Home Notícias

O Parque Ibirapuera, espaço de lazer mais frequentado da América Latina e um dos principais parques do País, está de cara nova. A Nike e a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), inauguraram oficialmente a revitalização do campo de futebol e a sinalização dos percursos de corrida e caminhada.

O evento contou com as presenças do prefeito da cidade de São Paulo, João Doria; o  Secretário Adjunto do Verde e do Meio Ambiente, Fernando Von Zuben;  o Secretário de Esportes, Jorge Damião; e o Presidente da Nike do Brasil, Carlos Homedes. Atletas e ex-atletas de diversas modalidades como Ronaldo Nazário;  o atacante do Corinthians, Jô;  o campeão olímpico de salto com vara, Thiago Braz;  a recordista brasileira e sul-americana e  duas vezes campeã mundial no salto com vara, Fabiana Murer;  o jogador de basquete, Leandrinho Barbosa; a atleta paraolímpica Verônica Hipólito;  o paratleta de canoagem Fernando Fernandes; a triatleta Fernanda Keller; o representante da nova geração de atletas de skate Gabriel Fortunato, também prestigiaram o evento.

O skatista Gabriel Fortunato  marcou presença numa sessão de High Ollie, na Marquise do Ibirapuera.

Para o presidente da Nike do Brasil, Carlos Homedes, o parque tem importância fundamental para São Paulo. “A missão da Nike é levar inspiração e inovação para atletas em todo mundo e estamos muito felizes em entregar à cidade um campo de futebol de alta qualidade com nova iluminação, que traz mais segurança e possibilita os jogos durante todo o período em que o parque está aberto. ”

Foto e Texto da Nike

Skatista desde os nove anos, Gabriel Fortunato tem sido destaque nas diversas competições por onde passa. Promessa para os Jogos de Tóquio 2020, o atleta, natural de Suzano (SP), tem no street skate sua paixão. O skatista tem o patrocínio de Nike Skateboarding, Monster Energy, Element, Maze, Personal Boards.

 

Vice-campeã mundial em 2014, atleta do Sesi-SP é um dos destaques na categoria até 75kg no torneio em Paris

Aline Silva pretende iniciar o novo ciclo olímpico rumo à Tóquio2020 com o pé direito. E o primeiro grande desafio dessa empreitada será nesta quarta-feira (23), no Mundial de Wrestling de Paris. Única atleta do país a figurar no Top10 do ranking mundial nesta temporada, Aline contou com a ajuda da canadense Leah Ferguson, assistente técnica do programa de wrestling de Winnipeg, uma das equipes mais fortes da atualidade, para reforçar suas últimas semanas de treino e chegar 100% na busca por mais uma grande conquista na modalidade.

”A Leah foi muito importante nessa reta final da minha preparação. Como eu não tenho viajado muito, eu precisava fazer algumas lutas com alguém que lutasse como as minhas adversárias. A Leah é muito forte, representou o Canadá nos Jogos Olímpicos de Londres2012, então o treino com ela foi perfeito para ajustar tática e estratégia. Quero competir bem e fazer o que venho treinando”, contou Aline, que compete na categoria até 75kg.

Aline Silva é dona do melhor resultado nacional na história da luta olímpica. Em 2006 conquistou a inédita medalha de prata no Mundial Júnior e em 2014 sagrou-se vice-campeã mundial sênior na categoria até 75kg. A atleta ainda tem no currículo duas medalhas em Jogos Pan-Americanos (Guadalajara2011 e Toronto2015), dois ouros em Mundiais Militares, 12 títulos em campeonatos brasileiros e 10 em campeonatos paulista, entre outros resultados expressivos.

A atleta de 30 anos defende o Sesi-SP e a Marinha do Brasil e tem patrocínio da Auto Shopping Global.

Siga a atleta em www.facebook.com/alineluta
e no site http://alinesilvalutaolimpica.com.br

FOTO: Aline Bassi/Balaio de Ideias

O skatista Sandro Dias ficou com o segundo lugar na modalidade vert do Rocky Mountain Rampage 2017, competição que marcou o retorno do hexacampeão mundial a eventos de alto nivel. O campeonato, disputado neste sábado (19), em Colorado Springs, nos Estados Unidos, foi vencido pelo norte-americano Andy MacDonald. O pódio teve ainda Luigi Cini. Em 2016, o brasileiro foi o campeão geral da competição, pois participou das três modalidades park, bowl e vertical. Desta vez, Sandro só correu no vert.

