Home Tags Posts tagged with "swim"

swim

Eduardo Lass (Tradener) está em contagem regressiva para o desafio mais importante da temporada. Nesta quinta-feira (17), o paranaense disputa o Mundial de Triathlon em Chicago, nos Estados Unidos. O atual líder do ranking brasileiro Sub-23 será o único atleta do país entre os 65 competidores de 34 nações na sua categoria (U23). A responsabilidade é grande, ainda mais em um evento tão grandioso, que conta com mais de 6.500 participantes em categorias amadoras, atrai cerca de 75 mil espectadores e é transmitido para mais de 160 países.

“Como o próprio nome diz, trata-se de um Mundial, e esta prova será ainda maior pois trata-se da grande final das 10 etapas do circuito. Ou seja, o star list da elite será muito forte e teremos uma prova muito disputada do começo ao fim. Mas vou para fazer meu melhor, como em todas as provas. Claro que o nível vai ser mais difícil do que nunca, mas tem que ir com toda força e toda dedicação para alcançar o melhor resultado”, conta o jovem, beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.

O triatleta fez uma preparação intensiva para a competição, que incluiu não apenas treinos específicos como também um intercâmbio de um mês no Complexo Desportivo de Rio Maior (Desmor), em Portugal. Além disso, nos últimos dias, o jovem de 23 anos, que faz parte do programa do governo Paranaense TOP 2016, estudou muito bem o percurso de 1.500 m de natação, 40km (8 voltas) de ciclismo e 10km (4 voltas) de corrida.

“Lá estará bem quente, por enquanto não tem previsão de chuva, mas vou ter sorte pois a largada da minha categoria é bem cedo, às 7 horas, então não estará um calor tão intenso. A natação será em um lago gelado, é preciso muita atenção. O ciclismo terá um trajeto mais plano, sem muitas subidas e descidas, mas com muitas retomadas e curvas. O mesmo vale para a corrida. Com a ajuda da tecnologia, ter acesso à essas informações é muito mais fácil e ajuda muito na preparação”, contou o 3º sargento da FAB, que após a prova nos Estados Unidos também defenderá as forças armadas do Brasil nos Jogos Mundiais Militares de 5 a 12 de outubro em Mungyeong, Coréia do Sul.

Eduardo Lass começou no triathlon aos 11 anos de idade e já possui títulos importantes nas categorias de base, tais como campeão do Troféu Brasil e do Brasileiro Olímpico, além de duas medalhas de ouro e duas de prata em competições na França, em 2009, e um troféu de primeiro colocado do Challenge International Triathlon, disputado na Alemanha, também em 2009. O currículo de peso mesmo com pouca idade fez o triatleta ser considerado uma das promessas do Brasil da modalidade. Integrante da Seleção Brasileira Sub-23 desde 2011, o jovem faz parte do programa do governo Paranaense TOP 2016 desde 2014 e está desde então disputando os principais eventos nacionais e até mesmo internacionais buscando conquistar uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016. Atualmente o paranaense é o atual líder do ranking brasileiro Sub-23 e quarto colocado no ranking geral adulto. O atleta de 23 anos é patrocinado pela Tradener.

Um mês após superar a temida e fria travessia do Canal da Mancha, entre a Inglaterra e a França, Samir Barel volta aos mares europeus, mas, dessa vez, disputando uma das maratonas aquáticas mais charmosas do planeta. A travessia Capri-Nápoles tem 36km e é internacionalmente conhecida pela beleza da costa sul italiana. A prova foi disputada pela primeira vez em 1949 e sua importância para o circuito de águas abertas era tanta que até o ano de 1992 o vencedor era informalmente conhecido como campeão mundial. O percurso, que também encerra o Grand Prix da FINA, principal circuito de maratona aquática do mundo, não é novidade para o brasileiro. Em 2014, o nadador concluiu a prova em 6h56min28, todavia a experiência adquirida contribuiu para formular uma nova estratégia para a atual temporada.

“Percebi que as mulheres acompanham o pelotão de elite masculino por muitas horas. Sei que competir com os 10 primeiros do masculino seria loucura o nível deles é bem maior que o meu já que grande maioria é atleta profissional e se dedica tempo integral para isso, ao contrário de mim. Portanto, minha estratégia será acompanhar as mulheres até onde for possível e se eu estiver bem, vou tentar acompanhar os homens após a quebra de pelotão. Parece loucura, mas o nível das mulheres é tão alto que se eu conseguir ganhar delas, pode ser que eu esteja no Top-10 no masculino, o que seria uma grande alegria para mim”, afirma o atleta de 31 anos.

