extremamente intensa contra o convidado Malek Jaziri da Tunísia e venceu por 7-6(4), 7-6(4).

Os outros vencedores na chave de simples, credenciados às quartas de final são: Pablo Andujar (Espanha), Leonardo Mayer (Argentina), Paul-Henri Mathieu (França) e Berankis (Lituânia).

Duplas: Murray e Soares começam com o pé direito, Sá cai em sets diretos

Enquanto Rafael Nadal se apresentava no estádio central da QTF, contra o compatriota Carreno Busta, os duplistas brasileiros iniciavam simultaneamente mais uma temporada do ATP World Tour nas quadras auxiliares.

Jogando na quadra 1, André Sá e o austríaco Julian Knowle enfrentaram dois jogadores eliminados na chave de simples. Com um serviço muito eficiente e boas devoluções, a dupla do italiano Simone Bolelli e o ucraniano Sergiy Stakhovsky prevaleceu num primeiro set muito equilibrado.

Mesmo com a vantagem de 5-3 e o saque à favor, o time de Knowle e Sá teve o serviço quebrado por mais duas vezes.

Ainda com chances no tie- break e três set points salvos, Bolelli e Stakhovsky venceram por 7-6(6).

No segundo set, os rivais da dupla do brasileiro abriram vantagem de 5-0 e fecharam o jogo tranquilamente em 6-1.

Já Bruno Soares entrou em quadra número 3 com grande expectativa. Ao lado do novo parceiro Jamie Murray, a dupla soube controlar bem o jogo e venceu sem problemas os rivais Albot (Moldávia) e Klizan (Eslováquia), por 6-3 e 6-3.

Com o resultado, a dupla do representante brasileiro terá um duro duelo com os franceses Chardy e Mathieu, que também se enfrentam na chave de simples nesta quarta-feira.
Comentários de Bruno Soares sobre a vitória na primeira rodada em Doha

Esta parceria pode ser considerada como um novo casamento? Estamos acompanhando aqui em Doha a “lua de mel” da dupla Bruno Soares e Jamie Murray?

Bruno Soares – É realmente como um casamento. Ele vem de uma parceria muito longa de mais de três anos. Somos grandes amigos no circuito. Agora precisamos trabalhar juntos em cima de nosso jogo, que tem grande potencial para se encaixar. Fizemos uma pré-temporada muito boa, mas separados. Temos que desenvolver este entrosamento e melhorar como dupla dentro de quadra. Estamos jogando muito bem individualmente. Agora precisamos ficar mais sólidos. Estou bastante empolgado com o que virá pela frente.

E as condições climáticas em Doha?

Bruno Soares – Este ano está um pouco diferente do normal. O frio já estou acostumado. No primeiro ano que estive aqui fez muito frio. No ano passado, também alguns tivemos alguns dias bem gelados, mas aqui à noite é sempre assim. A temperatura cai bastante. Durante o dia fez bastante calor, só que este ano está um pouco abaixo da média, mas é normal.

O Qatar ExxonMobil Open é um torneio ATP 250 que supera a premiação de alguns torneios do ATP500. Comparando com os outros torneios do circuito, como você analisa este torneio no Qatar?

Bruno Soares – Gosto muito deste torneio. Acho que provavelmente é o melhor 250. Eles fazem um grande trabalho. O Karim Alami e a equipe conseguem lidar bem com a parte política, os locais, patrocinadores. Ele foi um grande jogador e conhece muito bem as necessidades dos jogadores. Existe uma amizade e uma relação muito boa com todo mundo. Ele sabe levar bem esses dois lados. Acho que o pessoal aqui faz um grande trabalho. Eu adoro este torneio. Desde a primeira vez que estive aqui. É um torneio que eu quero começar o ano. As condições aqui são excelentes. Eles proporcionam todas as condições para a gente continuar nossa pré-temporada e trabalhar. São muitas quadras disponíveis e o pessoal é muito atencioso. Gosto muito de tudo, a comida sempre muito boa, bons hotéis, tudo organizado e acho que isso é importante para os jogadores. Sem contar que a premiação é um fator muito bacana, que motiva o pessoal a vir pra cá também.

Amanhã vocês enfrentam a dupla dos franceses Jeremy Chardy e Paul-Henri Mathieu. O que você espera desse jogo?

Bruno Soares – Conheço bem. O Mathieu faz tempo que não jogo contra, mas contra o Chardy joguei várias vezes. São dois jogadores perigosos. Chardy é muito forte, bate muito forte e joga muito rápido. Tem uma direita muito pesada e saca muito bem. É o tipo de jogador perigoso. Quando está num dia inspirado, ele consegue te ganhar sozinho, sem dar muitas chances. Consegue dar winner de tudo quanto é lado. Já o Mathieu é um jogador muito consistente. Típico francês talentoso, tem um tempo de bola muito bom e devolve super bem. Aqui não tem jogo fácil. Tem que entrar na quadra e jogar o melhor.
André Sá comenta sua eliminação precoce em Doha

Vocês tinham 5-3 com o saque e não conseguiram fechar o primeiro set. Qual sua análise do jogo?

André Sá – Dupla geralmente é assim mesmo. Tivemos um bom começo. Estávamos jogando bem, devolvendo bem e sacando bem também. Só na “hora h” que a gente jogou mal e não conseguiu fechar o primeiro set. Sacamos com 5 a 3, tivemos a chance e eles jogaram bem os pontos. Mesmo no tie-break ficamos muito perto de fechar, perdemos por 8 a 6, mas isso é normal nas duplas. No segundo set, deixamos cair a energia e os caras abriram logo 5-0. Bobeamos no início do segundo set e isso custou o jogo.

