Marcos Campos faz treino no breu para Travessia do Leme ao Pontal

0
202

Treino na Represa de Nazaré Paulista ocorre na madrugada de sexta para sábado (3) visando prova de 35k no Rio de Janeiro

Marcos Campos já está em contagem regressiva para o desafio “Do Leme ao Pontal”, a maior travessia em águas abertas do Brasil. Como a largada da prova será as 2h da manhã, o nadador encara na madrugada de sexta para sábado (3) um treino no escuro na Represa de Nazaré Paulista. Serão 20k, 15 a menos do que ele enfrenta nas águas do Rio de Janeiro, mas 5 horas de muita tensão e adrenalina.

“É muito importante fazer esse treino porque o organismo não está acostumado a atividades físicas na madrugada. Inclusive vamos testar a hidratação, o ritmo de braçadas, ver se oscila muito ao nadar por muitas horas seguidas, e principalmente o fato de nadar sem referência. Muita gente sente inclusive tontura por conta de não ter um ponto de referência para se guiar, com excessão do caiaque, que está do lado do atleta por segurança. Assim, o fator psicológico deve ser muito bem trabalhado”, explica Samir Barel, treinador do atleta.

O percurso de 35k pela famosa e belíssima orla do Rio de Janeiro foi oficialmente homologado em junho de 2016 e segue as regras das principais travessias do mundo, como o Canal da Mancha, Canal da Catalina, Estreito de Gibraltar, entre ouras. Apesar da oportunidade de admirar grandes cartões postais como o Morro do Pão de Açúcar, Forte de Copacabana, a praia de Ipanema, entre outros pontos turísticos de um ângulo diferente, o nadador é submetido a grandes adversidades. O mar do Rio de Janeiro tem muitas ondulações, baixa temperatura da água, vento e correntes fortes e até mesmo águas-vivas, fazendo da prova uma das mais desafiadoras do Brasil e do Mundo.

Marcos Campos tem 32 anos e é natural de Taubaté, interior de São Paulo. Apaixonado pela natação em águas abertas desde 2008, é tricampeão e atual recordista da 14 Bis (24km), tradicional travessia aquática do Brasil entre Bertioga e Santos, já foi Top-10 na maior travessia do planeta, a Hernandárias-Paraná (Argentina, 88K) e encarou algumas provas do Grand Prix de Águas Abertas da FINA, principal circuito de longa distância da modalidade. Nessa temporada, Marquinhos já venceu outro desafio ousado e desgastante. A Volta à Ilha de Key West, na Flórida (EUA), conta com percurso de 12,5 milhas (aproximadamente 20km) por dois mares diferentes, o Golfo do México e o Oceano Atlântico. Além da longa distância, o nadador teve que superar as altas temperaturas da região, que incluíram sensação térmica de 40 graus e o próprio mar com temperatura de 31 graus.

Mais informações e curiosidades do projeto em: www.desafiosaquaman.com.br
Siga também no Instagram: @desafiosaquaman
Curta a fan page oficial www.facebook.com/DesafiosAquaman