Na volta ao Brasil, Nicholas Santos intensifica preparação para os 100 m borboleta

0
550

Nicholas Santos, um dos quatro atletas do grupo de treinamento de natação de Alberto Silva, começou bem a temporada 2014. Na semana passada, o nadador da Unisanta ficou com o ouro dos 50 m borboleta do BHP Billiton Aquatic Super Series, evento disputado na Austrália. O velocista, porém, quer mostrar que pode ser um dos melhores do mundo em outra prova, os 100 m borboleta, que faz parte do calendário olímpico. Para entrar entre os tops da distância, Nicholas Santos tem o objetivo de nadar, já nas próximas competições, na casa dos 52s, de preferência mais próximo dos 51. Essa marca garante vaga no Pan-Pacífico, marcado para agosto deste ano.

“É um dos meus objetivos para a Olimpíada de 2016 nadar a distância. O trabalho nos próximos meses será destinado aos 100 m borboleta e a conquista de um bom resultado no Sul-Americano e no Maria Lenk. Eu não descartei os 100 m livre e 50 m livre, porém devo nadar mesmo para ajudar meu clube a somar pontos em competições”, explicou Nicholas Santos, patrocinado por Unisanta, Correios e Speedo.

O treinador de Nicholas Santos, Alberto Silva, reforçou que o velocista sentiu um pouco a mudança nos treinos visando os 100 m borboleta. O trabalho começo de maneira mais intensa após as férias. “O atleta está cansado, mas respondendo bem aos treinamentos para a prova. Desde o início da temporada ele está mais dedicado aos 100 m borboleta e a preparação sofre uma alteração, ficando mais desgastante”.

Nicholas Santos e os integrantes da seleção brasileira chegam da desgastante viagem da Austrália ao Brasil nesta segunda-feira (3). No evento de Perth, o campeão mundial dos 50 m borboleta dominou a prova e venceu com 23s61. O australiano Ben Treffers (23s99), que levou a prata e o conterrâneo Christo Wright (24s06), com o bronze, completaram o pódio.“Treinamos muito forte durante o camping na Austrália. Literalmente malhamos pesado. Apesar de estar em fase diferente de preparação do que a maioria, consegui nadar bem e me superar. Esse período de base pra gente tem bastante volume. Comparada a maioria dos nadadores estrangeiros, nossa equipe estava em um estágio de preparação diferente, ou seja, apenas no começo dos treinos. Não nadamos polidos, por exemplo”, contou Nicholas Santos.

O nadador também disse que o evento australiano foi importante para dar ritmo de prova aos nadadores logo no começo do ano. Além disso, Nicholas Santos reconheceu que nadar ao lado de feras da modalidade – como o sul-africano Chad le Clos e o velocista australiano James Magnussen – motiva.

As outras duas medalhas do Brasil no BHP Billiton Aquatic Super Series vieram com João Gomes Jr., prata nos 50 m peito (27s67), e com Felipe Lima, que conquistou o bronze dos 100m peito (1min01s47).

Nicholas Santos, de 33 anos, é o atual campeão mundial dos 50 m borboleta em piscina curta, resultado conquistado em Istambul (Turquia), em 2012. O atleta defende a Unisanta e tem o patrocínio de Correios e Speedo.