Campeão olímpico pede mais regatas de longa distância no Brasil

0
401

O campeão olímpico Eduardo Penido se prepara para mais um desafio em sua vitoriosa carreira. Com 53 anos, o carioca lidera uma inédita campanha 100% brasileira na Transat Jacques Vabre, regata entre a França e o Brasil, considerada a maior travessia do Atlântico do mundo. A bordo do Zetra, ele e o parceiro Renato Araújo partem de Le Havre para Itajaí (SC), neste domingo (25), para um percurso superior a 10 mil quilômetros.

Especialista em regatas de oceano e travessias que duram mais de uma semana, Eduardo Penido lamenta as poucas oportunidades deste tipo de evento no Brasil. Atualmente, a Recife Noronha é a maior prova do País com 545 quilômetros de distância. A vela de oceano nacional se resume às regatas promovidas por clubes como a Semana de Vela de Ilhabela e o Circuito Rio. A Transat Jacques Vabre novamente no Brasil e um barco na regata podem aumentar, segundo ele, o interesse.

”Todo mundo quer dormir em casa, ninguém quer ir pro mar. É difícil, sem dúvida nenhuma, mas o brasileiro não tem esse espírito de aventura. É só olhar para os franceses que amam sair em regatas de longa distância”, disse Eduardo Penido. ”Todas as entidades só pensam e investem nas classes olímpicas e quem cuida das provas de oceano só faz campeonatos de clube, com poucas milhas. A maior regata que temos é a Recife Noronha, que em uma noite acaba”.

Após sua medalha de ouro olímpica em Moscou 1980, ao lado de Marcos Soares na classe 470, Eduardo Penido aproveitou todas as oportunidades para hoje se tornar uma referência na modalidade. O carioca participou das principais campanhas, como a do Brasil 1 na Volvo Ocean Race em 2005/06.

”Sempre tive vontade de participar da Transat Jacques Vabre. Até consegui um barco da Class40 no Brasil, mas o projeto não foi viabilizado. Tinha a ideia, mas a realidade era distante. Com a chegada do Renato Araújo, tudo mudou. Eu não esperava que isso pudesse ocorrer. Não é qualquer um que tem a coragem dele”, finalizou Eduardo Penido elogiando seu parceiro, que apostou na ideia e patrocinou o Zetra.

O objetivo da tripulação do Zetra é vencer a Transat Jacques Vabre logo na estreia da equipe. Os dois devem fazer o percurso em até 25 dias.

110 mil pessoas na Vila da Regata de Le Havre

A Transat Jacques Vabre é um sucesso de público na França. Em três dias de evento, a Vila da Regata de Le Havre mais de 110 mil pessoas. O local foi aberto na última sexta-feira (16). O público pode acompanhar de perto os barcos das classes 40, Multi50, Imoca e Ultimate.

Transat Jacques Vabre: a maior travessia do Atlântico

Em 25 de outubro, na França, largarão quatro classes divididas entre monocascos e multicascos. Por ordem de tamanho, a Class40 (veleiros de 40 pés) contará com 14 duplas, a Multi50 (50 pés) terá 4, a IMOCA (60 pés) terá 20 e a Ultime (barcos de até 102 pés) outras quatro duplas. Ao todo, serão 84 velejadores ao longo da mais extensa travessia transatlântica.

A Transat Jacques Vabre, regata que é disputada em duplas, larga sempre da cidade portuária de Le Havre, na Normandia, com destino a um país produtor de café, característica que lhe rendeu o apelido de “Rota do Café”. Já tendo passado por cidades como Cartagena (Colômbia), Puerto Limon (Costa Rica) e Salvador (BA) em 11 edições, essa será a segunda vez que a competição terá a cidade catarinense como chegada. Em 2013, a regata reuniu mais de 590 mil visitantes nas duas Vilas da Regata (Le Havre e Itajaí).

Mais informações no site www.transat-jacques-vabre.com/br
Facebook: https://www.facebook.com/Transat.Jacques.Vabre
Twitter: https://twitter.com/TransatJV_br