”Fiquei muito contente em participar mais uma vez do Rocky Mountain Rampage. É um evento importante para a base do skate, que dá suporte para as crianças, amadores, meninas e os masters. No ano passado participei dos três modalidades e fui campeão no overall”, disse Sandro Dias.

Sandro Dias mantém sua base de treinamento na Califórnia, também nos Estados Unidos, e divide sua agenda de competições e treinos com tours pelo Brasil para divulgar a marca Dual Footwear e o Sandro Dias Camp, um dos maiores acampamentos de férias da América Latina.

Sobre Sandro Dias

Sandro Dias tem 42 anos e é skatista profissional desde 1995. Referência do skate nacional e internacional, o atleta foi o primeiro no mundo a completar a manobra conhecida como “900º” em uma competição.

Entre suas principais conquistas estão seis títulos mundiais pela World Cup Skateboarding (2003, 2004, 2005, 2006, 2007 e 2011); o tricampeonato europeu (2001, 2003 e 2005); seis campeonatos brasileiros de skate vertical; oito medalhas conquistadas durante a história dos X Games; e o recorde mundial de aéreo mais alto num halfpipe com a marca de 4,20 metros conquistado em 2008.

O skatista é patrocinado por Red Bull, Dual Footwear, 4ever Skateboards, Stance equipamentos de segurança, Sandro Dias Shop e Sandro Dias Camp. Os apoios são da King Sushi, Glass Restaurante.

Mais informações sobre o skatista nos sites www.sandrodias.com.br e www.sandrodiascamp.com.br

Contatos:
Flávio Perez e Andressa Rufino
flavio@onboardsports.net e andressa@onboardsports.com.br 
Tel: +5511999498035
www.onboardsports.com.br

Por Esquiva Falcão ao LANCE
Fala pessoal! Tá chegando a hora da luta mais comentada dos últimos anos no boxe: Floyd Mayweather versus Conor McGregor. O combate em Las Vegas será mais midiático do que técnico, pois o lutador do UFC irlandês é claramente inferior ao Floyd, que é do pugilismo. Seu adversário, não!
Eu acredito que o Mayweather vai dar um show de boxe. Ele não tem pegada para nocautear o Conor McGregor, até porque lutador de MMA aguenta muito soco. Mas sua técnica vai prevalecer no ringue em Vegas. Não vejo chance nenhuma do Floyd Mayweather perder (apesar do esporte pregar peças e surpresas). Ele já enfrentou vários campeões mundiais e ganhou bem! O Conor é do MMA, que nunca lutou boxe na vida.
E digo mais! Se colocar num ringue de boxe eu e o Conor McGregor eu ganho fácil! Parece prepotência minha, mas não é! É a mais pura realidade de quem vive, respira e treina só boxe todos os dias.
E por falar nisso, eu estou me preparando para voltar a colocar o Brasil no topo do ranking mundial profissional. Depois de ter vencido minha 18ª luta, no início do mês, em Los Angeles, já comecei a me preparar para o meu combate de número 19, que será em novembro. Se vencer e o japonês Ryota Murata também, nós vamos fazer a revanche olímpica de Londres-2012. Pode até ser no Brasil essa luta no primeiro semestre de 2018. Já disse isso aqui e repito: Vou tomar o cinturão e a medalha de ouro, que são meus de direito. Ainda não entendi o resultado daquela final em Londres, mas faz parte do esporte.
Amigos, agradeço muito as mensagens de carinho pelas redes sociais @esquivafacao. Fico feliz pelo apoio, principalmente dos mais jovens. Estou aqui no Rio de Janeiro para participar de um projeto social do Rafa Giglio no Vidigal e no programa Criança Esperança. Ajudar o próximo nos faz mais fortes!!!! Não posso também deixar de agradecer meus patrocinadores Netshoes, Everlast e Paris Filmes, que estão me ajudando a alcançar esse sonho.
Um abraço e até a próxima

A partir dessa segunda-feira (21), Samir Barel encara Travessia do Lago Bodensee, de 64 quilômetros

Acostumado à encarar grandes desafios, Samir Barel inicia a partir desta segunda-feira (21), às 10h da manhã (horário de Brasília), uma ultramaratona aquática que mais parece coisa de maluco. O nadador vai tentar vencer a Travessia de 64 quilômetros do Lago Bodensee, que faz divisa com 3 países – Alemanha, Suíça e Austria. Apenas 3 pessoas no mundo conseguiram essa façanha, que demora aproximadamente 20 horas para ser concluída!

