Médico do esporte da PULSE escreve ao LANCE!

0
301

Gilberto Cunha, médico da Pulse, Confederação Brasileira de Basquete e da Sociedade Esportiva Palmeiras, escreveu ao jornal LANCE!, nesta terça-feira (9), sobre as lesões no esporte e todo o processo de recuperação.

Lesões graves no esporte

Nas últimas semanas muito se comentou sobre a grave lesão sofrida pelo jogador Zlatan Ibrahimovic e a possibilidade do atleta ter que encerrar sua carreira por isso. Aparentemente, o atleta sofreu uma lesão do ligamento cruzado anterior do joelho (LCA), uma das lesões mais temidas pelos esportistas devido ao longo tempo de afastamento das atividades. Algumas fontes sugerem que houve lesão associada de menisco e de outros ligamentos, tornando a lesão mais complexa e de pior prognóstico. Isso poderia levar a um afastamento mais longo sendo difícil prever se o atleta voltaria a atuar no mesmo nível de antes.

A evolução do conhecimento científico associado aos avanços tecnológicos tem levado ao aperfeiçoamento dos métodos de diagnóstico, técnicas cirúrgicas e programas de reabilitação, possibilitando o tratamento de lesões graves que em outras circunstâncias terminariam de fato com a carreira de um atleta. Assim, busca-se num período cada vez mais curto promover o retorno do atleta ao esporte e em plenas condições físicas. Entretanto, o retorno precoce exige atenção contínua para que se sustentem os resultados obtidos, evitando recidivas e auxiliando na prevenção de novas lesões.

Protocolos muito acelerados de tratamento que prevêem os resultados sem individualizar os casos devem ser evitados pois nem sempre isso é possível de forma segura e complicações podem ser geradas se as etapas do processo de reabilitação forem puladas. Diversos fatores contribuem para acelerar a recuperação de um atleta, incluindo sua idade, dieta, qualidade do sono, saúde geral e recursos terapêuticos disponíveis.

Atualmente com o conceito de intervenção multidisciplinar, o atleta é assistido simultaneamente por médicos, educadores físicos, fisioterapeutas, fisiologistas, nutricionistas e psicólogos para que se recupere plenamente e no menor tempo possível.

Nesse contexto a compreensão dos limites individuais é fundamental para que não sejam criadas falsas expectativas de retorno ao esporte e não se coloque em risco a integridade física dos atletas uma vez que estes se lesionem. Obrigado pelo espaço e até uma próxima!