Fórmula E: Brasileiros comentam sobre o ePrix de Marrakesh

0
39
RIYADH STREET CIRCUIT, SAUDI ARABIA - DECEMBER 14: Nelson Piquet Jr. (BRA), Panasonic Jaguar Racing during the Ad Diriyah eprix at Riyadh Street Circuit on December 14, 2018 in Riyadh Street Circuit, Saudi Arabia. (Photo by Sam Bloxham / LAT Images)

Foi realizado neste sábado (12) o ePrix de Marrakesh, segunda etapa da temporada 2018-19 da ABB Formula E. E os pilotos brasileiros enfrentaram diversos obstáculos neste fim de semana no Marrocos.

Os pilotos brasileiros da categoria enfrentaram um dia muito difícil, e apenas Lucas di Grassi (Audi Sport ABT Schaeffler) conseguiu chegar entre os dez primeiros colocados, terminando a corrida na sétima posição:

“Dava para ter chegado no pódio. A estratégia com o modo de ataque e a entrada do safety car no final nos atrapalharam bastante. Foi uma pena mas a graça da corrida é essa imprevisibilidade”, comentou Di Grassi, que já está pensando na próxima etapa. “Agora temos que focar na corrida do Chile, em Santiago, e acredito que se trabalharmos direito teremos chance de um bom resultado. O campeonato só está começando e nós vamos pra cima. Agora é voltar pra oficina e trabalhar.”

Melhor brasileiro no treino classificatório, Nelson Piquet Jr (Panasonic Jaguar Racing) não conseguiu uma boa largada, prejudicado pelo incidente envolvendo os dois primeiros colocados da prova, Jean-Eric Vergne (DS Techeetah) e Sam Bird (Envision Virgin Racing).

Por conta disso, Nelson Piquet Jr foi obrigado a fazer uma prova de recuperação, mas sem sucesso e ficou de fora da zona de pontuação.

“Foi frustrante. Não demos sorte em estar no lugar errado e na hora errada. Eu tinha energia para acabar nos pontos com uma estratégia mais agressiva, com receio de não dar um safety car. Mas aí deu o safety car, e tinha energia de sobra. Não faria grande diferença, eu terminaria no máximo ali em décimo. Foi um dia difícil, vamos ver o que dá para melhorar, sobretudo nas classificações”, declarou Nelson Piquet Jr.

Quanto a Felipe Massa, novamente o ex-F1 teve problemas com o carro da Venturi Formula E Team. Após ter largado na 15ª posição, o brasileiro não conseguiu impor um bom ritmo de corrida, e terminou o ePrix na 18ª colocação.

“Foi uma corrida muito complicada para mim. Consegui escapar dos problemas na primeira curva por conta do acidente que teve, mas sofri com alguns problemas técnicos no carro. O motor não ia, a bateria não dava potência, sem falar que a bateria não recarregava do jeito certo. Não tive o que fazer, o carro não estava em um bom ritmo e perdi muitas posições. Sofremos com problemas técnicos neste fim de semana, como já havíamos sofrido na primeira corrida. No fim, estou me divertindo em participar do campeonato, mas temos muitos problemas para solucionar.”

A próxima etapa da ABB Fórmula E será no dia 26 de janeiro em Santiago, no Chile.