Home Tags Posts tagged with "swimming"

swimming

Brasileiro entra para o seleto grupo de 8% que conseguiram superar o chamado “Monte Everest das Águas Abertas”

Desafio: Cruzar o Canal da Mancha (entre a Inglaterra e a França) à nado
Data do Desafio: 08 de agosto de 2015
Percurso original: 34 quilômetros
Temperatura da água: aproximadamente 16 ºC (proibido o uso de neoprene)
Condições da água: correnteza forte
Percurso final (nadado): 46 quilômetros
Tempo: 10h14min

Missão dada, missão cumprida! Samir Barel mostrou mais uma vez é nada é impossível. E o desafio deste sábado (8) era nada mais nada menos que a conturbada travessia do Canal da Mancha, entre a Inglaterra e a França. O percurso de 34 quilômetros é um dos mais difíceis e prestigiados da maratona aquática mundial em razão das adversidades no trajeto. Para se ter uma ideia, em torno de 280 atletas largam da costa inglesa por ano, mas uma média de 38 nadadores, aproximadamente 8%, conseguem concluir o percurso, segundo dados da organização. Agora o paulista que mora em Campinas integra o seleto hall de desbravadores do Estreito de Dover, que teve como precursor o capitão da marinha mercante britânica Matthew Webb em agosto de 1875.

“É realmente uma prova especial, totalmente imprevisível e implacável. Larguei às cinco da manhã, no começo peguei uma temperatura boa no Canal, o dia estava bom, com sol, então acabei dando sorte no clima. Mas no final, a pouco mais de peguei uma correnteza imprevista no qual demorava praticamente 10 minutos para nadar um trecho curto de 100 metros, dada a força da corrente. Isso me atrasou bastante, no final acabei nadando 46 quilômetros para cruzar esse último trecho”, relatou o atleta de 31 anos.

Um dos principais embaixadores da maratona aquática no Brasil, Samir Barel está desde 2013 empenhado em realizar as principais e mais longas maratonas aquáticas do mundo. Até o momento, o nadador já colocou no currículo o título de campeão famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos, finalizou em sétimo lugar a tradicional maratona Hernadarias-Paraná, conhecida como a maratona aquática mais longa do mundo (88k) e em 2014 chegou a incrível marca de 300 quilômetros nadados, somando sua participação em seis das sete etapas do Grand Prix da FINA, principal circuito da modalidade. Depois de toda essa vivência, ainda contou com a experiência de Igor Souza, seu técnico e atual recordista de ida e volta do Canal da Mancha, para concluir a travessia que tem mais de 135 anos de história.

“Para mim essa prova representa uma verdadeira uma lição de vida, pessoal e profissional. envolve muita garra e determinação, além de muita disciplina e planejamento durante a preparação, que durou praticamente um ano. Estou muito feliz e agradecido pela força e apoio de todos, isso foi essencial para conclusão do desafio. Senti muito frio, muita dor no quadril, não consegui trabalhar tão bem a perna pela tensão, então nadei literalmente no meu limite. Foi uma prova realmente de muita superação. Fiquei admirado e agora respeito ainda mais essa prova”, finalizou o nadador, que ainda pretende realizar chamado “Desafio dos 7 mares”, concretizando as maratonas aquáticas mais difíceis do planeta.

Além do Canal da Mancha, integram esse circuito o Canal de São Jorge entre a Irlanda e a Escócia (33,7 km), o Estreito de Cook, O Canal Moloka’i entre as ilhas de O’ahu e Moloka’i no Havaí (43 km), o Canal de Catalina em Los Angeles (33,7 km), o Estreito de Tsugaru, entre Honshu e Hokkaido no Japão (19,5 km), e o Estrito de Gibraltar. Até hoje nenhum nadador conseguiu atravessar todos os sete canais naturais.

Aviso à imprensa: Samir Barel retorna para o Brasil no dia 16 de agosto e estará disponível para entrevistas.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.

