Leonardo Chicourel escreve ao LANCE!

0
39

Leia a coluna do velejador brasileiro que disputou a Transat Jacques Vabre 2017 a bordo do Mussulo 40 Team Angola Cables.

21 dias e 22 horas de regata
Por Leonardo Chicourel – skipper do Mussulo 40 Team Angola Cables

Olá, leitores do LANCE! Depois de 21 dias e 22 horas velejando de Le Havre, na França, até Salvador, na Bahia, conseguimos completar nosso objetivo que era terminar a regata Transat Jacques Vabre, conhecida por muitos como a principal travessia transatlântica do mundo. Foi uma experiência esportiva e de vida enorme pra mim e para meu parceiro José Guilherme Caldas, que fez acontecer a campanha do Mussulo 40 Team Angola Cables.

Enfrentar 8 mil quilômetros por mares duros em duplas é sim uma façanha. Mas a recepção que tivemos vai ficar pra sempre! Meus amigos aqui de Salvador, família e muita gente da vela vieram nos dar boas-vindas. Como disse na chegada, eu não me lembro de ter tido um presente tão bonito. Me sinto muito honrado e responsável por isso tudo. Nem sei se eu mereço.

Tivemos vários problemas nesse percurso, sem contar as dificuldades de um desafio como esse. A largada foi dia 5 de novembro. A gente saiu do barco na noite anterior à largada. E depois de dois dias velejando ficamos mais de 30 horas parado para conserto do barco. Ali foi complicado, mas em nenhum momento pensamos em desistir! Tinha muita gente mandando energia positiva pra gente. Quando estávamos parados em Camaret, recebemos muitas mensagens para continuar. Isso foi um diferencial.

Espero que essa campanha em uma regata de nível internacional da vela oceânica motive outros baianos, outros brasileiros a navegar pelos mares do mundo. Eu tive a oportunidade e sou grato por isso. Encontrei o anjo José Guilherme. Comecei a trabalhar fazendo delivery do barco dele e um dia ele me chamou pra correr uma regata. Era um sonho que eu tinha desde pequeno quando recebia a Transat Jacques Vabre em Salvador com meu pai. Mas para começar a trabalhar com o barco, eu tive que desistir desse sonho por um período. Mas, quando eu percebi já estava aqui.

Obrigado mais uma vez pelo espaço! Obrigado por poder contar essa história vencedora da vela brasileira. Vamos voltar em 2019 na Transat Jacques Vabre ainda mais fortes.