Home Tags Posts tagged with "Nicholas Santos"

Nicholas Santos

No auge aos 36 anos, Nicholas Santos encara o seu sétimo Mundial de Piscina Curta, em Windsor, Canadá, em busca de superação. O atleta da Unisanta quer quebrar o recorde sul-americano dos 50m borboleta, 22s08, tempo que valeu a ele a prata na última edição da competição, e ficar mais próximo do melhor tempo no mundo, 21s80, do alemão Steffen Deibler. Se vier com o bicampeonato mundial na prova, sua favorita, ainda melhor. O primeiro ouro foi conquistado em 2012, em Istambul.

“Quero nadar pra 21 segundos. Venho treinando muito bem e tenho grandes chances. É difícil falar em recorde mundial, mas acho que 21s80 é um tempo palpável, também”, diz Nicholas Santos. O atleta volta a enfrentar seu principal adversário, o sul-africano Chad Le Clos, que ficou com o ouro nos 50m borboleta em 2014, em Doha. “O Le Clos é o grande adversário, e ainda tem outros nadadores rápidos para essa prova, como o Andrii Govorov.”

A estreia de Nicholas Santos em Windsor será nesta quinta-feira (9). O nadador entra na piscina para buscar o bicampeonato mundial com o revezamento 4x50m medley misto, ao lado de Etienne Medeiros (costas), Felipe França (peito) e Larissa Oliveira (crawl). O mesmo time conquistou o ouro em Doha. Ainda na quinta-feira, Nicholas disputará as eliminatórias dos 50m livre. No dia seguinte, inicia a briga por mais um ouro nos 50m borboleta. “No decorrer da competição, vou selecionar a prova em que tenho melhor chance de medalhar pra ir até a final”, explica o nadador.

O Mundial de Piscina Curta de Windsor não deve ser a última competição de Nicholas Santos. O nadador pretende seguir defendendo a Unisanta em 2017. “Fui medalhista no Mundial de Kazan, em 2015. No Troféu José Finkel deste ano, embora não tenha conseguido uma vaga para os Jogos do Rio 2016, me arrisquei numa prova completamente, os 100m borboleta. Fiz o índice, com 42s30, e infelizmente fiquei com a terceira vaga. Mas ganhei as três provas que nadei e ajudei meu clube. Pelos meus resultados, eu ainda me mantenho como um dos mais rápidos do mundo, então meu objetivo é continuar nadando”, destaca o atleta.

Os outros brasileiros no Mundial de Curta de Windsor

Nicholas Santos aposta num bom desempenho da seleção brasileira na competição no Canadá, apontando Etienne Medeiros, Felipe França, Felipe Simas e Thiago Simon como os principais candidatos ao pódio pelo Brasil. “O Simon nadou muito bem os 200m livre em piscina curta na última competição seletiva para o Mundial. Se ele nadar próximo do que já nadou ou até melhor, com certeza garantirá uma medalha”, acredita.

Por outro lado, Nicholas lamenta a ausência de outros nomes fortes da natação brasileira em Windsor, como Guilherme Guido e Cesar Cielo. “O 4x50m medley masculino também seria um revezamento muito forte, com o Guilherme Guido de costas, o Felipe França de peito, eu de borboleta e o Cesar Cielo de crawl. É um revezamento que também ganhou o ouro em Doha. Mas dessa vez não temos nenhum nadador de costas e nem de crawl, por isso não disputaremos medalha. Também ficaremos fora do 4x100m medley”. O Mundial de Piscina Curta segue até o dia 11, com um total de 708 nadadores de 172 países.

Histórico em Mundiais de Curta
O brasileiro vai para seu sétimo Mundial de Piscina Curta (25m). Sua estreia foi em 2002, em Fukuoka, no Japão, ficando com o 13º lugar (24s15) nos 50m borboleta. No Mundial de Indianápolis, nos EUA, o brasileiro subiu ao pódio duas vezes, com a medalha de bronze nos 50 m livre (21s71) e com a prata no revezamento 4×100 m livre masculino. Em Shangai, 2006, Nicholas foi o quinto nos 4×100 livre e sétimo nos 50 livre (21s90).

No Mundial de Dubai 2010, foi medalhista de bronze no 4×100 livre e quarto lugar nos 50m borboleta (22s45). Em Istambul 2012, Nicholas se tornou campeão mundial dos 50 metros borboleta. O ouro veio com o tempo de 22s22.

No último Mundial de Curta realizado em Doha, em 2014, estabeleceu sua melhor marca pessoal nos 50m borboleta, além de ter batido o novo recorde brasileiro e sul-americano da prova. Ao nadar a prova em 22s08, ele ficou com a medalha de prata. O nadador também venceu dois revezamentos com a equipe brasileira, o 4x50m medley misto e a versão masculina.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 e prata no Mundial de Kazan 2015 nos 50 m borboleta, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara 2011 e Rio 2007 e o ouro da Universíade de Bangkok 2007 nos 50 m livre.