Chegou a hora de Samir Barel mostrar toda sua garra, ousadia, determinação, experiência e paixão pela maratona aquática. O nadador de 31 anos, encara entre os dias 5 e 12 de agosto, uma das provas mais difíceis e prestigiadas da maratona aquática mundial: O Canal da Mancha. O percurso de 34 quilômetros entre a Inglaterra e a França é conhecido como o “Monte Everest das Águas Abertas”, em razão das adversidades que existem no Estreito de Dover.

“Água fria, em torno de 15 graus, correnteza forte, vento, metragem longa, muitas embarcações de todos os formatos e tamanhos passando durante todo o percurso, mas tudo com muita segurança. Estou me preparando há mais de um ano para essa prova e estou bem confiante. Concluir essa façanha não é apenas um sonho, mas também uma oportunidade de mostrar para todas as pessoas que somos capazes de superar qualquer desafio. Basta termos planejamento, disciplina e muita determinação”, explica Samir Barel.

O nadador de Campinas enumerou as principais dificuldades e curiosidades da prova, explicando porque a travessia é uma das mais prestigiadas mundo afora. Confira:

O pioneiro
O primeiro a realizar a travessia do Canal nadando foi o capitão da marinha mercante britânica Matthew Webb em agosto de 1875, que percorreu todo o estreito de Dover em 21 horas e 45 minutos. Em razão da força das ondas, das correntes marítimas e muito difícil realizar o percurso em linha reta. O capitão Webb, por exemplo, nadou 61 quilômetros em ziguezague para alcançar o final do estreito.

Sem Neoprene
Para essa travessia, os atletas só podem usar sunga ou maiô, touca e óculos de natação. Para manter o calor do corpo é permitido apenas uma mistura de lanolina (90%) e vaselina (10%).

Mais de 8 horas nadando
Com o percurso atual, saindo de Dover (Inglaterra) com chegada em Calais (França), a travessia pode demorar de 8h30 até 12 horas para ser finalizada. Tudo depende das condições climáticas e do próprio canal no momento da passagem. É totalmente imprevisível saber em quanto tempo o atleta conseguirá completar o trajeto.

Hidratação
Para garantir energia durante tantas horas de natação, os técnicos acompanham os nadadores em barcos de apoio, a certa distância, oferecendo comidas ou bebidas bem calóricas com o auxílio de um bastão para que os atletas possam se alimentar sem parar de nadar.

Uma travessia para poucos
Segundo dados da organização, em torno de 280 atletas largam da costa inglesa por ano, uma média de 38 nadadores, aproximadamente 8%, conseguem concluir o percurso. De 1875 até 2011, atravessaram 904 atletas, largando da Inglaterra e chegando na França, e 195 atletas, saindo da França e desembarcando na Inglaterra (percurso que não existe mais), ou seja 1099 pessoas completaram a travessia em 136 anos – uma média de 8 pessoas atravessando por ano, desconsiderando a mudança do percurso e também a evolução dos nadadores.

Brasileiros na travessia
O primeiro brasileiro a concluir a travessia foi Abílio Couto em 1958, que realizou o feito em 12 horas e 45 minutos. De lá para cá, cerca de 20 brasileiros finalizaram a prova.

Recordes
O recorde da travessia pertence ao Australiano Trent Grimsey, concluindo o percurso em 6h55m50s em 2012. Já o recorde sul-americano é do argentino Claudio Plit, que demorou 8h58 para finalizar a prova em 1981. Entre os brasileiros, Ana Mesquita é a atual recordista, tendo completado o percurso em 9h40 em 1993, seguida por Tiago Sato, que fez 9h51 em 2010. Alias, o recorde de ida e volta pertence ao também brasileiro Igor de Souza (técnico de Samir Barel), que finalizou a prova em 18h33 em 1997.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.

