Felipe Wu é destaque no Globo Esporte.com

0
81
Felipe Wu é destaque no Globo Esporte.com

Medalhista olímpico volta ao palco da conquista da medalha na Rio 2016 para a disputa do Brasileiro de tiro, veja na reportagem de Gabriel Fricke e Igor Tavares.

Por Gabriel Fricke e Igor Tavares — Rio de Janeiro, RJ

O paulista Felipe Wu, de 26 anos, viveu seu auge ao levar a prata na pistola de ar 10m na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016. Foi a primeira conquista do país naquela edição dos Jogos e melhor resultado da modalidade desde o torneio disputado na Antuérpia, em 1920. Em 2017, o corpo e a mente do atirador pediram descanso, e ele decidiu tirar um ano “sabático” Agora, corre novamente atrás de seu melhor nível. Até domingo, compete no Brasileiro de Tiro Esportivo no Complexo de Deodoro, no Rio de Janeiro.

– Foi meio uma ressaca em 2017. Vinha de muito treino, competição, peguei o ano pra me dedicar mais à faculdade e tentar descansar um pouco. Não consegui. Pelo nível que eu estou, preciso sempre treinar muito. É muito cansativo conciliar a faculdade e o treino. Em 2018, meu objetivo era estar bem melhor que hoje. Por algum motivo que não consegui identificar, não estou tão bem tecnicamente. Em nenhuma competição tive o resultado alto como eu esperava. Vou refletir e ver como será ano que vem – comentou o atleta, que estuda engenharia aeroespacial.

Antes da Rio 2016, Wu chegou a ser o número 1 do ranking em sua categoria. Atualmente, é o 33º colocado. No Mundial da Coreia do Sul, disputado em 2018, ele ficou na 41ª colocação. O paulista admite que o fato de ser um medalhista causa uma certa pressão em cima do atleta:

– Não é fácil essa virada. Preciso de um bom planejamento e muito trabalho. Ano que vem tem quatro etapas da Copa do Mundo ao longo do ano, terá uma etapa no Rio, e em julho teremos o Pan. Talvez o Pan seja a de nível mais baixo, mas não quero depender só dele.

Felipe Wu, que foi medalhista de prata na Rio 2016, vai competir no Brasileiro de Tiro Esportivo em Deodoro — Foto: Gabriel Fricke

Felipe Wu, que foi medalhista de prata na Rio 2016, vai competir no Brasileiro de Tiro Esportivo em Deodoro — Foto: Gabriel Fricke

Sem ter patrocínio próprio, como outros esportes, a Confederação Brasileira de Tiro Esportivo depende da verba que vem das loterias federais. Isso, é claro, influencia na preparação dos atletas. O técnico de Felipe, o colombiano Bernardo Tobar, por exemplo, é pago pelo Comitê Olímpico do Brasil.

Ao entrar novamente no local onde ganhou sua medalha de prata para disputar o Brasileiro, Felipe lembra com carinho daquele momento, seu auge na carreira, e fala também sobre o rival olímpico, Hoang Xuan Vinh, do Vietnã, que levou o ouro na Rio 2016 e, como ele, não está no topo:

– Eu acho que esse lugar sempre foi especial porque mesmo antes dos Jogos eu já treinava aqui. Com os Jogos se tornou ainda mais especial. Ele (Hoang Xuan Vihn) não está em um bom nível. Outros surgiram da Coreia e China. A Europa tem um ou outro.

Quase mil competidores estarão presentes no Centro Militar de Tiro Esportivo, no Complexo Esportivo de Deodoro, na busca pelo título nacional e também na disputa das provas olímpicas até o próximo domingo. Dentro do evento, o destaque fica para as provas olímpicas, que reúnem nomes importantes do Tiro Esportivo como o próprio medalhista olímpico Felipe Wu e o campeão mundial Julio Almeida.

Serão no total seis provas de tiro ao prato, sendo cinco delas olímpicas, e outras 55 de tiro ao alvo (Carabina e Pistola), sendo dez olímpicas e 13 paralímpicas. As categorias das provas olímpicas nesta fase final do Campeonato Brasileiro são Júnior, Juvenil, Para-atleta, Sénior, Dama, Master e Veterano.

Considerado o maior evento de Campeonato Brasileiro já realizado pela Confederação Brasileira de Tiro Esportivo, a competição acontece em cinco dias e tem previsão de entrega de quase mil medalhas. Para participar, os atletas precisam estar filiados à CBTE, mas apenas os melhores ranqueados nas etapas estaduais ao longo do ano têm chances de medalhas.

O campeonato é o último evento de grande porte que antecede a Copa Mundo da modalidade, que acontecerá também no Rio de Janeiro sob a chancela da ISSF (International Shooting Sports Federation) órgão que gere o Tiro Esportivo pelo mundo, entre agosto e setembro de 2019 e garantirá 16 vagas para a Olimpíada de Tóquio em 2020.

Final do Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo – 47ª edição

Data: 21 a 25 de novembro
Local: Centro Militar de Tiro Esportivo – Av. Brasil, 26.196 (próximo ao entroncamento da Via Transolímpica)
Horário: 9h às 16h