Depois de competir na Itália, Samir Barel segue para a Espanha, onde encontrará um grupo de alunos para qual ministra treinos e pretende realizar junto com eles a VIII Maratona Cadaqués, prova de 6,5km marcada para o dia 19 de setembro. “São aproximadamente 3.000 atletas, entre amadores e profissionais, participando da prova e as vagas já estão esgotadas a meses. O objetivo é proporcionar uma nova experiência para a galera, desfrutando uma travessia com diferentes pessoas, cultura, local, paisagem e muita diversão. Essas oportunidades ajudaram à alavancar minha carreira e espero ajudar outras pessoas a terem essa vivência, contribuindo para a evolução da modalidade no Brasil como um todo”, ressalta um dos principais embaixadores da maratona aquática no país.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. Em 2013, concluiu a tradicional travessia Hernadarias-Paraná, conhecida como a maratona aquática mais longa do mundo (88k), e na temporada seguinte foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos. Em agosto de 2015, o brasileiro conseguiu superar a temida travessia do Canal da Mancha, entre a Inglaterra e a França, considerada o “Monte Everest das águas abertas”, devido as muitas dificuldades encontradas no percurso de 34k.

Jessica Bruin está pronta para se superar nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015. A atleta do Sesi-SP disputa, nesta quinta-feira (16), o revezamento 4x200m livre feminino buscando o ouro na prova em que conquistou a medalha de prata no Pan de Guadalajara-2011.

“O alto volume de treinos foi muito importante para chegar com chances de ouro no Pan. A performance no Canadá também será decisiva para a reta final da preparação para o Mundial de Kazan, que vale vaga direto para a Olimpíada do Rio de Janeiro. Temos condições de alcançar nossos objetivos e nosso foco está totalmente nisso”, contou a nadadora.

O desafio será grande, principalmente pela vaga olímpica. O objetivo, segundo Jessica Bruin, é que todas as quatro integrantes do revezamento nadem na casa dos 1min59. “Como o revezamento é mais no meio da competição, a gente está esperando como vai ser o decorrer das provas, quem vai estar mais descansado, quem está bem ou não, quem vai abrir. Tudo vai ser provavelmente vai ser uma surpresa. É uma competição de alto nível e tudo pode ocorrer. Mas estou pronta para fazer o meu melhor tempo.”

Jessica Bruin Cavalheiro tem 23 anos e defende as cores do Sesi-SP. Mineira de Belo Horizonte (MG), a atleta é treinada por Fernando Vanzella e tem o patrocínio da Hammerhead. Jiba, como é carinhosamente chamada pelos amigos, é pentacampeã brasileira dos 200 m livre e é medalhista de prata pan-americana. Jessica deu as primeiras braçadas ainda criança. Aos 10 anos já integrava a equipe do Minas Tênis Clube. A atleta também passou pelo Fluminense.

Um dos destaques da nova geração do triatlo brasileiro, Eduardo Lass (Tradener)mostrou neste domingo (21) que é um jovem de muita garra e determinação. O paranaense faturou a medalha de bronze na Copa Continental de Triathlon, realizada em Ibarra, no Equador. O atleta de 23 anos terminou o percurso em 1h52min34s, superando não apenas os 2.300m de altitude e o calor excessivo da zona tropical, mas todo cansaço acumulado. Uma semana antes, o triatleta participou de uma etapa duríssima da Copa do Mundo da modalidade, em Huatulco, no México.

“Tive menos de sete dias de treino e aclimatação após competir no México. Percebendo a dificuldade de competir na altitude, procurei sempre manter uma boa respiração, para ter fôlego no momento certo. Na natação, consegui sair no seleto grupo de oito atletas que formarão o primeiro pelotão e conquistei uma boa vantagem no ciclismo. Com uma rápida transição para corrida, cheguei a ficar na liderança da prova por 1,5km, mas acabei superado pelo mexicano Eder Mejia e o equatoriano Juan Figueroa, respectivamente o primeiro e o segundo colocado.”, contou o atleta beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte, que somou pontos importantes no ranking internacional.“Saio de Ibarra com o objetivo cumprido e muito satisfeito com o resultado.”

O maior objetivo de Eduardo Lass (Tradener) é disputar a Olimpíada do Rio de Janeiro. Por isso, o 3º sargento da FAB está disputando os principais eventos nacionais e até mesmo internacionais para conquistar a vaga nos Jogos de 2016.