Samir Barel entrou em contagem regressiva para o tão sonhado desafio de cruzar nadando o emblemático Canal da Mancha. Essa é uma das travessias mais prestigiadas e difíceis da maratona aquática mundial. O brasileiro encara o percurso entre a Inglaterra e a França entre os dias 02 e 10 de agosto. O último teste antes do grande feito foi realizado neste sábado (25), na Travessia Internacional do Lago Saint Jean, no Canadá, que faz parte do Grand Prix da FINA.
“Infelizmente hoje não cumpri o objetivo desejado. Abandonei a prova com 2h50. Fui vencido pela minha cabeça e pela dificuldade da prova com fortes ventos e ondulações. Mas saio do Canadá mais completo e maduro, com a experiência de sentir a tristeza do abandono e ao mesmo tempo, a alegria de estar vivo, enfrentando as dificuldades, tendo a oportunidade de vencê-las outras vezes. Tenho certeza, que em 2 semanas, no Canal da Mancha será diferente”, contou o atleta de 31 anos.

Canal da Mancha: o Monte Everest dos maratonistas aquáticos

O primeiro à realizar a travessia do Canal nadando foi o capitão da marinha mercante britânica Matthew Webb em agosto de 1875, que percorreu todo o estreito de Dover em 21 horas e 45 minutos. O primeiro brasileiro a concluir a travessia foi Abílio Couto em 1958, que realizou o feito em 12 horas e 45 minutos. Em razão da força das ondas, das correntes marítimas e mesmo das mais de 300 embarcações que cruzam o canal diariamente é muito difícil realizar o percurso. O capitão Webb, por exemplo, nadou 61 quilômetros em ziguezague para alcançar o final do estreito de Dover. O trajeto atual, que hoje conta com uma infra-estrutura de ponta para garantir a segurança dos nadadores, possui 34 quilômetros e pode demorar entre 8h30 e 12 horas, dependendo das condições climáticas e das próprias adversidades encontradas no canal.

A façanha de Samir Barel será ainda mais extrema, uma vez que também não é permitido a utilizar roupa de neoprene nas águas que contam com uma temperatura média de 15 graus, apenas sunga, touca e óculos.

“Em torno de 280 atletas largam da Inglaterra por ano, mas, segundo dados da organização, uma média de 38 nadadores, aproximadamente 8%, conseguem concluir o percurso. Não é nada fácil, mas encaro essa travessia extremamente motivado. Meu principal intuito é mostrar para as pessoas que todos nós temos capacidade de nos superar, seja qual for o desafio. Quando temos foco nos nossos objetivos, disciplina para nos mantermos firme no nosso caminho e planejamento para concretizar as metas, podemos sim realizar o impossível. Espero que a minha experiência seja valorosa e contribua para meus semelhantes buscarem seus sonhos e não desistirem deles”, explica o nadador.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.

Jessica Bruin está pronta para se superar nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015. A atleta do Sesi-SP disputa, nesta quinta-feira (16), o revezamento 4x200m livre feminino buscando o ouro na prova em que conquistou a medalha de prata no Pan de Guadalajara-2011.

“O alto volume de treinos foi muito importante para chegar com chances de ouro no Pan. A performance no Canadá também será decisiva para a reta final da preparação para o Mundial de Kazan, que vale vaga direto para a Olimpíada do Rio de Janeiro. Temos condições de alcançar nossos objetivos e nosso foco está totalmente nisso”, contou a nadadora.

O desafio será grande, principalmente pela vaga olímpica. O objetivo, segundo Jessica Bruin, é que todas as quatro integrantes do revezamento nadem na casa dos 1min59. “Como o revezamento é mais no meio da competição, a gente está esperando como vai ser o decorrer das provas, quem vai estar mais descansado, quem está bem ou não, quem vai abrir. Tudo vai ser provavelmente vai ser uma surpresa. É uma competição de alto nível e tudo pode ocorrer. Mas estou pronta para fazer o meu melhor tempo.”