Nicholas Santos saiu satisfeito com seus resultados nos Jogos Mundiais Militares, que ocorrem em Mungyeong, na Coreia do Sul. O atleta deixou a Ásia com duas medalhas de ouro: nos 50 m borboleta – 23s30 – e no revezamento 4×100 m livre – 3min18s56. O paulista de Ribeirão Preto nadou a competição sem estar devidamente polido – expressão usada na natação para definir que o atleta está 100% descansado e pronto para as disputas. ”Feliz com os resultados obtidos no Mundial Militar da Coreia do Sul. As marcas foram conquistadas mesmo em uma fase de treino que fica difícil nadar mais rápido. Uma honra como sempre defender o Brasil em um evento de alto nível”.

O atleta do Exército e da Universidade Santa Cecília – Unisanta já retoma nesta semana os treinos visando uma vaga olímpica em 2016. Nicholas Santos confirmou que tentará uma vaga nos 100 m borboleta e no revezamento 4×100 m livre. A primeira seletiva está marcada para o mês de dezembro em Santa Catarina.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Correios, Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 e prata no Mundial de Kazan 2015 nos 50 m borboleta, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara 2011 e Rio 2007 e o ouro da Universíade de Bangkok 2007 nos 50 m livre.

O velocista Nicholas Santos projeta ganhar mais duas medalhas de ouro para o Brasil nos Jogos Mundiais Militares, que ocorrem em Mungyeong, na Coreia do Sul. O atleta ficou, nesta quinta-feira (8), com a medalha de ouro nos 50 m borboleta com a marca de 23s30, seguido pelo também brasileiro Henrique Martins, com 23s62. A prova é especial para o paulista de Ribeirão Preto, atual vice-campeão mundial na distância.

Os próximos desafios do nadador na cidade sul-coreana são os 100 m borboleta e o revezamento 4×100 m livre. ”Estou bastante satisfeito e motivado para as próximas provas. É uma honra defender meu País em um Mundial Militar, que também é um evento forte com grandes nomes, não só no Brasil, mas os estrangeiros também. A maioria sonha em disputar a Rio 2016!”, disse Nicholas Santos.

O nadador reconhece que o Mundial Militar é um campeonato que serve para ajudar os atletas na busca pela vaga em 2016. A primeira seletiva está marcada para o mês de dezembro em Santa Catarina. ”Estou focado nessa vaga. Vou tentar os 100 m borboleta e o revezamento 4×100 m livre no Rio de Janeiro”.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Correios, Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 e prata no Mundial de Kazan 2015 nos 50 m borboleta, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara 2011 e Rio 2007 e o ouro da Universíade de Bangkok 2007 nos 50 m livre.

O velocista Nicholas Santos defende o Exército brasileiro na disputa da sexta edição dos Jogos Mundiais Militares, que ocorrem em Mungyeong, na Coreia do Sul. O atleta, que embarca nesta quarta-feira (30) para a Ásia, está escalado para as provas dos 50 m borboleta e 100 m borboleta. Na temporada 2015, o nadador tem resultados expressivos nas distâncias, principalmente nos 50 m com o vice do Mundial de Kazan e o segundo melhor tempo (22s90). Além disso, Nicholas Santos nadou várias vezes na casa dos 23s baixo no segundo semestre. ”É uma honra defender o Brasil pela primeira vez nos Jogos Mundiais Militares. É um evento de alto nível e meu objetivo é nadar bem. Se isso ocorrer tenho grande chance de pódio”, disse o velocista. ”A delegação brasileira entra muito forte na disputa e o objetivo é superar os resultados da edição passada do Rio de Janeiro 2011”.

Embalado por grandes resultados, Nicholas Santos teve um curto período de férias após a prata em Kazan 2015 nos 50 m borboleta e as vitórias no Troféu José Finkel e Desafio Raia Rápida. O grande objetivo do atleta na temporada é conseguir uma vaga olímpica para a Rio 2016 nos 100 m borboleta – os 50 m borboleta não fazem parte do calendário olímpico – e no revezamento 4×100 m livre.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Correios, Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 e prata no Mundial de Kazan 2015 nos 50 m borboleta, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara 2011 e Rio 2007 e o ouro da Universíade de Bangkok 2007 nos 50 m livre.