Eduardo Lass começou no triathlon aos 11 anos de idade e já possui títulos importantes nas categorias de base, tais como campeão do Troféu Brasil e do Brasileiro Olímpico, além de duas medalhas de ouro e duas de prata em competições na França, em 2009, e um troféu de primeiro colocado do Challenge International Triathlon, disputado na Alemanha, também em 2009. O currículo de peso mesmo com pouca idade fez o triatleta ser considerado uma das promessas do Brasil da modalidade. Integrante da Seleção Brasileira Sub-23, o jovem tem como objetivo principal representar o Brasil já nos Jogos Olímpicos de 2016. O atleta é patrocinado pela Tradener.

O legado de Juraci Moreira para o triathlon brasileiro no campo do desporto é inegável. Foram três participações olímpicas, um bronze nos Jogos Pan-Americanos e seis títulos nacionais na última década. Mas o paranaense quer ajudar ainda mais a modalidade, desta vez fora das pistas.

Participante do Curso Avançado de Gestão Esportiva (CAGE), realizado pelo Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), através do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Juraci está desenvolvendo uma pesquisa inédita, com objetivo de identificar o perfil do praticante de triathlon no Brasil. O estudo pode fornecer informações importantes para o desenvolvimento e crescimento da modalidade no País.

“A pesquisa busca entender os motivos que levaram o atleta a escolher o triathlon como esporte, assim como o tipo de prova em que ele costuma competir (sprint, olímpica ou longa distância). A partir dos resultados, espera-se ter subsídios para elaboração de projetos que possam atrair mais praticantes e patrocinadores para a modalidade. Além disso, conseguiremos avaliar alguns atributos nas provas e até mesmo a percepção do trabalho da Confederação, Federações e organizadores privados nos eventos em todo território nacional, o que será bastante útil no trabalho de fidelização e retenção dos atletas”, explica.

O CAGE é um dos cursos mais cobiçados do País para a capacitação de gestores, e tem por objetivo promover e expandir habilidades e conhecimentos necessários para um gerenciamento mais efetivo das organizações esportivas do país. Podem se inscrever para o processo seletivo profissionais que ocupam posições de liderança e de gerenciamento Organizações Esportivas credenciadas pelo COB, e também atletas em transição de carreira ou que já ocupem posições estratégias em organizações esportivas.Juraci Moreira faz parte do seleto grupo de 39 alunos, quem ainda na turma a ginasta Daiane dos Santos e a jogadora Janeth do basquete, entre outros profissionais.

“É um privilégio participar do Curso de Gestão, poder juntar a minha experiência com o esporte, como atleta olímpico, com o conhecimento teórico em gestão. Quero que o triathlon cresça e se torne cada vez mais popular e que sua gestão no Brasil seja exemplo. Pretendo ajudar a realizar isso, assim como ajudei como atleta a divulgar e difundir este esporte através das minhas conquistas”, lembra o hexacampeão brasileiro.

Como participar
Nos próximos dias será divulgado nas redes sociais dos principais organizadores de provas do Brasil, principais veículos de comunicação para triathlon e no perfil de alguns atletas um link com acesso à um questionário. Juraci Moreira pede ajuda de toda a comunidade do triatlo para responder e divulgar a pesquisa, atingindo o maior número de praticantes possível.

“Esta pesquisa é totalmente em prol da comunidade de triatletas do país, por isso todos os dados coletados serão disponibilizados para divulgação no final do projeto e estou contando com o apoio de vários organizadores, dirigentes e pessoas que trabalham na modalidade, que deve ter sempre o mesmo objetivo – o fomento do nosso esporte em todas as frentes”, finaliza o triatleta.

Juraci Moreira é um dos maiores nomes do esporte olímpico brasileiro. O triatleta tem três participações olímpicas: Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008. No currículo está a medalha de bronze Pan-Americana nos Jogos de 2007, no Rio de Janeiro. Em 2014, o atleta disputou pela primeira vez o Ironman, principal prova de longa distância modalidade.

Eduardo Lass (Tradener) deixou de lado o descanso e uma semana após disputar uma etapa de Copa do Mundo de Triathlon já está de volta às pistas. Neste domingo (21), o brasileiro integra o seleto grupo de 28 atletas de elite que participam da Continental Cup, na cidade de Ibarra, no Equador. A altitude de 2.300m acima do nível do mar e o calor da zona tropical, próxima à linha do Equador, serão os principais desafios do 3º sargento da FAB, que busca pontos importantes no ranking internacional.