Jessica Bruin Cavalheiro tem 23 anos e defende as cores do Sesi-SP. Mineira de Belo Horizonte (MG), a atleta é treinada por Fernando Vanzella e tem o patrocínio da Hammerhead. Jiba, como é carinhosamente chamada pelos amigos, é pentacampeã brasileira dos 200 m livre e é medalhista de prata pan-americana. Jessica deu as primeiras braçadas ainda criança. Aos 10 anos já integrava a equipe do Minas Tênis Clube. A atleta também passou pelo Fluminense.

Um dos embaixadores da maratona aquática do Brasil, Samir Barel não poupou elogios para o Rio Negro Challenge, travessia inédita realizada neste sábado (2), em Manaus (AM). O percurso de 30k, entre a praia do Açutuba, em Iranduba, e a praia da Ponta Negra, zona oeste de Manaus, entrou para a história da modalidade, não apenas por ser a primeira prova disputada no mais extenso rio de água negra do mundo, mas por ter se tornado a maior ultramaratona aquática do País – e uma das maiores travessias em águas abertas do mundo.

“Foi uma prova muito legal, uma experiência fantástica. Houve trechos em que a temperatura da água na superfície alcançou 32 graus centígrados, acabei até ficando um pouco receoso, com medo do desgaste que isso poderia provocar. Mas fiz uma prova boa, progressiva, crescendo no momento certo. Foi uma ótima oportunidade para treinar a parte física e psicológica”, contou o atleta de 31 anos, que finalizou a travessia em 5h31min e cruzou a linha de chegada no quarto lugar geral, atrás apenas dos colegas Matheus Evangelista, campeão do desafio (5h22), e Marcos Campos, bronze (5h29), e do argentino Damián Blaum, segundo colocado (5h27).

O Rio Negro Challenge agora busca homologação da FINA (Federação Internacional de Natação) para integrar o Grand Prix de Águas Abertas em 2016, competição que reúne os melhores maratonistas aquáticos do mundo.“Estamos torcendo muito para que o Brasil consiga fazer parte de circuito. Isso não apenas ajudará no crescimento da maratona aquática no território nacional, como também irá contribuir para aumento do turismo no nosso país. É um lugar lindo, com uma cultura indígena muito forte e pouco explorada, que merece ser mais divulgada e conhecida. Esse é um dos principais benefícios da maratona aquática, proporcionar experiências em lugares novos e inusitados”, ressaltou Samir Barel.

O nadador, aliás, participa pelo segundo ano consecutivo do GP da FINA e já está escalado para a terceira etapa do Lago Saint Jean, no Canadá, marcado para 25 de julho. O brasileiro está na 12ª colocação do ranking.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.

Não faltou emoção para o brasileiro Samir Barel durante a primeira etapa do Grand Prix de Maratona Aquática da FINA, disputada neste domingo (8), na Villa Urquiza, na Argentina. O clima instável e a chuva forte quase cancelaram o evento nas correntezas do Rio Paraná. Mas a comissão organizadora optou por alterar o horário da largada e reduzir em cinco quilômetros o percurso de 25k, transformando a competição de longa distância em uma grande prova de velocidade.

“Pela manhã teve uma tormenta na região e a largada só ocorreu por volta das 16h. Foi uma prova super rápida, com corrente contra, corrente a favor e sprints intensos no pelotão. Mas fui super bem, nadei pra 2h20min e atingimos o objetivo, que era concluir a prova em boas condições”, contou o atleta, que terminou na 11ª colocação na classificação geral e aproveitou a oportunidade para trocar experiências com os melhores atletas de águas abertas do mundo. “Conhecer novas culturas e poder aprender com nadadores de altíssimo nível é fundamental para o nosso desenvolvimento profissional e pessoal. Essa certamente é a maior vitória.”

A próxima etapa do Grand Prix será em Cancún (México), dia 25 de abril. Até lá, Samir Barel segue na sua base de treinamento em Campinas, focando o planejamento no principal desafio da temporada: a Travessia do Canal da Mancha, uma das provas mais difíceis do mundo, marcada para a primeira semana de agosto.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.