É seu primeiro ano em Doha. O que achou do torneio?

André Sá – Estou muito impressionado com tudo. O hotel é fantástico, a estrutura de vestiário, as quadras de treino, o almoço, o players lounge. Tudo muito confortável e uma estrutura perfeita. E o Karim (Karim Alami, Diretor o Torneio), foi jogador, sabe como os jogadores gostam de ser tratados e esta atenção especial aos tenistas. Me arrependo de não ter vindo antes.

Quais os próximos torneios para a temporada?

André Sá – Amanhã embarco para Auckland, na Nova Zelândia. Depois já parto para o Melbourne, para o Australian Open. Aí volto pro Brasil e começa a temporada da América do Sul. Teremos Quito, Buenos Aires, Rio e São Paulo.

Você terá um parceiro fixo nos jogos no Brasil?

André Sá – Meu parceiro fixo é o australiano Chris Guccione, que estará comigo em Auckland e no Australian Open. Só que ele não joga muito no saibro e a América do Sul é um pouco longe pra ele. Ele vai para os Estados Unidos, enquanto vou jogar Buenos Aires, Rio e São Paulo com o Máximo González, que venceu comigo o ATP de Umag na Croácia, no ano passado.

 

Programação da Quarta-feira

Quadra Central

[7] Jeremy Chardy (FRA) x Paul-Henri Mathieu (FRA)

[1] Novak Djokovic (SRB) x Fernando Verdasco (ESP)

Robin Haase (NED) x [2] Rafael Nadal (ESP)

[3] Tomas Berdych (CZE) x Damir Dzumhur (BIH)
Quadra 1

Teymuraz Gabashvili (RUS) x Illya Marchenko (UKR)

Ricardas Berankis (LTU) x Andrey Kuznetsov (RUS)

[Q] Kyle Edmund (GBR) x Daniel Muñoz de la Nava (ESP)
Quadra 2

Pablo Andujar (ESP) x [8] Leonardo Mayer (ARG)

Bolelli (ITA) / Stakhovsky (UKR) vs [3] Lopez (ESP) / Lopez (ESP)

[1] Rojer (NED) / Tecau (ROU) vs Gabashvili (RUS) / Ramos-Vinolas (ESP)
Quadra 3

[4] Petzschner (GER) / Peya (AUT) vs Marrero (ESP) / Seppi (ITA)

Chardy (FRA) / Mathieu (FRA) vs [2] Murray (GBR) / Bruno Soares (BRA)
Qatar ExxonMobil Open 2016 conta com a cobertura exclusiva para o Brasil da Onboard Sports, em parceria com a QNQ Sports Marketing. Contato em Doha – Edudardo Passos, edu@sportsmarketing.com.br

DOHA – Onboard Sports / QNQ – Pelo 24º ano, o tradicional ATP 250 de Doha abre a temporada do circuito profissional de tênis com status de mais lucrativo “250” do mundo e uma premiação total de US$ 1,283,855. Novak Djokovic entra em quadra contra o alemão Dustin Brown, número 118 do mundo, que passou pelo torneio qualificatório e promete dar trabalho ao atual número 1 do circuito. Treinando em Doha desde a última semana, Djokovic não possui o título do Qatar ExxonMobil Open no currículo e amargou sua pior atuação de 2015 na capital catari. O sérvio foi eliminado precocemente na última edição do torneio pelo croata Ivo Karlovic, nas quartas de final.

Campeão da edição 2014 em simples, Rafael Nadal entra em quadra nesta segunda após título no torneio de exibição em Abu Dhabi contra Milos Raonic. O espanhol busca seu quinto título de duplas em Doha ao lado do compatriota Fernando Verdasco e terá pela frente a dupla Teymuraz Gabash (Russia) e Albert Ramos-Vinolas (Espanha). No torneio de simples, Nadal será o cabeça de chave número 2 do torneio e enfrenta amanhã o também espanhol Pablo Carreno Busta. Outros duelos movimentam a quadra principal em Doha nesta segunda-feira.

O cabeça de chave número 5, Feliciano Lopez da Espanha, enfrenta o compatriota Daniel Muñoz de La Nova. Fechando a programação, o wild card Marsel Ilhan da Turquia e Andrey Kuznetsov da Rússia fazem o último jogo do dia.

Brasileiros brigam na chave de duplas

Sem brasileiros na chave de simples, os números 2 e 3 do país nas duplas estarão em Doha. Finalista em 2014, o cabeça de chave número 2 no torneio de duplas Bruno Soares, busca novos ares em 2016 e inicia nova parceria com o britânico Jamie Murray. Na rodada de estreia, Soares terá pela frente a dupla Radu Albot (Moldávia) e Martin Klizan (Eslováquia). O outro representante do Brasil na chave de duplas é o experiente André Sá, que atuará ao lado do austríaco Julian Knowle e enfrenta na primeira rodada a dupla Simone Bolelli (Itália) e Sergiy Stakhovsky (Ucrânia). Atual número 1 do mundo, o duplista Marcelo Melo não estará em Doha e apenas fará sua estreia no circuito em Auckland, na Nova Zelândia.

O Qatar ExxonMobil Open 2016 conta com a cobertura exclusiva para o Brasil da Onboard Sports, em parceria com a QNQ Sports Marketing.

Contato em Doha – Eduardo Passos, edu@sportsmarketing.com.br, +55 11972470469.