Edênia Garcia fala ao L! sobre o Open Paralímpico

0
233
Olá amigos leitores do LANCE! Eu sou a Edênia Garcia, medalhista paralímpica e nadadora com maior número de medalhas em eventos internacionais do desporto adaptado. Hoje escrevo sobre uma grande competição que será realizada em São Paulo, o Open Internacional Loterias Caixa de Atletismo e Natação. A competição ocorrerá entre os dias 21 e 23 de abril, no moderno Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, na capital paulista. Será a minha primeira competição na temporada – e também de muitos outros grandes paratletas brasileiros. Vale vaga para os mundiais das duas modalidades. Por isso, 316 competidores do Brasil e de mais sete países estão inscritos.
O Open é uma competição super tradicional no Brasil e este ano ela está muito mais completa pelas informações citadas acima. Será uma das etapas da Copa do mundo de natação paralímpica, competição esta que integra pela primeira vez o nosso calendário. Espero poder estar nadando próximo dos tempos que me classificam para o mundial nos 50 m costas e 50 m livre. Estamos numa fase pesada de treinos (ganhando força), porém irei estar descansada para tentar fazer o índice. O Open é uma grande oportunidade de estar nadando com os melhores atletas do mundo!
E será uma competição forte sete meses após os Jogos Paralímpicos do Rio. Muito se fala de legado e acredito que o maior deles é justamente o CT Paralímpico, uma mega estrutura preparada para receber os sete países que estarão no Open! É mais uma excelente oportunidade para as duas maiores modalidades paralímpicas brasileiras estarem competindo em casa.
O nível será altíssimo! Tudo isso faz parte do início da campanha para Tóquio 2020! Quero ampliar minha coleção de medalhas em paralimpíadas.  

É isso, convido a todos a assistir a gente no Centro Paralímpico, que fica na Rodovia dos Imigrantes. Obrigado pelo espaço e até a próxima.

Sobre Edênia

Edênia nasceu com polineuropatia sensitiva motora, uma doença progressiva que trouxe dificuldades de movimento nas pernas e nos braços. A nadadora foi a quatro Jogos Olímpicos (Atenas 2004, Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016) e é a primeira atleta brasileira tricampeã mundial de natação. Especialista nas provas curtas, ela tem quatro medalhas olímpicas, entre elas três pratas (50 m costas, 50 m livre e revezamento 4×50 livre) e um bronze (50 m costas).