Após encarar os 32k do Canadá, Samir Barel está 100% focado na travessia do Canal da Mancha

0
388

Samir Barel entrou em contagem regressiva para o tão sonhado desafio de cruzar nadando o emblemático Canal da Mancha. Essa é uma das travessias mais prestigiadas e difíceis da maratona aquática mundial. O brasileiro encara o percurso entre a Inglaterra e a França entre os dias 02 e 10 de agosto. O último teste antes do grande feito foi realizado neste sábado (25), na Travessia Internacional do Lago Saint Jean, no Canadá, que faz parte do Grand Prix da FINA.
“Infelizmente hoje não cumpri o objetivo desejado. Abandonei a prova com 2h50. Fui vencido pela minha cabeça e pela dificuldade da prova com fortes ventos e ondulações. Mas saio do Canadá mais completo e maduro, com a experiência de sentir a tristeza do abandono e ao mesmo tempo, a alegria de estar vivo, enfrentando as dificuldades, tendo a oportunidade de vencê-las outras vezes. Tenho certeza, que em 2 semanas, no Canal da Mancha será diferente”, contou o atleta de 31 anos.

Canal da Mancha: o Monte Everest dos maratonistas aquáticos

O primeiro à realizar a travessia do Canal nadando foi o capitão da marinha mercante britânica Matthew Webb em agosto de 1875, que percorreu todo o estreito de Dover em 21 horas e 45 minutos. O primeiro brasileiro a concluir a travessia foi Abílio Couto em 1958, que realizou o feito em 12 horas e 45 minutos. Em razão da força das ondas, das correntes marítimas e mesmo das mais de 300 embarcações que cruzam o canal diariamente é muito difícil realizar o percurso. O capitão Webb, por exemplo, nadou 61 quilômetros em ziguezague para alcançar o final do estreito de Dover. O trajeto atual, que hoje conta com uma infra-estrutura de ponta para garantir a segurança dos nadadores, possui 34 quilômetros e pode demorar entre 8h30 e 12 horas, dependendo das condições climáticas e das próprias adversidades encontradas no canal.

A façanha de Samir Barel será ainda mais extrema, uma vez que também não é permitido a utilizar roupa de neoprene nas águas que contam com uma temperatura média de 15 graus, apenas sunga, touca e óculos.

“Em torno de 280 atletas largam da Inglaterra por ano, mas, segundo dados da organização, uma média de 38 nadadores, aproximadamente 8%, conseguem concluir o percurso. Não é nada fácil, mas encaro essa travessia extremamente motivado. Meu principal intuito é mostrar para as pessoas que todos nós temos capacidade de nos superar, seja qual for o desafio. Quando temos foco nos nossos objetivos, disciplina para nos mantermos firme no nosso caminho e planejamento para concretizar as metas, podemos sim realizar o impossível. Espero que a minha experiência seja valorosa e contribua para meus semelhantes buscarem seus sonhos e não desistirem deles”, explica o nadador.

Samir Barel é natural de São José dos Campos (SP), mas reside em Campinas (SP), onde mantém sua base de treinamento na ELO Academia. Praticante de maratona aquática desde 2007, Barel já foi campeão e recordista brasileiro nas provas 50 e 100 m livre e 200 m medley no final da década de 1990. É o atual campeão da I Copa Brasil de Maratona Aquática e em 2014 também foi o vencedor da famosa Volta na Ilha de Manhattan, tradicional percurso de 45 quilômetros pelos rios East e Hudson, nos Estados Unidos.