Depois de vitória na Alcatrazes, Team Mussulo Angola Cables muda de classe e corre de HPE 25

0
134
Crédito da Foto: Aline Bassi | Balaio

O Mussulo Angola Cables está envolvido em um novo desafio na vela nacional. Depois de vencer a Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, no último sábado (21), parte da tripulação trocou o tradicional Bavaria 55 e a classe RGS pelo HPE 25.

Nesta segunda-feira (23), o quarteto formado por José Guilherme Caldas, Leo Chicourel, Rafael Martins e Beto Vita participou das primeiras provas da Ilhabela Cup, competição paralela à Semana de Vela de Ilhabela.

Os barcos são totalmente diferentes em relação ao tamanho, velocidade e tripulação. O Bavaria 55 é um barco maior e feitos para regatas de percurso, com menos manobras. Já o HPE é menor e feito para regatas entre boias.

”Nós corremos de HPE 25 em algumas regatas de Salvador (BA) e treinamos para a Semana de Vela de Ilhabela”, disse José Guilherme Caldas. ”O evento é uma grande oportunidade de correr com os melhores do Brasil. Nós decidimos correr de HPE 25 e tirar o melhor resultado possível, mas dentro de nossas limitações. Queremos aprender! É impossível andar na frente de quem está há muitos anos correndo nessa classe”.

As regatas da Semana de Vela de Ilhabela que valem pontos para o maior evento da América do Sul voltam a partir de quarta-feira (25). A primeira prova foi adiada, justamente a Renato Frankenthal, no sábado. A organização decidiu não fazer a regata de percurso por causa dos fortes ventos.

Em 2017, José Guilherme Caldas e Leo Chicourel correram a Transat Jacques Vabre em duplas. A travessia é de Le Havre, na França, e Salvador, no Brasil. Em 2019, o Mussulo 40 Team Angola Cables deve competir a regata transatlântica novamente.

Resultados
Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil

RGS A e B
1. Mussulo III (José Caldas) – RGS A
2. Libertas (Clauberto Andrade) – RGS A
3. BL3 (Pedro Rodrigues) – RGS B
4. Sargaço (Matheus Silva) – RGS A