Qatar ExxonMobil Open completa 25 anos e se consolida como o maior “250” do mundo

0
298

Em um país que não mede esforços financeiros para ganhar espaço no mundo esportivo, o já tradicional Aberto de Doha completa 25 anos de existência. Apesar da atual crise do petróleo, o Qatar ExxonMobil Open insiste na estratégia de apostar em grandes estrelas, diversas atrações para o público e uma estrutura que só é vista nos torneios mais consagrados no circuito do ATP World Tour.

No país que sediará a Copa do Mundo da FIFA em 2022 e o Mundial de Atletismo em 2019, os eventos esportivos se transformaram no cartão de visitas do Qatar e o Aberto de Doha é sem dúvida um dos maiores atrativos do ano.
A resposta do público local é positiva. Ao contrário de outros eventos no país que não contam com apoio popular, mesmo com a entrada franca e ações promocionais agressivas, o Qatar ExxonMobil Open é o único evento esportivo no Qatar com todos os ingressos vendidos para os jogos finais e conta com ótima presença de público durante a semana de torneio nas quadras do Khalifa International Tennis and Squash Complex.

Comemorando sua 25ª edição, o torneio ganhou sua maturidade. No ano de 1993, a primeira edição teve o alemão Boris Becker como vencedor, batendo o croata Goran Ivanisevic e levantando o primeiro “Falcão Dourado” da história. Nestes 25 anos muita coisa mudou e o torneio evoluiu.

O sucesso da empreitada atualmente passa pelas mãos de dois ex-tenistas. O marroquino Karim Alami, rival de Gustavo Kuerten nos tempos de jogador é o diretor do torneio. A gestão da federação também tem o comando de Nasser Bin Ghanim Al-Khelaifi, ex-membro da Seleção de tênis do Qatar e capitão do país em Copas Davis nos anos 90.

Al-Khelaifi é um famoso empresário de sucesso no mundo dos esportes. Além de administrar o tênis no Qatar, comanda o clube de futebol Paris Saint-Germain e é proprietário de um dos maiores conglomerados de mídia esportiva do mundo, a BeIn Sports.
A quadra central, inaugurada pelo Emir HH Sheikh Hamad bin Khalifa Al Thani em 1993 com a capacidade inicial de 4,500 lugares recentemente foi ampliada para 7,000. Além das novas arquibancadas, o complexo também ganhou camarotes, três setores para expectadores, áreas VIP, espaços corporativos e praças de alimentação.

Mesmo na contramão da rota do Australian Open e de outros torneios na Oceania que antecedem o primeiro Grand Slam do ano, Doha aposta na estrutura de quadras, no bom atendimento aos atletas e principalmente na premiação, que atinge níveis de “Masters 1000”. Atualmente todo o complexo oferece 20 quadras de excelente qualidade, que são abertas ao público durante todo o ano.

Outro diferencial que visa atrair os jogadores que disputarão o Australian Open é a mudança do piso das quadras de todo o complexo para Plexicushion, o mesmo utilizado nas quadras da Austrália. As bolas do torneio também são as mesmas do primeiro Grand Slam do ano.

Murray, Djokovic e mais 30.
Desde 1993, o Qatar ExxonMobil Open é um dos torneios mais atrativos do calendário do ATP World Tour. Organizado pela Federação de Tênis do Qatar, o torneio oferece a maior premiação entre os torneios 250. Com um total de US$ 1.2 milhão em prêmios e US$ 210 mil ao campeão. A premiação para a dupla campeã será USS$ 68 mil.

Sem a presença de brasileiros na chave principal, Bruno Soares é o destaque entre as duplas. O cabeça de chave número 1 do torneio é muito respeitado pela organização e aclamado pelo público local, ao lado de seu parceiro Jamie Murray. Tanto que este ano Soares foi escolhido pela organização do evento, ao lado de seu parceiro Murray, como os mestres de cerimônia na festa de gala organizada para patrocinadores.

Já é uma tradição entre os jogadores comemorarem o ano novo em Doha. Neste ano, Andy Murray e Novak Djokovic encabeçam um grupo seleto e apesar das ausências de Roger Federer e Rafael Nadal, dois jogadores que já venceram o torneio e frequentemente iniciavam a temporada em Doha, os postulantes ao título são muito bem qualificados.

Tomas Berdych, David Goffin e Jo-Wilfried Tsonga correm por fora pela conquista do Falcão Dourado. Isso sem contar o fato que as zebras costumam ser frequentes em Doha. Por ser o primeiro torneio da temporada, Doha costuma apresentar algumas surpresas.

A maior delas foi proporcionada pelo atual diretor geral do torneio, Karim Alami. Em 1994, o marroquino venceu Pete Sampras, número 1 do mundo na ocasião e desde então virou uma lenda dos torcedores árabes em Doha.
Mais recentemente em 2015, o gigante Ivo Karlovic eliminou o também número 1 do mundo Novak Djokovic.

Dados Técnicos
Chave Principal – De 2 a 7 de janeiro de 2017.
Diretor do Torneio – Karim Alami
Local – Khalifa International Tennis & Squash Complex
Piso – Plexicushion Prestige
Bolas – Wilson Australian Open
Premiação Total – USD 1,237,190

A Onboard Sports cobre com exclusividade o Qatar ExxonMobil Open 2017 para o Brasil em parceria de conteúdo com a Qatar Tennis Federation. Contato em Doha: Eduardo Passos, edu@sportsmarketing.com.br. O Qatar ExxonMobil Open 2017 conta com o patrocínio de ExxonMobil, Masraf Al Rayan, Aspetar, Es’hailSat, Qatar Airways, Ooredoo, Nike e Qatar Duty Free. Direitos autorais de imagens cedidos pela QTF – Qatar Tennis Federation.

Siga as redes sociais oficiais do torneio:
Instagram: @QatarTennis
Twitter: @QatarTennis
Facebook: www.facebook.com/qatartennis

Foto: QTF