“Já nadei uma metragem maior, como os 88km da Hernandarias-Paraná, mas lá era um rio, tinha correnteza, que acaba te levando. Essa travessia é um lago, sem corrente nenhuma para ajudar e ainda tem a temperatura da água, que deve estar em torno de 21 à 22 graus. Quando fiz o Canal da Mancha, em 2015, teve trechos com água por volta de 13 graus. Mas para uma travessia de mais de 20 horas, o dobro do que fiz na Inglaterra, é um grande desgaste para o corpo. Mas me preparei muito para chegar até aqui, estudei bastante o local e estou motivado”, conta o atleta, que se completar o desafio será o primeiro atleta das Américas vencedor da prova, que começou a ser disputada em 2011.

O desafio tem início na cidade de Bodmann, na Alemanha, na margem norte do lago, e o nadador segue uma linha longitudinal até a cidade de Bregenz, na Áustria, no extremo sul do lago. Não é permitido o uso de neoprene, apenas sunga ou bermuda de nado com o cumprimento até o joelho para homens e maio ou macaquinho para mulheres. O nadador pode fazer uso de vaselina ou lanolina para proteger o corpo contra o atrito e controlar a temperatura corporal.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já concluiu algumas das provas mais longas e difíceis do planeta, tais como a travessia Hernadarias-Paraná, que era conhecida como a maratona aquática mais longa do mundo (88k), e se tornou o primeiro brasileiro a conquistar a famosa Tríplice Coroa das Águas Abertas, que envolve as 3 maiores travessias de águas abertas do mundo (Volta à Ilha de Manhattan e a Travessia noturna do Canal da Catalina, ambas nos Estados Unidos, além da temida travessia do Canal da Mancha, entre a Inglaterra e a França, considerada o Monte Everest das águas abertas).

Mais informações sobre o atleta em: www.samirbarel.com.br
Siga também no Instagram: @samirbarel
Curta a fan page oficial www.facebook.com/SamirBarel

FOTO: Nick Fenzl

Atleta de Resende (RJ) vai disputar o Campeonato Mundial Júnior no final de agosto

Matheus Gonche mostrou mais uma vez porque é um dos grandes talentos da nova geração da natação brasileira. O atleta do Sesi-SP apareceu nesta semana no Ranking Mundial Sub18 divulgado pela USA Swimming com os 100 melhores juniores da atualidade. O nadador, natural de Resende (RJ), está na 22ª colocação na prova dos 200m borboleta, sua especialidade, com o tempo de 1min59s62, marca obtida no Troféu Maria Lenk de maio.
Foi nesta ocasião, quando terminou na quinta colocação absoluta, que o nadador conquistou uma vaga para participar do Campeonato Mundial Júnior em Indianápolis, que começa na próxima semana, dia 23 de agosto. Além dos 200m borboleta, que ocorrem na segunda feira (28), Matheus vai disputar os 100m borboleta na quinta-feira (24) e os 50m borboleta no sábado (26).

“Estou muito ansioso para o Mundial, acredito que fiz a melhor preparação possível, me dediquei muito. A expectativa é alta, agora é se divertir e pensar positivo pra que tudo dê certo, quero fazer os melhores tempos da minha vida e dar meu 100% em Indianápolis”, conta Matheus.

Aos 18 anos, Gonche já figura entre os melhores nadadores do país na prova dos 200m borboleta. No Troféu José Finkel 2017, disputado no recentemente na piscina da Unisanta em Santos, o jovem por pouco não subiu ao pódio, finalizando a prova em quarto lugar, com o melhor de sua vida: 01min59s16. Nos 100m borboleta, ele terminou na 12ª colocação (54s53).