“Será preciso muita resistência e uma boa estratégia para lidar com o sol forte e o ar rarefeito. Competi no Equador em abril, em Salinas, e sei o quanto a prova será pesada e cansativa. Por isso, me programei para chegar no início da semana para realizar uma pequena aclimatação”, contou o atleta, beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.“Minha meta é ficar no Top 5. Depois de ter concluído uma prova duríssima no México, na semana passada, estou confiante em um bom resultado em Ibarra.”

O maior objetivo de Eduardo Lass (Tradener) é disputar a Olimpíada do Rio de Janeiro. Por isso, o 3º sargento da FAB está disputando os principais eventos nacionais e até mesmo internacionais para conquistar a vaga nos Jogos de 2016.

Eduardo Lass começou no triathlon aos 11 anos de idade e já possui títulos importantes nas categorias de base, tais como campeão do Troféu Brasil e do Brasileiro Olímpico, além de duas medalhas de ouro e duas de prata em competições na França, em 2009, e um troféu de primeiro colocado do Challenge International Triathlon, disputado na Alemanha, também em 2009. O currículo de peso mesmo com pouca idade fez o triatleta ser considerado uma das promessas do Brasil da modalidade. Integrante da Seleção Brasileira Sub-23, o jovem tem como objetivo principal representar o Brasil já nos Jogos Olímpicos de 2016. O atleta é patrocinado pela Tradener.

Eduardo Lass (Tradener) fez sua estreia em Copas do Mundo de Triathlon no ano passado, em Huatulco, no México. O percurso duríssimo, com natação em águas muito quentes e uma subida bem íngreme, impressionou o jovem paranaense, que acabou não concluindo a prova em sua primeira participação. Um ano depois, o brasileiro voltou para Huatulco e dessa vez o fim da história foi diferente. Eduardo cruzou a linha de chegada da categoria sprint (750 m de natação, 20 quilômetros de ciclismo e 5.000 m de corrida) em 1h06min26. Apesar de não ter conseguido atingir sua meta de ficar entre o primeiro e segundo pelotão, o terceiro sargento da FAB saiu satisfeito pela evolução apresentada na prova.

“Aqui as condições são extremas e o sofrimento é garantido durante a prova toda. Com uma boa natação consegui sair bem posicionado na T1, mas logo no início do ciclismo percebi que estava sentido a natação, que foi muito forte, o calor da água e da atmosfera. Na corrida, mesmo sem mais chances de pontuar, fui na raça até o fim. Esperava fazer uma prova melhor, mas levo mais um grande aprendizado para a carreira. Ter concluído o percurso foi uma grande vitória, agora é trabalhar melhor a estratégia para uma prova tão desgastante”, contou o atleta beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.

Eduardo Lass começou no triathlon aos 11 anos de idade e já possui títulos importantes nas categorias de base, tais como campeão do Troféu Brasil e do Brasileiro Olímpico, além de duas medalhas de ouro e duas de prata em competições na França, em 2009, e um troféu de primeiro colocado do Challenge International Triathlon, disputado na Alemanha, também em 2009. O currículo de peso mesmo com pouca idade fez o triatleta ser considerado uma das promessas do Brasil da modalidade. Integrante da Seleção Brasileira Sub-23, o jovem tem como objetivo principal representar o Brasil já nos Jogos Olímpicos de 2016. O atleta é patrocinado pela Tradener.

Na temporada passada, em Huatulco, no México, Eduardo Lass (Tradener) enfrentou um dos triatlos mais desgastantes e difíceis da carreira. Com um percurso repleto de subidas, um calor extremo e alta umidade, a primeira das cinco etapas da Copa do Mundo mostrou que é uma competição forte e duríssima, não apenas pelo alto nível dos participantes. Neste domingo (14), o brasileiro retorna à costa do Pacífico buscando superação.

“Sem dúvida é uma prova muito sofrida. Foi minha estreia em Copas do Mundo e infelizmente não completei o percurso por todas essas dificuldades. Mas esse ano estou melhor preparado. É óbvio que a competição terá uma disputa muito acirrada, afinal é uma Copa do Mundo. Mesmo assim, estou indo para buscar um bom resultado e lutar contra todas as dificuldades que envolvem a competição”, explica o atleta beneficiado pela Lei de Incentivo ao Esporte.