Nadador do Sesi-SP brilha no borboleta - com direito a índice - e também nos 200 m livre na disputa do Open de Natação, no Rio de Janeiro (RJ)

Thiago Pereira brilhou no Open de Natação nesta quinta-feira (18). O medalhista olímpico fez o melhor tempo de sua carreira nos 100 m borboleta – 52s27 – e confirmou também o índice para o Mundial de Kazan na distância. Além do ouro no Rio de Janeiro (RJ), o atleta do Sesi-SP se consolidou como o melhor da prova no País, o que pode também garantir sua participação no revezamento 4×100 m medley nadando o borboleta. “Fiz meu melhor tempo da vida e o resultado mostra que estou no caminho certo, mesmo com uma mudança nos meus treinos. O novo programa tem várias alterações, bem diferente do que estava habituado a fazer no Brasil. A minha fase ainda é de adaptação nos Estados Unidos”, comemorou Thiago Pereira.

O nadador Thiago Pereira incluiu os 100 m borboleta ao seu programa no Mundial de Barcelona, em 2013. Mesmo sendo especialista em medley, o atleta quer aperfeiçoar ainda mais os 100 m borboleta e brigar por medalhas em 2016. “Apesar de ser rápida, a prova dos 100 m borboleta tem muitos detalhes, como viradas e as chegadas. Eu sempre viso bloquear as últimas três braçadas. Queria sim ter quebrado a barreira dos 52s, mas o importante é que fiz o índice”.

O dia não foi só de borboleta para Thiago Pereira. O atleta brilhou nos 200 m livre pela manhã. Nadando em observação, ou seja, sem valer pontos para a competição, Thiago Pereira fez 1min48s35, o melhor da quinta-feira.

“Meu objetivo é estar entre os quatro nos 4×200 m livre no Mundial e na Olimpíada. O time é forte, incluindo o João de Lucca e Nicolas Oliveira”, disse Thiago Pereira“O resultado me dá um ânimo ainda maior visando Rio-2016”.

Nesta sexta-feira (19), Thiago Pereira terá sua prova favorita pela frente, os 200 m medley. O atleta cai na água também nos 100 m livre. “Será mais um dia bastante agitado e espero nadar bem os 200 m medley, quem sabe fazendo a minha melhor marca do ano”.

Thiago Pereira é patrocinado pelos Correios, Speedo e Light e representa o Sesi-SP desde abril de 2013. O nadador de 28 anos é natural de Volta Redonda (RJ). É dono de 18 medalhas pan-americanas, sendo 12 de ouro. Em Londres/2012, o atleta conquistou a medalha de prata na prova dos 400 m medley.

Em Campinas, nadador recebe campeões estrangeiros para reforçar treinamento para provas de 2015

O ano de 2014 certamente foi especial para Samir Barel. Campeão da tradicional Volta na Ilha de Manhattan (EUA), Top 10 no Grand Prix de Maratona Aquática da FINA e primeiro atleta a dar a Volta na Ilha Anchieta (SP) nadando são algumas das conquistas inéditas do nadador de 31 anos, especialista em águas abertas. E para fechar o calendário esportivo com chave de ouro, neste sábado (13) o atleta encara a etapa final do Circuito Rei e Rainha do Mar, disputada na praia de Copacabana, palco dos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

“O objetivo é nadar bem e manter o ritmo de prova. Estou me preparando para as provas longas que farei no ano que vem, entre elas, o Canal da Mancha, uma das mais emblemáticas da modalidade. Creio que estarei um pouco lento para 4k, mas muito bem condicionado. Estou me sentido bem nos treinos e nadarei forte para conquistar um bom resultado”, afirma o nadador beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.