Nicholas Santos estava de férias após conquistar a prata no Mundial de Kazan e o ouro no Troféu José Finkel nos 50 m borboleta. Mas, o velocista aceitou novamente o desafio de liderar a equipe brasileira no Raia Rápida, evento de natação disputado neste domingo (13), no Rio de Janeiro (RJ). Não deu outra: mais um título da competição e novamente com uma marca expressiva: 23s08. Feliz com o resultado, o atleta da Universidade Santa Cecília – Unisanta começa seus treinos nesta semana visando os Jogos Olímpicos de 2016, mas em outras provas: os 100 m livre e os 100 m borboleta.

”Não é mais segredo que quero nadar os 100 m borboleta e entrar no grupo do revezamento 4×100 m livre também. Estou bastante motivado e sei que posso me superar. Hoje com 35 anos eu me sinto bem mais preparado física e mentalmente do que quando tinha 27 ou 28 anos.

Sobre o Raia Rápida

O Brasil venceu mais uma vez o Desafio Raia Rápida de Natação com o quarteto formado por Daniel Orzechowski, Felipe França, Nicholas Santos e Henrique Martins. Destaque da equipe, o atleta Nicholas Santos ganhou todas as baterias dos 50 m borboleta, com 23s08 na final, e levou pra casa o prêmio.

O velocista foi o mais rápido nas três rodadas. Abriu com 23.83, único a quebrar a barreira dos 24 segundos, depois levou com 23s45 e na final 23s08, um centésimo melhor do tempo do Mundial de Kazan, chegando ao inédito tricampeonato da prova. Nicholas voltou no revezamento e ajudou o quarteto bater em primeiro lugar também.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Correios, Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 e prata no Mundial de Kazan 2015 nos 50 m borboleta, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara 2011 e Rio 2007 e o ouro da Universíade de Bangkok 2007 nos 50 m livre.

Foto: Satiro Sodré / SSPress

O Brasil venceu mais uma vez o Desafio Raia Rápida de Natação com o quarteto formado por Daniel Orzechowski, Felipe França, Nicholas Santos e Henrique Martins. Destaque da equipe, o atleta Nicholas Santos ganhou todas as baterias dos 50 m borboleta, com 23s08 na final, e levou pra casa o prêmio.

Segundo análise do coach Alex Pussieldi, Nicholas Santos foi o mais rápido nas três rodadas. Abriu com 23.83, único a quebrar a barreira dos 24 segundos. Roland Schoeman da África do Sul foi quem saiu melhor. Nicholas em primeiro 23s83, o americano Gilles Smith em segundo com 24s09, Schoeman em terceiro com 24s22 e o italiano Luca Dotto foi eliminado com 24.60.

Na segunda rodada, outra vitória tranquila para Nicholas. Levou com 23s45 e Roland Schoeman foi eliminado. Gilles Smith chegou a ameaçar que não iria nadar. Estava se sentindo mal. Nadou no sacrifício e ficou longe, 24s80 contra os 23s08 de Nicholas Santos. Este chegou ao inédito tri campeonato da prova e fez melhor do que a marca que lhe deu a prata nos 50 borboleta do Mundial de Kazan. Lá, havia nadado para 23s09.

Nicholas voltou no revezamento e ajudou o quarteto bater em primeiro lugar também.

Veja as três baterias dos 50 m borboleta clicando aqui

Foto: Satiro Sodré / SSPress

 

Neste domingo (13) tem o desafio Raia Rápida de Natação, que reúne equipes de quatro países em provas rápidas, no Rio. E um atleta com bastante experiência é um dos destaques do Brasil na competição.

Veja o vídeo com a matéria completa

Como é olhar para si mesmo 15 anos atrás? “Quanto cabelo”, brinca o nadador.

Em dezembro de 2000, Nicholas Santos ainda era uma promessa quando superou Gustavo Borges, o maior medalhista olímpico da natação brasileira na prova dos 50 metros livre.

Ele, que sempre brigou contra o relógio, hoje vê o “inimigo” ser um dos seus grandes aliados. O tempo não foi capaz de tirar a sua velocidade. “Como eu sou um pouco mais velho que a molecada, a recuperação demora um pouco mais. Mas com relação à força, eu não perdi nada”, conta.

Sua maior conquista foi no mês passado: aos 35 anos, foi atleta mais velho de todos os tempos a subir no pódio em mundiais. Ele conquistou a medalha de prata no Mundial de Kazan, na Rússia. Está no auge da carreira, quando a maioria dos nadadores está se aposentando. Ele sente que o melhor ainda está por vir.

A prata em Kazan foi nos 50 metros borboleta, uma prova que não é olímpica, mas ele acredita que pode disputar sua terceira olimpíada nadando os 100 metros borboleta. “A gente tem um ano pela frente para tentar tirar um bom resultado”, afirma.

A formação em fisioterapia o faz saber os caminhos para prevenir lesões, mas a preocupação não se limita ao corpo. A mente precisa estar bem, e por isso pratica a técnica milenar da ioga, a meditação, fora e até dentro d’água: “Me ajudou a diminuir os erros na hora de competir, não atrasar uma respiração”, ressalta.