Eduardo Lass (Tradener) compete na distância Sprint Triathlon, que inclui 750 m de natação, 20 quilômetros de ciclismo e 5.000 m de corrida.

Eduardo Lass começou no triathlon aos 11 anos de idade e já possui títulos importantes nas categorias de base, tais como campeão do Troféu Brasil e do Brasileiro Olímpico, além de duas medalhas de ouro e duas de prata em competições na França, em 2009, e um troféu de primeiro colocado do Challenge International Triathlon, disputado na Alemanha, também em 2009. O currículo de peso mesmo com pouca idade fez o triatleta ser considerado uma das promessas do Brasil da modalidade. Integrante da Seleção Brasileira Sub-23, o jovem tem como objetivo principal representar o Brasil já nos Jogos Olímpicos de 2016. O atleta é patrocinado pela Tradener.

O atleta Matheus Gonche já está em Recife (PE) para a disputa do Troféu Arthur Sampaio Carepa – Campeonato Brasileiro de Inverno de Natação, que começa nesta quarta-feira (3). Defendendo as cores do Fluminense, o jovem de 16 anos buscará o ouro nas provas dos 200 m livre, 200 borboleta, 100 m borboleta e 400 m livre. “O dia está chegando e as expectativas são grandes. Estou treinando muito para o campeonato. Vou dar o máximo de mim”, contou Matheus Gonche, que volta a disputar os 200 m livre nesse evento depois de três anos. “Volto agora com menos experiência do que nas outras provas, mas espero fazer um tempo muito bom”.

O grande objetivo do atleta é bater o recorde pessoal nos 200 m borboleta. “Quero nadar para 1min59 e, quem sabe, superar o tempo de Kaio Marcio, quando ele estava na minha categoria – 2min00s68. Vou tentar fazer o meu melhor, mas sei que não será fácil, pois estarei nadando duas provas que exigem muita resistência no mesmo dia e o intervalo entre elas será muito curto”.

Por decisão de sua comissão técnica, o atleta não nadará os 1.500 m livre. “Ele tem crescido muito e ganhou muita massa muscular. Ele ficou um atleta um pouco pesado para nadar uma prova de grande distância. Vamos explorar mais a velocidade dele”, disse o técnico Marcelo Silva.

Em 2014, Matheus Gonche ganhou quatro medalhas de ouro nesse campeonato, que foi disputado em Aracaju (SE). Além dos resultados, o garoto levou pra casa o prêmio de melhor índice técnico e de eficiência.

Em 2015, Matheus Gonche ganhou duas medalhas no Multinations Youth Swimming Meet, em Portugal. O garoto tem como tem como objetivo defender suas conquistas nos Campeonatos Brasileiros e nos Jogos Escolares da Juventude. Além desses eventos, o atleta de Resende (RJ) irá disputar o Troféu José Finkel e o Open.

O atleta Matheus Gonche é patrocinado pela POUPEX, GERAÇÃO Y e contemplado pela Bolsa Atleta do Ministério do Esporte. O nadador defende o Fluminense.

Thiago Pereira conseguiu um bom resultado no Grand Prix de Charlotte, na Carolina do Norte, um dos mais fortes da temporada 2015 da natação. O atleta brasileiro ficou com o bronze nos 200 m medley com a marca de 1min59s51. O nadador do Minas Tênis Clube passou a primeira piscina do borboleta com 25s49, depois o costas com 30s21, o peito em 34s43 e o crawl em 29.38. O vencedor da prova foi o campeão olímpico Ryan Lochte com o tempo de 1min57s20.

“Foi um resultado esperado para a atual fase de treinamento. Estou trabalhando muito forte nos Estados Unidos, mas ainda não entrei na fase de polimento. Meu objetivo é chegar com gás no Pan de Toronto e no Mundial de Kazan“, disse Thiago Pereira, que mora e treina em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Além de sua prova favorita, o nadador brasileiro caiu na água nos 100 m borboleta e 200 m peito em Charlotte. No peito, Thiago fez 2min14s58 – melhor tempo das eliminatórias – e decidiu não nadar a final.

Com cinco índices conquistados para o Mundial na Rússia e ainda escalado o Pan de Toronto, onde tentará superar a marca histórica de 22 medalhas do ex-ginasta cubano Erick López Ríos – o brasileiro tem 18 conquistas -, o atleta de 29 anos está confirmado nos 100 m borboleta, 100 m costas, 200 m medley, 400 m medley e 200 m peito e os revezamentos 4×100 m medley e 4×200 m livre.