Sobre o atleta

Especialista no nado borboleta, Matheus Gonche acumula grandes resultados nas categorias de base da natação e já é uma promessa para os próximos Jogos Olímpicos. Ele é patrocinado pela POUPEX e Hammerhead, e é contemplado pela Bolsa Atleta do Ministério do Esporte.

Professores da Escolinha de Triathlon Formando Campeões contam como cuidar da saúde de crianças e jovens durante o inverno

O mês de agosto geralmente traz consigo o frio mais rigoroso do inverno. Com a chegada de frentes frias, chuva, garoa e neblina aparecendo com mais regularidade, principalmente no sul do país, a queda dos termômetros não apenas afasta as pessoas de ambientes abertos como também derruba a frequência nos treinos e atividades físicas, especialmente no caso de crianças e adolescentes. A tendência natural dos pais é poupar a garotada da ida aos treinos devido a gripes e doenças respiratórias, que aumentam nessa época do ano. Todavia a continuidade dos exercícios se faz necessária justamente para manter o bem estar da garotada.

“Ao contrário do que se pensa, treinar no inverno queima mais calorias do que no verão, pois nosso metabolismo acelera no inverno para manter a temperatura corporal. Além disso, quando praticamos atividade física, o corpo estimula a liberação de hormônios (endorfina e serotonina), o que causa uma sensação de prazer e contribui para combater a depressão, preguiça e mau humor nos dias de frio”, conta Ricardo Cardoso Junior, coordenador da Escolinha de Triathlon Formando Campeões.

Ricardo ressalta ainda que hoje em dia existem muitos recursos para dar continuidade aos treinamentos em ambientes fechados e climatizados, o que ajuda a manter a juventude motivada. “Aqui no nosso projeto, nos dias de muito frio, damos prioridade aos treinos de bike no rolo horizontal, corrida na esteira e exercícios menos intensos em academia fechada. A piscina, mesmo no verão, também é climatizada. É evidente que estamos limitados as temperaturas locais do ambiente em que treinamos, contudo, podemos criar um ambiente mais salubre para a atividade desportiva.”

Alguns cuidados também se fazem necessários para não atrapalhar o desenvolvimento dos jovens. “Ensinamos os alunos à virem com roupas apropriadas para o frio, que mantenham sempre o corpo aquecido e também proporcionem conforto e mobilidade, facilitando a prática dos exercícios. Outro ponto importante é o aquecimento, que deve ser bem executado, de forma gradual e bem consistente, ajudando a lubrificar as articulações e minimizando o risco de lesões”, finaliza Ricardo.

Desde maio de 2015, o Colégio da Polícia Militar do Paraná é a base do projeto, que recebe atualmente 50 alunos da rede pública de ensino, visando inserí-los em um dos esportes ao ar livre que mais vem se popularizando nos últimos tempos. As crianças contam com todos os equipamentos necessários e são treinadas por especialistas na modalidade. As atividades respeitam a grade escolar e faixa etária de cada atleta mirim.

Escolinha de Triathlon Formando Campeões foi viabilizada pela Lei de Incentivo ao Esporte, com apoio da Federação Paranaense de Triathlon e do Colégio da Polícia Militar do Paraná. Os patrocinadores são Condor e Grupo Astra.

Curta a Fã page – Escolinha de Triathlon – Formando Campeões

 

Olá, amigos do LANCE! Hoje quero contar um pouco da preparação da cidade de Tóquio para os próximos Jogos Paralímpicos. Quando falamos em Jogos Paralímpicos, logo lembramos de que é necessário uma Vila Paralimpica totalmente acessível, assim como toda arena de competição, e alguns pontos estratégicos próximos ao local do evento. Porém, pouco pensamos a respeito do grande legado deixado pelos Jogos. Legado este que não é somente para a população com alguma deficiência e sim, para todos!

A OMS divulgou um relatório em 2015 que falava que até 2050 a população mundial de idosos duplicará. Ou seja, muito mais pessoas estarão utilizando cadeira de rodas e moletas. A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, levantou, em uma entrevista esta semana,  uma questão muito importante: a importância das Paralimpíadas no futuro da cidade. Hoje, como sabemos, Tóquio é uma cidade superpopulosa e que dentre alguns anos será uma sociedade cada vez mais idosa. Pensando nisso, ela acredita que o grande sucesso dos Jogos será tornar Tóquio mais acessível para os indivíduos com deficiência ou mobilidade reduzida. Certamente Tóquio sairá na frente no que diz respeito a mobilidade urbana e esperamos que isso abra precedentes para as próximas cidades-sedes.