No Raia Rápida, no domingo (13), atletas de quatro países disputam provas de 50 metros nos quatro estilos da natação. Nicholas Santos é uma das estrelas, com o tempo a seu favor.

 

Mesmo cansado, nadador da Unisanta vence os 50 m borboleta e agora foca Rio 2016

Nicholas Santos venceu, nesta sexta-feira (21), a prova dos 50 m borboleta do Troféu José Finkel 2015, disputado na piscina do E.C. Pinheiros, em São Paulo (SP). Na final, o atleta cravou 23s00 e se consolidou como um dos melhores do planeta. Semanas antes em Kazan, na Rússia, o velocista da Universidade Santa Cecília – Unisanta ficou com a medalha de prata com 23s09. “Estou muito feliz pelo resultado no Finkel e por ajudar a Unisanta no campeonato. Consegui nadar bem os 50 m borboleta mesmo cansado com essa maratona de competições. O tempo que fiz hoje também me daria uma medalha mundial”, disse Nicholas Santos.

Agora, o atleta – que tem a melhor saída de bloco do mundo – vai descansar e depois intensificar seus treinos para a Rio 2016. O foco será nos 100 m borboleta e nos 100 m livre.Consegui resultados expressivos nos 50 m livre, como as medalhas dos mundias de piscina curta e longa. Fiquei muito feliz com que alcancei”, falou Nicholas Santos.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Correios, Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 nos 50 m borboleta, prata no Mundial de Kazan 2015, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara 2011 e Rio 2007 e o ouro da Universíade de Bangkok 2007 nos 50 m livre.

Velocista da Unisanta conquista a primeira medalha da natação na Rússia

O atleta Nicholas Santos conquistou, nesta segunda-feira (3), a primeira medalha do Brasil no Mundial de Desportos Aquáticos de Kazan 2015. A prata veio na prova dos 50 m borboleta com a marca de 23s09, 12 centésimos atrás do campeão, o francês Floren Manaudou. O velocista da Universidade Santa Cecília – Unisanta ficou feliz com o resultado inédito em sua carreira. Nicholas tem títulos do Pan, Universíade e Mundial de piscina curta. “É mais uma grande conquista no meu currículo! Trabalhei bastante para chegar aqui e subir ao pódio. Eu gostei da prata e do fato de ter sido a primeira medalha do Brasil”, disse Nicholas Santos ao sair da piscina. Kazan é o quarto Mundial de 50 m que o atleta participa.

O brasileiro entrou na final dos 50 m borboleta também com o segundo tempo e a projeção era de um duelo parelho com o Floren Manaudou. Nicholas, como sempre, fez uma saída de bloco exemplar ganhando vantagem nos primeiros 25 m. A prova foi decidida no detalhe: na batida de mão. “Estava bem consciente do que eu queria fazer em Kazan e fiquei além do que eu queria conquistar. Queria ter ganhado o ouro, claro! O resultado foi bom, mas no final dei uma deslizada.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Correios, Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 nos 50 m borboleta, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara-2011 e Rio-2007 e o ouro da Universíade de Bangkok-2007 nos 50 m livre.

Velocista faz o segundo melhor tempo das semifinais e disputa o ouro na segunda (3)

Nicholas Santos está garantido na final dos 50 m borboleta do Mundial de Desportos Aquáticos de Kazan 2015. O velocista entrou para a disputa do ouro, marcada para a segunda-feira (3), a partir das 11h30 (horário de Brasília), com o segundo melhor tempo: 23s05. O atleta da Universidade Santa Cecília saiu confiante da piscina russa após as semifinais e espera terminar a prova na cada dos 22 segundos.

“Consegui nadar forte a prova com o único objetivo de passar para a final do Mundial. Amanhã preciso conseguir uma marca ainda melhor para subir ao pódio, que é o meu grande objetivo da temporada. O nível dos oito finalistas é grande! Acredito que dá para sair um tempo na casa dos 22 segundos e 70. Me preparei bastante pra isso”. Nas eliminatórias da manhã – madrugada de domingo (2) no Brasil – Nicholas Santos passou para a fase seguinte com 23s41.

Nicholas Santos defende as cores da Unisanta. O atleta olímpico é patrocinado por Correios, Speedo e Exército Brasileiro. Entre os títulos do nadador de Ribeirão Preto (SP) destaque para o ouro no Mundial de Istambul 2012 nos 50 m borboleta, ouro nos revezamentos 4×50 m medley masculino e misto no Mundial de Doha 2014, ouro no revezamento 4×100 m livre de Guadalajara-2011 e Rio-2007 e o ouro da Universíade de Bangkok-2007 nos 50 m livre.