Além do foco já em 2015, Samir Barel aproveita a passagem pelo Rio de Janeiro para dar apoio aos “pupilos”, da Elo Academia de Campinas, onde é Diretor Técnico. “Quando é possível, gosto muito de curtir as provas com eles. Para mim, sinceramente, o mais importante será a diversão e desempenho do grupo”, comenta o nadador.

Visita ilustre em Campinas
Para concretizar as metas ousadas de 2015, Samir Barel reforçou sua preparação com dois dos melhores nadadores do mundo em provas de longa distância da atualidade. Nesta semana, o nadador de Campinas recebe na Elo Academia, sua base de treinamento, o argentino Damián Blaum, atleta olímpico, campeão pan-americano e mundial de Águas Abertas do GP da FINA em 2013, e a espanhola Esther Nuñez, campeã mundial de Águas Abertas do GP FINA em 2007 e 2012.

“Além do prazer enorme em recebê-los para uma clínica esportiva, realizada no último fim de semana, estou aproveitando para aprender na prática as principais dicas desses campeões mundiais. Quero estar bem para cumprir os objetivos de provas longas em 2015 e com isso trazer mais adeptos e apaixonados pelo esporte, mostrando que todos somos capazes de realizar nossos sonhos com planejamento, disciplina e amor pelo que faz”, finaliza o brasileiro.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.

Uma semana após faturar o título da Copa Brasil de Maratona Aquática, Samir Barel subiu ao pódio mais uma vez. Neste domingo (23), o nadador foi o vencedor da Travessia do Canal de Ilhabela, uma das provas mais aguardadas do calendário nacional de maratonas aquáticas, fechando o percurso de 3.800 metros em 47min07.

“Resolvi participar da prova de última hora para pegar mais ritmo de competição já focando 2015. Fico feliz não só pelo pódio, mas porque me senti bem durante toda prova e o condicionamento físico está voltando”, contou o atleta beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte. “O melhor de tudo foi a companhia e atuação dos colegas da Elo Academia e de quebra dividir o pódio com grandes profissionais.” 

E nada de descanso para Samir Barel. O próximo desafio será em menos de 20 dias, no Rio de Janeiro. O nadador encara no dia 13 de dezembro a última etapa do Circuito Rei e Rainha do Mar, na praia de Copacabana, palco dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Daqui pra frente toda prova é um passo importante no planejamento da temporada 2015. Samir Barel já anunciou que pretende encarar o famoso percurso do Canal da Mancha, uma das provas mais emblemáticas da modalidade, que tem data marcada entre 03 e 09 de agosto de 2015.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.

Para maioria dos brasileiros o sábado (15) foi de descanso em razão do feriado da Proclamação da República. Mas para o nadador Samir Barel o dia foi de muito trabalho na praia de Inema, em Salvador (BA). E o paulista foi bem recompensado. O atleta venceu a quinta e última etapa da Copa Brasil de Maratona Aquática e sagrou-se campeão do circuito em 2014.

“Além do título nacional na minha categoria (Master B) pude celebrar o quarto lugar na classificação geral, ficando atrás apenas de Luiz Lima, um do melhores e mais experientes nadadores de longa distancia do país, seguido de dois garotos muito fortes, o Rodrigo Lopes e o Jardiel Neto. Tenho orgulho fazer parte deste esporte que agrega muita saúde na vida de todos”, contou o nadador, que concluiu o percurso de cinco quilômetros em 1h03min05.

E quem pensa que após o pódio na Bahia Samir Barel irá desacelerar, pensando no final da temporada 2014, não poderia estar mais enganado. Os treinos do maratonista aquático para os desafios de 2015 já estão a todo vapor. Afinal, o nadador terá pela frente a travessia do Canal da Mancha, uma das provas mais emblemáticas e difíceis da modalidade. “Espero inspirar muitas pessoas assim como fui inspirado e hoje me sinto realizado com o esporte”, explica o atleta beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual líder do Circuito Paulista de Maratona Aquática, tendo vencido cinco etapas, e foi o campeão da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.