Meu próximo desafio, já mirando Tóquio 2020, é o Mundial Paralímpico de Natação,  que será realizado entre os dias 30 de setembro e 06 de outubro, na Cidade do México. Depois de quebrar dois recordes brasileiros e um das Américas na última competição, o momento agora é sentar com minha comissão e analisar o que é necessário corrigir para ficar mais rápida. Nadei para o mesmo tempo que fiz na Rio 2016, então temos tempo para ajustar e chegar 100% no México. Esse é o primeiro passo para participar dos próximos Jogos Paralímpicos que, com certeza, serão históricos !

Espero voltar em breve com mais novidades. Enquanto isso, sigam torcendo pelo Brasil nos principais desafios paralímpicos do calendário! Abraços.

A natação italiana está de luto após a confirmação da morte do atleta Mattia Dall’Aglio. O nadador de 24 anos foi encontrado morto no fim de semana enquanto fazia musculação sozinho em um ginásio na cidade de Modena, na região norte da Itália. Infelizmente a morte súbita em atletas acontece sem sintomas, sem sinais nenhum, de reprende ela é fatal. Estudos apontam que a principal causa da morte súbita para pessoas abaixo dos 35 anos é uma alteração estrutural do coração chamada cardiomiopatia hipertrófica, caracterizada pelo engrossamento do músculo do coração (miocárdio), fazendo com que seja mais difícil para o coração bombear o sangue. Já para pessoas acima dos 35 anos a maior causa de morte súbita geralmente está relacionada à um infarto agudo no miocárdio. Pode-se dizer que para os atletas a principal causa de morte súbita está relacionada à cardiomiopatia hipertrófica. O que acontece é que a alteração estrutural do coração do atleta durante o exercício intenso, de extremo esforço, leva a um quadro de arritmia que pode levar a uma morte súbita, que é o chamamos de ataque cardíaco e a pessoa morre fazendo atividade física. O que muitos não sabem é que esse tipo de situação é facilmente diagnosticada com um simples exame. O eletrocardiograma pode identificar 95% das causas de cardiomiopatia hipertrófica. Portanto, na vida do atleta, é extremamente importante uma avaliação médica antes do início da participação de treinamentos intensos e competições a fim de evitar situações como essas de mortes repentinas durante os exercícios. Afinal os eventos médicos que acontecem são consequência de doenças não diagnosticadas ou não valorizadas. Por isso o acompanhamento regular é essencial durante todo processo da prática de atividades físicas.
Dra Ana Carolina Côrte é especialista em Medicina do Exercício e do Esporte

A natação italiana está de luto após a confirmação da morte do atleta Mattia Dall’Aglio. O nadador de 24 anos foi encontrado morto no fim de semana enquanto fazia musculação sozinho em um ginásio na cidade de Modena, na região norte da Itália.

Segundo a médica do esporte da PULSE, Ana Carolina Côrte, a principal causa de morte súbita para atletas é a cardiomiopatia hipertrófica, que é facilmente diagnosticada com um exame simples. ”Um eletrocardiograma pode identificar 95% das causas de cardiomiopatia hipertrófica”, disse.

”O que acontece é que a alteração estrutural do coração do atleta durante o exercício intenso, de extremo esforço, leva a um quadro de arritmia que pode levar a uma morte súbita, que é o chamamos de ataque cardíaco e a pessoa morre fazendo atividade física”.

A médica Ana Carolina Côrte reforça ainda que a morte súbita em atletas ocorre sem sintomas e sinais. Para pessoas abaixo dos 35 anos, a principal causa da morte súbita é uma alteração estrutural do coração chamada cardiomiopatia hipertrófica. Já para pessoas acima dos 35 anos, a maior causa de morte súbita geralmente está relacionada à um infarto agudo no miocárdio.

”Uma simples avaliação médica antes do início da participação de treinamentos intensos e competições é importante porque pode evitar as mortes que vemos de atletas durante os exercícios e competições”, finalizou Ana Carolina Côrte.